Traços da cultura Saladoid encontrados na ilha caribenha de Santo Tomás

Traços da cultura Saladoid encontrados na ilha caribenha de Santo Tomás

No ilha de santo tomás, no território americano do Caribe conhecido como Ilhas Virgens, uma infinidade de vestígios datados entre 200 a.C. e 400 A.D., pertencente ao cultura salgada, um povo desconhecido que habitou algumas das Pequenas Antilhas 2.400 anos. As fortuitas descobertas foram reveladas durante a reforma de uma rodovia no centro da cidade de Charlotte Amelie.

O arqueólogo do Universidade de Michigan David Hayes ficou encarregado, junto com uma grande equipe, de extrair e analisar as peças de cerâmica, ossos de animais, miçangas feitas com conchas, rostos entalhados em barro e outros elementos que foram surgindo depois que as obras foram interrompidas para prospecção e recuperar o site.

«É um achado excepcional, muito rico»Como afirmou o arqueólogo. Além de existem poucos vestígios desta culturaNormalmente nesta classe de sítios existem indícios materiais de diferentes culturas, sinal do reaproveitamento de um mesmo povoamento por diferentes povos, enquanto este de Santo Tomás foi fechado por volta de 50 DC. não para ser usado novamente, por razões ainda desconhecidas.

A tarefa de extrair os restos mortais não está a ser fácil, visto que as temperaturas na ilha atingem os 31ºC, com ocasionais tempestades curtas mas intensas que podem atrapalhar o processo. O objetivo é extrair e identificar todos os objetos possíveis antes do prazo, 7 de fevereiro, quando se espera que local de destruição de água, Y digitalize aqueles que não podem ser extraídos para análise posterior. O que foi dito, obra faraônica, desde então, apenas as peças de cerâmica são contadas. aos milhares até a data.

o análise de carbono 14 servirão para confirmar as datas dos objetos e ossos e, uma vez concluído o processo de estudo, deverão ser expostos em um museu local.

Romântico, no sentido artístico da palavra. Na minha adolescência, a família e os amigos sempre me lembravam que eu era um inveterado humanista, pois passava o tempo fazendo o que talvez os outros nem tanto, acreditando ser Bécquer, imerso em minhas próprias fantasias artísticas, em livros e filmes, sempre querendo viajar e explorar o mundo, admirado pelo meu passado histórico e pelas maravilhosas produções do ser humano. Por isso resolvi estudar História e combiná-la com História da Arte, porque me pareceu a forma mais adequada de realizar as competências e paixões que me caracterizam: ler, escrever, viajar, pesquisar, conhecer, dar a conhecer, educar. Divulgação é outra das minhas motivações, pois entendo que não existe palavra que tenha valor real se não for porque foi transmitida de forma eficaz. E com isso, estou determinado a que tudo que faço na minha vida tenha um propósito educacional.


Vídeo: Atualizações em Doenças Infecciosas e Parasitárias - Dr. Luiz José de Souza - Secad