A Espanha recebe o Campeonato Mundial de Combate Medieval pela primeira vez

A Espanha recebe o Campeonato Mundial de Combate Medieval pela primeira vez

Do 1 a 4 de maio Espanha sediará pela primeira vez Campeonato Mundial de Combate Medieval, um evento esportivo com um importante componente cultural e histórico inédito em nosso país. A competição será baseado no Castillo de Belmonte em Cuenca, uma emblemática fortaleza construída no século 15 pelo 1º Marquês de Villena, Don Juan Pacheco.

Os participantes eles não farão um show coreografado como é comum em muitos festivais medievais em toda a Espanha, mas sim eles lutarão em uma competição esportiva real em que força, destreza e técnica de combate serão medidas. Equipes formadas por lutadores de mais de 15 países diferentes, vestidos com roupas da época, farão duelos em que o objetivo é derrubar o adversário à maneira do luta medieval antiga.

Para isso, e de forma a evitar danos e lesões, os uniformes dos participantes serão revistos por uma comissão de especialistas que irão avaliar a segurança e adaptação ao período histórico de cada equipe, seja no século XIV ou XV.

Embora a prática deste esporte seja muito recente em nosso país, Espanha terá representação própria no torneio, com uma Seleção Nacional capitaneada por Cristian Bernal. A equipe vem se preparando muito para o evento e seus treinos no castelo também serão abertos ao público nos dias 8 e 9 de março e 12 e 13 de abril.

Da Red Historia queremos encorajá-lo a assistir ao Campeonato e a participar nas actividades medievais que se organizaram no Castelo de Belmonte por ocasião da sua celebração, como expositores de artesanato, restauro de época e muitos outros, sem deixar de fazer, claro, uma visita ao interior do magnífico castelo.

UMA evento internacional de alta classe isso certamente não deixará os visitantes indiferentes.

Mais informação:
Campeonato Mundial de Combate Medieval.
Castelo de belmonte.

Romântico, no sentido artístico da palavra. Na minha adolescência, tanto a família como os amigos sempre me lembravam que eu era um humanista inveterado, pois passava muito tempo fazendo o que talvez os outros nem tanto, acreditando ser Bécquer, imerso em minhas próprias fantasias artísticas, em livros e filmes, sempre com vontade de viajar explorar o mundo, admirado pelo meu passado histórico e pelas maravilhosas produções do ser humano. Por isso decidi estudar História e combiná-la com História da Arte, porque me pareceu a forma mais adequada de realizar as competências e paixões que me caracterizam: ler, escrever, viajar, pesquisar, conhecer, dar a conhecer, educar. Divulgação é outra das minhas motivações, pois entendo que não existe palavra que tenha valor real se não for porque foi transmitida de forma eficaz. E com isso, estou determinado a que tudo que faço na minha vida tenha um propósito educacional.


Vídeo: MORTE E VIDA SEVERINA. PARTE 1