Os satélites ajudarão a prevenir a deterioração de Pompeia

Os satélites ajudarão a prevenir a deterioração de Pompeia

o Cidade de pompéia, o terceiro sítio arqueológico mais visitado por turistas na Itália (perdendo apenas para o Coliseu e o Fórum de Roma), sofreu uma série de deslizamentos de terra recentemente. Para evitar maior deterioração da cidade, o gigante industrial Finmeccanica vai doar 1,7 milhões de euros a um projecto que visa controlar este tipo de danos. A iniciativa se chamará “Pompeia: dê um futuro”.

O projeto combinar imagens de satélite com sensores ao nível do solo, e seu principal objetivo é avaliar o “riscos de instabilidade hidrogeológica”. Servirá também para verificar a solidez das estruturas e alertar sobre possíveis desabamentos, aumentando a segurança. Finmeccanica informou que o projeto terá duração de três anos e os dados de satélite estarão disponíveis na internet.

Os seguranças da cidade estarão equipados com rádios especializados e aplicativos móveis, para melhorar a comunicação e apontar o ponto exato em que uma intervenção pode ser necessária, bem como o tipo de intervenção necessária. "Estamos colocando nossa tecnologia a serviço do país e de seu patrimônio histórico”, Afirma Alessandro Pansa, CEO da empresa. E é que além de doar o dinheiro para o projeto, a Finmeccanica vai colocar grande parte dos equipamentos, fornecidos por sua subsidiária de eletroeletrônicos Selex ES.

Mas as autoridades italianas são claras que prevenir danos futuros não é suficiente. No ano passado foi iniciado um projeto de restauração com um orçamento de 105 milhões de euros, 40% financiado pela União Europeia. A crescente deterioração da cidade tornou necessária tal iniciativa, e os dois milhões e meio de pessoas que a visitam a cada ano atestam sua importância para o setor turístico italiano.


Vídeo: SATÉLITES EM ÓRBITA - GRAVITAÇÃO - Aula 6 - Prof. Marcelo Boaro