A maioria das pegadas pré-históricas nas cavernas são de mulheres

A maioria das pegadas pré-históricas nas cavernas são de mulheres

Assim como nossa sociedade atualmente deixa evidentes indícios de civilização na morfologia do planeta, os povos antigos também partiram, talvez por acaso, suas pegadas em rochas e paredes de cavernas.

Agora, um antropólogo da Penn State, da Pennsylvania State University, nos EUA, pode determinar o sexo de algumas das pessoas que deixaram seus rastros, e qual é a surpresa de que a maioria deles eram mulheres.

A suposição foi que as impressões das mãos nas cavernas eram verdadeiros estênceis ou impressões de pintura por imersão e que foram produzidas por homens. Presume-se que as menores impressões das mãos sejam de adolescentes do sexo masculino.

Dean Snow, professor emérito de antropologia, conheceu o trabalho de John Manning, um biólogo britânico que há cerca de 10 anos tentou usar as relações de várias medidas das mãos para determinar não só o sexo, mas também a preferência sexual ou orientação sexual. suscetibilidade ou mesmo doenças cardíacas, apenas com as mãos. Snow se perguntou se poderia aplicar esse método às trilhas deixadas em sítios de rock na França e na Espanha.

Quando Snow viu uma marca de mão em um livro sobre arte do Paleolítico Superior, percebi que a imagem era uma mulher. Uma rápida olhada em cinco outras imagens revelou que dois terços eram mulheres.

A primeira etapa do processo mostrou que apenas 10% das impressões de mãos nas paredes das cavernas na Espanha e na França foram deixadas por homens adultos. A segunda etapa indica que 15% foram classificados como adolescentes do sexo masculino, deixando 75% restantes como pegadas femininas.

Snow também estudou as mãos "moderno”De índios americanos e descobri que as regras e algoritmos desenvolvidos para europeus não funcionavam para índios. Portanto, cada população requer uma análise separada. Snow publicou seus resultados na edição atual da revista americana American Antiquity.

Depois de estudar História na Universidade e depois de muitos testes anteriores, nasceu Red Historia, um projeto que surgiu como um meio de divulgação onde encontrar as notícias mais importantes da arqueologia, história e humanidades, bem como artigos de interesse, curiosidades e muito mais. Em suma, um ponto de encontro para todos onde possam compartilhar informações e continuar aprendendo.


Vídeo: Cavernas de Peruaçu - Pré-História Brasileira