Exposição "Arquimedes: a arte e a ciência do inventor" em Roma

Exposição

Arquimedes, um grande matemático, físico e inventor do passado, é agora o protagonista da inauguração de um dos exposições realizadas em Roma em que aplicações modernas de suas descobertas podem ser observadas.

Precursor de Isaac Newton e Albert Einstein, até agora não houve nenhuma exposição em sua homenagem, então neste momento sob o nome de “Arquimedes: ciência e arte da invenção”Será exibido nos Museus Capitolinos às sextas-feiras e vai até 12 de janeiro. Depois de Roma, esta exposição está programada para viajar para a Alemanha e possivelmente para China, Japão e alguns países árabes.

A exposição foi viabilizada em grande parte pelas coleções arqueológicas do Museu Paolo Orsi de Siracusa, na Sicília, através das quais se mostra o esplendor da cidade no século III aC, situando o Arquimedes no contexto da cultura mediterrânea e mostrando seus contatos com Alexandria.

Arquimedes foi um dos principais colaboradores do rei Hiero II, rei de Siracusa. Entre suas invenções está a bomba helicoidal que ainda hoje é usada em tarefas como irrigação de plantações, relógio de água, teoria da alavanca para levantar pesos pesados ​​e, mais famosa, o método de cálculo da massa de objetos baseados no deslocamento da água.

Esta última descoberta teve origem quando o rei lhe perguntou sobre a quantidade de ouro que tinha a sua coroa, Arquimedes, não muito entusiasmado a princípio, ao tomar banho percebeu que podia calculá-lo pela quantidade de água deslocada.

Durante um cerco, entre 215 e 212 aC, em Siracusa pelos romanos, Arquimedes aperfeiçoou o uso de catapultas e fez uso do "espelhos queimando“Que por meio do reflexo dos raios do sol se diz que eles incendiaram a frota romana.

Apesar do fato de Arquimedes ter sido assassinado por um soldado romano, sua história viveu através dos tempos graças a Imperador marcelo e para escritos do arquiteto Vitruvius e o historiador Plutarco, descoberto mais tarde na Idade Média e na Renascença e servindo de base na obra de Galileo Galilei e Leonardo Da Vinci.

A exposição está dividida em oito partes, durante o qual o visitante pode ser surpreendido por vídeos de algumas de suas experiências. Por fim, a exposição termina numa sala onde os visitantes podem testar as máquinas das suas descobertas.

Nasci em Madrid em 27 de agosto de 1988 e desde então comecei uma obra da qual não há exemplo. Fascinado por números e letras e amante do desconhecido, sou um futuro graduado em Economia e Jornalismo, interessado em compreender a vida e as forças que a moldaram. Tudo fica mais fácil, mais útil e mais emocionante se, olhando para o nosso passado, pudermos melhorar o nosso futuro e para isso… História.


Vídeo: Oficina Cultura - Exposição Roma - Oficina do Estudante