Pirâmide de 4.600 anos descoberta em Edfu, sul do Egito

Pirâmide de 4.600 anos descoberta em Edfu, sul do Egito

Um grupo de arqueólogos trabalhando no sítio de Edfu, no sul do Egito encontraram a base de uma pirâmide provincial de 4.600 anos, que foi atribuída ao reinado do Faraó Huni (AC 2635-2610 A.C.) ou talvez Snefru (ca. 2610-2590 a.C.). A pirâmide, anterior à famosa Gizé, lança luz sobre um período ainda obscuro na história do Egito faraônico: o período do Reino ou Reino Antigo.

Para quê ao longo deste período, que se estende por cerca dos anos 2700 a 2200, a arquitetura piramidal passou por um grande desenvolvimento, tornando aquela época a era das pirâmides por excelência. A partir da mastaba original -uma construção funerária em formato trapezoidal externo ou piramidal truncado, com passagens, fossas e câmaras cavadas no subsolo onde os corpos foram depositados.- os diferentes faraós assistidos pelos arquitetos reais fizeram várias tentativas para conseguir a maior altura e monumentalidade possíveis, bem como uma estrutura com três faces triangulares perfeitas. Uma ânsia justificada pelo simbolismo que sua geometria representa: a pirâmide está associada aos raios do sol, e com ele, o deus Rá.

Reis Huni e Snefru Eles tentaram ampliar a estrutura original da mastaba sobrepondo estruturas trapezoidais que diminuíram de tamanho em altura, mas a forma perfeita não seria alcançada até o reinado de Quéops e sua Grande Pirâmide de Gizé. Além das monumentais, proliferaram as construções de pequenas estruturas de formato quase piramidal ou mastaba ampliada, de caráter provinciano e próximas de cidades importantes, mas sem câmaras mortuárias. Embora sua função exata seja desconhecida, eles poderiam ter sido centros de adoração real quando o faraó visitou as províncias ou serviram apenas como uma comemoração da glória do reinado. Um total de sete, de dimensões semelhantes, são os que foram descobertos até agora, junto com este novo de Edfu.

Ao pé da pirâmide apareceram restos mortais de bebês e crianças, bem como grafites inscritos em hieróglifos esculpidos na face externa das pedras. Essas são dedicatórias muito particulares e severas às crianças. No entanto, os pesquisadores descartam que se trate de um prédio para sepulturas, uma vez que tanto os corpos quanto os hieróglifos correspondem a tempos posteriores.

Claro, uma construção de tal magnitude não poderia passar despercebida aos olhos dos pesquisadores. Embora sua existência já fosse conhecida, não foi até agora que sua estrutura foi escavada, limpou e removeu uma camada de areia e detritos que o cobria. Os aldeões próximos a Edfu pensavam que este monte de restos, longe de parecer uma pirâmide, indicava o túmulo de um santo muçulmano, até que o monumento foi estudado e a pirâmide foi revelada.

A análise técnica e artística da construção original revelou que era uma pirâmide de 13 metros de altura, construído com blocos de arenito com uma estrutura de pirâmides truncadas sobrepostas, semelhante ao da pirâmide escalonada de Djoser. Arqueólogos apontam que foi possivelmente abandonado durante o reinado de Quéops, 50 anos após sua construção, quando a Grande Pirâmide feita pelo faraó monopolizou o culto oficial e ofuscou a construção das pirâmides provinciais.

Romântico, no sentido artístico da palavra. Na minha adolescência, tanto a família como os amigos sempre me lembravam que eu era um inveterado humanista, pois passava muito tempo fazendo o que talvez outros não fizessem, acreditando ser Bécquer, imerso em minhas próprias fantasias artísticas, em livros e filmes, sempre querendo viajar explorar o mundo, admirado pelo meu passado histórico e pelas maravilhosas produções do ser humano. Por isso decidi estudar História e combiná-la com História da Arte, porque me pareceu a forma mais adequada de realizar as competências e paixões que me caracterizam: ler, escrever, viajar, pesquisar, conhecer, dar a conhecer, educar. Divulgação é outra das minhas motivações, pois entendo que não existe palavra que tenha valor real se não for porque foi transmitida de forma eficaz. E com isso, estou determinado a que tudo que faço na minha vida tenha um propósito educacional.


Vídeo: Historia del Arte. Templo de Edfu. 237 - 57. Egipto