"Pé Pequeno", o Autralopithecus mais antigo com 3 milhões de anos


Um grupo de especialistas franceses e sul-africanos conseguiu, após 13 anos de escavações, recompor o primeiro esqueleto quase completo do Australopithecus, cujos restos mortais foram encontrados nas Cavernas Sterkfontein, na África do Sul. As análises estratigráficas tornaram possível concluir com segurança que Pé Pequeno, assim chamada, tem cerca de 3 milhões.

O estudo liderado pelo professor Ron Clarke, da University of Witwatersrandy, publicado em 14 de março na revista científicaJournal of Human Evolution, é o produto de um longo processo de escavação e análise estratigráfica, microestratigráfica e geoquímica do esqueleto fossilizado e do seu contexto arqueológico.

As Cavernas Sterkfontein eles são famosos desde 1936 por abrigar vestígios importantes do gêneroAustralopithecus, embora por 6 anos estes consistissem apenas em montagens parciais de ossos, crânios, mandíbulas e ossos pequenos. O mesmo Ron Clarke, na companhia de outros especialistas, encontrou em 1997 um esqueleto completo do homem-macaco, cujo crânio foi embutido em um sedimento de sedimento calcificado enterrado em uma câmara subterrânea.

O meticuloso processo de extração valeu a pena e agora Uma equipe francesa analisou os restos mortais, verificando que o hominídeo data de 3 milhões de anos, e não 2,2 como se acreditava anteriormente. Da mesma forma, os ossos foram segregados de sua cobertura rochosa e completamente limpos.

Romântico, no sentido artístico da palavra. Na minha adolescência, tanto a família como os amigos sempre me lembravam que eu era um inveterado humanista, pois passava muito tempo fazendo o que talvez outros não fizessem, acreditando ser Bécquer, imerso em minhas próprias fantasias artísticas, em livros e filmes, sempre querendo viajar explorar o mundo, admirado pelo meu passado histórico e pelas maravilhosas produções do ser humano. Por isso decidi estudar História e combiná-la com História da Arte, porque me pareceu a forma mais adequada de realizar as competências e paixões que me caracterizam: ler, escrever, viajar, pesquisar, conhecer, dar a conhecer, educar. Divulgação é outra das minhas motivações, pois entendo que não existe palavra que tenha valor real se não for porque foi transmitida de forma eficaz. E com isso, estou determinado a que tudo que faço na minha vida tenha um propósito educacional.


Vídeo: Wits unveils Little Foot