Esplêndidos mosaicos recuperados em um mosteiro bizantino em Negev (Israel)

Esplêndidos mosaicos recuperados em um mosteiro bizantino em Negev (Israel)

Na entrada do Aldeia beduína de Hura, ao norte do Negev (uma região desértica na metade sul de Israel), uma Mosteiro do período bizantino mede 20 x 35 metros, dividido em diferentes salas em torno de um eixo de leste a oeste, com espetaculares mosaicos no chão de algumas salas.

Os mais impressionantes são a sala de oração e a sala de jantar, já que seus pisos são revestidos de um rica decoração de mosaicos policromados. As primeiras seguem um desenho vegetal com cores vibrantes, e as da sala de jantar também apresentam motivos florais, figuras geométricas, ânforas, dois pássaros inscritos em quadrado sobre fundo de diamantes.

Além disso, eles também têm Inscrições gregas de nomes de abades que dirigiu o convento, Elihayu, Nonus, Solomon e Ilirion, e as datas em que foi construído, que permitiram que o mosteiro fosse datado de segunda metade do século 6 de nossa era. Existem também algumas inscrições bilíngues e outras escritas na língua siríaca, uma língua antiga derivada do aramaico típico de alguns povos semitas.

Tão importantes são objetos e utensílios de cerâmica que foram resgatados: diferentes tipos de ânforas e potes, crateras, potes e tigelas, bem como uma grande variedade de vasos de vidro e moedas bizantinas.

A Autoridade de Antiguidades de Israel, em colaboração com agências locais Hura, está propondo a integração do mosteiro e seus mosaicos no Projeto Waddi Attir, uma iniciativa econômica e cultural sobre os povos beduínos do deserto israelense.

Romântico, no sentido artístico da palavra. Na minha adolescência, tanto a família como os amigos sempre me lembravam que eu era um humanista inveterado, pois passava muito tempo fazendo o que talvez os outros nem tanto, acreditando ser Bécquer, imerso em minhas próprias fantasias artísticas, em livros e filmes, sempre com vontade de viajar explorar o mundo, admirado pelo meu passado histórico e pelas maravilhosas produções do ser humano. Por isso decidi estudar História e combiná-la com História da Arte, porque me pareceu a forma mais adequada de realizar as competências e paixões que me caracterizam: ler, escrever, viajar, pesquisar, conhecer, dar a conhecer, educar. Divulgação é outra das minhas motivações, pois entendo que não existe palavra que tenha valor real se não for porque foi transmitida de forma eficaz. E com isso, estou determinado a que tudo que faço na minha vida tenha um propósito educacional.


Vídeo: Império Bizantino - Com o Professor Israel