Egito revela tumbas de 3.000 anos de dois militares faraônicos

Egito revela tumbas de 3.000 anos de dois militares faraônicos

O Egito deu a conhecer a descoberta de tumbas com mais de 3.000 anos que pertencia a dois soldados faraônicos no Necrópole de Saqqara, vinte quilômetros ao sul do Cairo.

O trabalho foi realizado por arqueólogos da Universidade do Cairo e levou à confirmação de que a antiga cidade de Memphis, perto de Saqqara, continuou a ser um centro administrativo e militar de grande importância, mesmo quando Luxor se tornou a capital do Novo Reino.

O primeiro túmulo foi construído em calcário e data de fim do período ramésida. Lá dentro estão os restos mortais de Paser, chefe dos arquivos militares e emissário do faraó no exterior. Os baixos-relevos do mausoléu são coloridos e representam a corte divina da vida após a morte liderada por Osíris.

A segunda tumba é feita de tijolos de terracota e pertenceu a Pthames, que foi chefe do exército e do tesouro durante os reinados de Seti I e Ramses II.

A existência da tumba era conhecida pelos arqueólogos desde o século 19, mas não foi descoberta até três anos atrás. Ele contém relevos representando cenas de pesca pintadas em vermelho e inscrições hieroglíficas detalhando a posição social do falecido.

Madrilena ou Cantábrica. Calculadora ou impulsiva. Sonhador ou realista. 23 ou 12 anos. Futebol ou lojas. Jornalismo verdadeiro: é preciso conhecer a fundo a história, é a única maneira de não cometer os mesmos erros do passado


Vídeo: A MAIOR DESCOBERTA JÁ FEITA NO EGITO. Mundo Desconhecido