Arqueólogos descobrem tumba de 1.500 anos no México

Arqueólogos descobrem tumba de 1.500 anos no México

Arqueólogos do Instituto Nacional de Antropologia e História do México encontraram nas proximidades de Villa de Álvarez, no estado mexicano de Colima, uma tumba escavada na rocha de 1.500 anos em que a estátua de um xamã de longa feição que carrega uma arma, como proteção espiritual do recinto funerário.

A caverna foi escavada em um recinto coberto por tepetato (uma camada de resíduo de rocha vulcânica comum na América) e em ambos os lados apareceram restos de ossos humanos que poderiam pertencer a um ou dois corpos diferentes que foram enterrados antes do sepultamento principal, que está em uma camada inferior.

Este arranjo dos cadáveres levou à teoria de que os antigos colonos eles entendiam as tumbas como as residências de seus ancestrais, então eles os usaram para enterrar outros membros do mesmo clã.

Os corpos foram enterrados junto com um enxoval extraordinário, que inclui, além da figura de um xamã protetor, de meio metro de altura, seis peças de cerâmica de tamanhos e tecomatos variados, vasos esféricos comuns em muitas áreas da Mesoamérica feitos de barro ou com casca de abóbora ou outros frutos.

Romântico, no sentido artístico da palavra. Na minha adolescência, tanto a família como os amigos sempre me lembravam que eu era um inveterado humanista, pois passava muito tempo fazendo o que talvez outros não fizessem, acreditando ser Bécquer, imerso em minhas próprias fantasias artísticas, em livros e filmes, sempre querendo viajar explorar o mundo, admirado pelo meu passado histórico e pelas maravilhosas produções do ser humano. Por isso decidi estudar História e combiná-la com História da Arte, porque me pareceu a forma mais adequada de realizar as competências e paixões que me caracterizam: ler, escrever, viajar, pesquisar, conhecer, dar a conhecer, educar. Divulgação é outra das minhas motivações, pois entendo que não existe palavra que tenha valor real se não for porque foi transmitida de forma eficaz. E com isso, estou determinado a que tudo que faço na minha vida tenha um propósito educacional.


Vídeo: Arqueólogos descobrem múmias da época dos faraós no Egito