Presidente Lincoln proclama feriado oficial de Ação de Graças

Presidente Lincoln proclama feriado oficial de Ação de Graças

Em 3 de outubro de 1863, expressando gratidão pela vitória crucial do Exército da União em Gettysburg, o presidente Abraham Lincoln anunciou que a nação celebrará um feriado oficial de Ação de Graças em 26 de novembro de 1863.

O discurso, que na verdade foi escrito pelo Secretário de Estado William Seward, declarou que a quarta quinta-feira de cada novembro a partir de então seria considerada um feriado oficial de Ação de Graças nos Estados Unidos. Este anúncio remonta à época em que George Washington estava em seu primeiro mandato como o primeiro presidente em 1789 e a jovem nação americana havia surgido apenas alguns anos antes da Revolução Americana. Naquela época, George Washington convocou a celebração oficial de um “dia de ação de graças e oração pública”. Embora o Congresso tenha concordado de forma esmagadora com a sugestão de Washington, o feriado ainda não se tornou um evento anual.

LEIA MAIS: Como a 'Mãe do Dia de Ação de Graças' pressionou Abraham Lincoln para proclamar o feriado nacional

Thomas Jefferson, o terceiro presidente, sentiu que as demonstrações públicas de piedade a um poder superior, como a celebrada no Dia de Ação de Graças, eram inadequadas em uma nação baseada em parte na separação entre Igreja e Estado. Os presidentes subsequentes concordaram com ele. Na verdade, nenhuma proclamação oficial de Ação de Graças foi emitida por qualquer presidente entre 1815 e o dia em que Lincoln aproveitou a oportunidade para agradecer ao Exército da União e a Deus por uma mudança na sorte do país neste dia de 1863.

A quarta quinta-feira de novembro continuou sendo o dia anual de Ação de Graças de 1863 até 1939. Então, no final da Depressão, o presidente Franklin D. Roosevelt, na esperança de impulsionar a economia, proporcionando aos compradores e comerciantes alguns dias extras para conduzir os negócios entre o feriado de Ação de Graças e o Natal, mudou o Dia de Ação de Graças para a terceira quinta-feira de novembro. Em 1941, no entanto, Roosevelt cedeu à insistência do Congresso para que a quarta quinta-feira de novembro fosse redefinida permanentemente, sem alterações, como o feriado oficial de Ação de Graças.


Congresso Estabelece Ação de Graças

Em 28 de setembro de 1789, pouco antes de partir para o recesso, o primeiro Congresso Federal aprovou uma resolução pedindo que o presidente dos Estados Unidos recomendasse à nação um dia de ação de graças. Poucos dias depois, o presidente George Washington emitiu uma proclamação nomeando quinta-feira, 26 de novembro de 1789 como o "Dia de Publick Thanksgivin" - a primeira vez que o Dia de Ação de Graças foi celebrado sob a nova Constituição. Os presidentes subsequentes emitiram Proclamações de Ação de Graças, mas as datas e até os meses das comemorações variaram. Não foi até a Proclamação de 1863 do presidente Abraham Lincoln que o Dia de Ação de Graças foi regularmente comemorado a cada ano na última quinta-feira de novembro.

Em 1939, porém, a última quinta-feira de novembro caía no último dia do mês. Preocupado que a temporada de compras de Natal encurtada possa prejudicar a recuperação econômica, o presidente Franklin D. Roosevelt emitiu uma Proclamação Presidencial movendo o Dia de Ação de Graças para a segunda até a última quinta-feira de novembro. Como resultado da proclamação, 32 estados emitiram proclamações semelhantes, enquanto 16 estados se recusaram a aceitar a mudança e proclamaram que o Dia de Ação de Graças seria a última quinta-feira de novembro. Durante dois anos, dois dias foram celebrados como Ação de Graças - o presidente e parte da nação celebraram na segunda à última quinta-feira de novembro, enquanto o restante do país o celebrou na semana seguinte.

Para acabar com a confusão, o Congresso decidiu definir uma data fixa para o feriado. Em 6 de outubro de 1941, a Câmara aprovou uma resolução conjunta declarando a última quinta-feira de novembro como o Dia de Ação de Graças legal. O Senado, porém, alterou a resolução que estabelece o feriado como a quarta quinta-feira, o que levaria em consideração aqueles anos em que novembro tem cinco quintas-feiras. A Câmara concordou com a emenda, e o presidente Roosevelt assinou a resolução em 26 de dezembro de 1941, estabelecendo assim a quarta quinta-feira de novembro como o feriado federal do Dia de Ação de Graças.


Lincoln e Ação de Graças

O artista da Guerra Civil Alfred R. Waud esboçou esta cena do Dia de Ação de Graças em um acampamento da Guerra Civil em 1861

É final de novembro. Algumas folhas teimosas ainda grudam em seus galhos. Nós nos reunimos com nossas famílias ao redor da mesa da sala de jantar. O peru é esculpido, o molho de cranberry e a batata-doce são passados, o cheiro de torta de abóbora invade o ar. Há desfiles e jogos de futebol na televisão. Nos reunimos e agradecemos por tudo o que temos, junto com a família e amigos. Como alcançamos essa tradição do Dia de Ação de Graças? Como passamos das comemorações tradicionais da colheita para comer peru e assistir ao futebol? O Sr. Lincoln é o responsável?

Proclamação de Ação de Graças do presidente Abraham Lincoln, publicada em 15 de julho de 1863.

Proclamação de Ação de Graças de Abraham Lincoln

Em julho de 1863, a Batalha de Gettysburg resultou em mais de 50.000 baixas americanas. Apesar dessas derrotas, os Estados Unidos conquistaram uma grande vitória nesses três dias. Em 3 de outubro de 1863, com essa vitória em mente, bem como seu custo, o presidente Lincoln emitiu uma proclamação:

Portanto, convido meus concidadãos em todas as partes dos Estados Unidos, (…) a separar e observar a última quinta-feira de novembro próximo, como um dia de Ação de Graças. E eu recomendo a eles que enquanto oferecem as atribuições que são justamente devidas a Ele ..., eles também, com humilde penitência por nossa perversidade e desobediência nacional, recomendem ao seu terno cuidado todos aqueles que se tornaram viúvos, órfãos, enlutados ou sofredores no lamentável contenda civil na qual estamos inevitavelmente engajados, e imploramos fervorosamente a interposição da Mão Todo-Poderosa para curar as feridas da nação e restaurá-la assim que puder ser consistente com os propósitos Divinos para o pleno gozo da paz, harmonia, tranquilidade e União.

Esta proclamação é vista como o início do feriado nacional do Dia de Ação de Graças. Foi uma das nove proclamações semelhantes que Lincoln emitiu durante a Guerra Civil. O Sr. Lincoln emitiu a proclamação, mas não foi o seu autor. O secretário de Estado William Seward escreveu a proclamação de outubro de 1863.

Sarah Joespha Hale foi uma forte defensora do dia nacional de Ação de Graças

Sarah Josepha Hale

A proclamação do presidente Lincoln pode nunca ter sido emitida se não fosse por Sarah Josepha Hale.

A Sra. Hale é conhecida por seu trabalho como editora de Livro de Godey's Lady, e como o autor de Mary tinha um cordeirinho. A Sra. Hale também desempenhou um papel muito importante em tornar o Dia de Ação de Graças, um feriado nacional anual.

Em 1827, como editor da Boston's Ladies 'Magazine, ela começou a escrever ensaios pedindo o feriado nacional. Em 1846, agora como editor da Livro de Godey's Lady, A Sra. Hale lançou uma campanha de envio de cartas para apoiar sua causa. Finalmente, em 28 de setembro de 1863, ela escreveu diretamente ao presidente Lincoln, pedindo-lhe que usasse seus poderes para criar o feriado. Sua busca de 36 anos foi finalmente cumprida.

Tradição de Ação de Graças

A maioria dos alunos do ensino fundamental está familiarizada com a história do "Primeiro Dia de Ação de Graças". Eles descobrem que os peregrinos desembarcaram em Plymouth Rock em 1620. Para comemorar sua primeira colheita, eles fizeram uma festa convidando os índios Wampanoag, que os ajudaram a se adaptar e sobreviver, a se juntar a eles.

O Dia de Ação de Graças do Peregrino em 1621 foi na verdade apenas uma continuação de uma tradição que eles haviam experimentado na Europa. Na maioria das sociedades agrícolas, é comum ao longo da história realizar festas e cerimônias durante a época da colheita.

O "Primeiro Dia de Ação de Graças" nas Américas pode ter realmente ocorrido entre Francisco Vásquez de Coronado e os índios Teya em Palo Duro Canyon, Texas, em 23 de maio de 1541.

Pai Abraão

Pode-se dizer que sua vida incorporou o “sonho americano”. Sua história foi contada inúmeras vezes, por meio de livros, filmes, imagens estáticas e a palavra falada. Com toda a atenção dada à vida do Sr. Lincoln, às vezes fica difícil distinguir o fato da ficção.

Alguns tentaram não apenas dar crédito ao Sr. Lincoln por criar o Dia de Ação de Graças, mas também a distinção de ser o primeiro presidente a perdoar um peru reservado para o jantar do Dia de Ação de Graças. O Sr. Lincoln perdoou um peru. Era o peru de Tad Lincoln, Jack, mas estava marcado para o jantar de Natal, não o jantar de Ação de Graças.

Quem merece crédito por fazer do Dia de Ação de Graças um feriado nacional? Precisamos atribuir o crédito a uma pessoa? Em caso afirmativo, é o Sr. Lincoln? É o Sr. Seward ou Sarah Joespha Hale? Ou um dos muitos presidentes antes dele?

Lincoln emitiu nove proclamações enquanto estava no cargo pedindo dias de ação de graças. Alguns presidentes emitiram proclamações semelhantes antes de Lincoln, mas isso não foi feito de forma consistente. Todos os anos, desde a proclamação do Sr. Lincoln de 1863, os Estados Unidos comemoram o Dia de Ação de Graças. É por esta razão que o Sr. Lincoln recebe o crédito.

Presidente Truman perdoa um peru

Cronograma de Ação de Graças

1541: Francisco Vásquez de Coronado e os índios Teya fazem festa no desfiladeiro Palo Duro (Texas).

1621: Os peregrinos e os índios Wampanoag realizam uma festa na colônia de Plymouth (Massachusetts).

1777: Todas as 13 colônias realizam celebrações de ação de graças.

1789: O presidente George Washington declara 26 de novembro como um dia nacional de ação de graças.

1815: O presidente James Madison declara um dia nacional de oração e ação de graças.

1827: Sarah Josepha Hale escreve ensaios pedindo uma celebração nacional anual de ação de graças.

1846: A Sra. Hale conduz uma campanha de envio de cartas para tornar a última quinta-feira de novembro um dia nacional de ação de graças.

1863: O presidente Lincoln emite uma proclamação pedindo que a última quinta-feira de novembro seja considerada um dia de “Ação de Graças e Louvor”.

1920: O primeiro desfile de Ação de Graças é realizado na Filadélfia.

1922: A National Football League joga seus primeiros jogos no Dia de Ação de Graças

1924: A primeira Parada do Dia de Ação de Graças da Macy's é realizada na cidade de Nova York.

1934: A National Football League realiza seu primeiro jogo no Dia de Ação de Graças.

1941: Depois de alterar a data do Dia de Ação de Graças, o presidente Franklin Roosevelt restabelece a quarta quinta-feira de novembro como Dia de Ação de Graças.

1947: O presidente Harry Truman perdoa um peru marcado para o jantar de Ação de Graças na Casa Branca.

Bibliografia

Appelbaum, Diana Karter. Ação de Graças: um feriado americano, uma história americana. New York: Facts On File, 1984.

“The Collected Works of Abraham Lincoln.” http://www.quod.lib.umich.edu/l/lincoln (acessado em 18 de agosto de 2008).

Fryatt, Norma R. Sarah Josepha Hale: a vida e os tempos de uma mulher de carreira do século XIX. Nova York: Hawthorn Books, 1975.

Neely, Mark E., Jr. A Enciclopédia Abraham Lincoln. Nova York: Da Capo Press, Inc., 1982.


Ação de Graças na Casa Branca

Presidente Franklin D. Roosevelt Escultura do Dia de Ação de Graças na Turquia (Identificador de Arquivos Nacionais 6728549)

Presidente Harry S. Truman recebendo um Peru de Ação de Graças (National Archives Identifier 200138)

O presidente Dwight D. Eisenhower alimenta um peru com cranberry que recebeu da Fundação Turquia em 4 de novembro de 1954, na Casa Branca. (Arquivos Nacionais, Biblioteca Presidencial Dwight D. Eisenhower)

Apresentação de um Dia de Ação de Graças na Turquia ao Presidente John F. Kennedy (National Archives Identifier 6817150)

Apresentação anual do Dia de Ação de Graças na Turquia ao presidente Lyndon B. Johnson (National Archives Identifier 6802682)

Apresentação anual do Dia de Ação de Graças na Turquia ao presidente Richard Nixon (National Archives Identifier 194663)

Presidente Gerald R. Ford é presenteado com o Dia de Ação de Graças na Turquia pela Federação Nacional da Turquia (National Archives Identifier 6829627)

Presidente George H.W. Bush Participa da Apresentação e Perdão do Dia de Ação de Graças Nacional da Turquia (National Archives Identifier 6728222)

O presidente George W. Bush perdoa "Abóbora e noz-pecã" na cerimônia nacional de Ação de Graças com o Peru (Arquivos Nacionais, Biblioteca Presidencial George W. Bush)

O presidente Barack Obama, o presidente da Federação Nacional da Turquia, Gary Cooper, e seu filho Cole Cooper participam da cerimônia anual de perdão ao Peru no Grande Foyer da Casa Branca. (Arquivos Nacionais, Biblioteca Presidencial Barack Obama)


Lincoln & # 8217s 1863 Proclamação de Ação de Graças

Em 3 de outubro de 1863, o presidente Lincoln emitiu a Proclamação Presidencial 106. Com essa Proclamação, os Estados Unidos tinham um dia nacional de Ação de Graças, na última quinta-feira de novembro de cada ano.

Em sua Proclamação, o presidente aludiu à Guerra Civil em curso em suas palavras & # 8220 conflito civil. & # 8221 Ele fez referência aos que sofreram perdas como resultado do conflito e apelou para & # 8220 curar as feridas da nação. & # 8221

Convido, portanto, meus concidadãos em todas as partes dos Estados Unidos, e também aqueles que estão no mar e aqueles que estão peregrinando em terras estrangeiras, a se separarem e observarem a última quinta-feira de novembro próximo, como um dia de ação de graças e louvor ao nosso Pai benéfico que habita nos Céus. E eu recomendo a eles que enquanto oferecem as atribuições justamente devidas a Ele por tais liberações e bênçãos singulares, eles também, com humilde penitência por nossa perversidade e desobediência nacional, recomendem ao Seu terno cuidado todos aqueles que se tornaram viúvos, órfãos, enlutados ou sofredores na lamentável contenda civil em que estamos inevitavelmente envolvidos, e imploramos fervorosamente a interposição da Mão Todo-Poderosa para curar as feridas da nação e restaurá-la assim que seja consistente com os propósitos Divinos para o pleno gozo de paz, harmonia, tranquilidade e união.

Lincoln recebeu cartas de Sarah Josepha Hale, escritora e editora da Livro de Godey Lady & # 8217s que fazia campanha por um dia nacional de Ação de Graças desde 1846. Hale escreveu cartas para presidentes e políticos, e editoriais e artigos defendendo um dia de Ação de Graças celebrado por todos os estados no mesmo dia, acreditando que um dia unificador poderia ajudar a aliviar as tensões crescentes e divisões entre o norte e o sul.

Você pode ensinar sobre este documento e seu lugar na política nacional em nossa nova atividade online Lincoln & # 8217s 1863 Thanksgiving Proclamation. Os alunos lerão um breve resumo das origens do Dia de Ação de Graças e, em seguida, examinarão a Proclamação de Ação de Graças de 1863 do presidente Lincoln, que criou um feriado nacional.

Na atividade, os alunos também irão estudar uma gravura de 1863 por Thomas Nast e conectar os dois documentos, identificando como a gravura reflete o texto da Proclamação. Os alunos concluirão compartilhando os motivos pelos quais um dia nacional de Ação de Graças é importante para os Estados Unidos. Essa atividade, voltada para as séries de 5 a 8, pode ser usada para aprender mais sobre o feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos, incluindo como presidentes e o Congresso criam feriados nacionais ou em uma unidade em uma nação dividida e a Guerra Civil.

O presidente George Washington emitiu a primeira proclamação de Ação de Graças pelo governo nacional em 3 de outubro de 1789 - designando para & # 8220 o Povo dos Estados Unidos um dia de agradecimento público & # 8221 a ser realizado na & # 8220 quinta-feira, 26 de novembro . & # 8221

Desde Abraham Lincoln, os presidentes emitiram uma Proclamação de Ação de Graças todos os anos, designando o dia estabelecido por Lincoln & # 8211 a & # 8220 última quinta-feira de novembro & # 8221 como o dia oficial do Dia de Ação de Graças nacional. Embora não seja um requisito, as proclamações presidenciais de Ação de Graças têm servido como uma tradição duradoura, oferecendo uma visão única das várias lutas que estavam afetando os americanos nesta época do ano. É comum que cada presidente libere uma declaração todos os anos para reconhecer oficialmente a celebração do feriado em todo o país.

Em 1939, o presidente Franklin D. Roosevelt mudou o feriado para a terceira quinta-feira de novembro para prolongar a temporada de compras de Natal. Após protestos de todo o país, o Congresso estabeleceu o feriado federal do Dia de Ação de Graças, após a aprovação de uma resolução conjunta, H.J. Res. 41, pela Câmara dos Representantes em 6 de outubro de 1941, declarando a & # 8220 última quinta-feira de novembro um feriado legal. & # 8221 O Senado então aprovou uma emenda & # 8220 tornando a quarta quinta-feira de novembro um feriado legal. & # 8221

Você pode acessar mais fontes primárias relacionadas às Proclamações de Ação de Graças e ao feriado no DocsTeach.


Petiscos saborosos para sua mesa de Ação de Graças

A melhor coisa do Dia de Ação de Graças é reunir-se ao redor da mesa, encher o rosto de peru e desfrutar de uma conversa agradável e agradável com sua família. Direito? Bem, para manter a conversa feliz fluindo, aqui estão alguns fatos divertidos sobre o Dia de Ação de Graças para manter sua família distraída de tópicos explosivos (você sabe onde eles estão sua casa) enquanto digerem a segunda fatia de torta de abóbora.

Associamos o Dia de Ação de Graças aos peregrinos, mas o feriado não foi oficial até 3 de outubro de 1789, quando o presidente George Washington emitiu uma proclamação nomeando quinta-feira, 26 de novembro de 1789, como feriado oficial de & # 8220 sincero e humilde agradecimento. & # 8221 A nação então celebrou seu primeiro Dia de Ação de Graças sob sua nova Constituição.

É o sesquicentenário da declaração de Ação de Graças do presidente Lincoln. Cento e cinquenta anos atrás, ele declarou o Dia de Ação de Graças um feriado nacional e pediu que aqueles que estavam sendo gratos também & # 8220 recomendem ao Seu terno cuidado [de Deus & # 8217s] todos aqueles que se tornaram viúvas, órfãos, enlutados ou sofredores no lamentável conflito civil no qual estamos inevitavelmente envolvidos. & # 8221 O Presidente declarou que o Dia de Ação de Graças seria comemorado todos os anos na quarta quinta-feira de novembro.

O cabo de guerra entre o Dia de Ação de Graças e as compras para o feriado começou anos atrás, durante a Grande Depressão. Em 1939, o presidente Franklin D. Roosevelt mudou o feriado para a terceira quinta-feira de novembro para prolongar a temporada de compras de Natal e impulsionar a economia, que ainda estava se recuperando da Depressão. Alguns estados resolveram o problema com as próprias mãos e desafiaram a proclamação presidencial. Alguns governadores declararam 30 de novembro como Dia de Ação de Graças. E assim, dependendo de onde a pessoa morava, o Dia de Ação de Graças era celebrado nos dias 23 e 30. Isso foi revertido em 1941, quando o Congresso aprovou e o presidente Roosevelt aprovou uma resolução conjunta estabelecendo a quarta quinta-feira de novembro como o Dia de Ação de Graças.

Os perus não gostam de ser vestidos com roupas de gente, mas fazemos isso com eles de qualquer maneira.

Mesmo os presidentes não gostam de certos vegetais. Em 1977, o menu proposto para o jantar de Ação de Graças em Camp David incluía ervilhas verdes com cogumelos, mas uma nota escrita à mão afirma & # 8220Jimmy não & # 8217t gosta especialmente de ervilhas verdes. & # 8221 E a substituição sugerida de feijão verde também é restrita & # 8211 apenas fresca , & # 8220não com congelados. & # 8221

O primeiro presidente a perdoar um peru foi o presidente George H. W. Bush. Até então, os pássaros que eram apresentados ao presidente todo mês de novembro acabavam na mesa de Ação de Graças do presidente. Agora, os pássaros perdoados vivem suas vidas em uma fazenda em Leesburg, Virgínia.


Ação de Graças na Casa Branca

O Dia de Ação de Graças na Casa Branca é um feriado tranquilo para a família do presidente, com uma refeição que tradicionalmente incluía peru, ostras da Baía de Chesapeake, peixe-boi de Potomac, tartaruga da costa oriental, cranberries de Cape Cod e tortas de carne picada e abóbora.

3 de outubro, 1789: Seguindo a recomendação do Congresso, o presidente George Washington emitiu uma proclamação nomeando quinta-feira, 26 de novembro de 1789 como um dia de ação de graças pública, a primeira vez que o Dia de Ação de Graças foi celebrado sob a nova Constituição.

1846-1863: A autora e editora de New Hampshire Sara Josepha Hale, ativa em sociedades femininas benevolentes e conhecida como editora socialmente influente do Godeys Ladys Book, fez uma petição ao Congresso e a cinco presidentes Zachary Taylor, Millard Fillmore, Franklin Pierce, James Buchanan e Abraham Lincoln para criar um feriado anual nacional de Ação de Graças. Celebrar e agradecer pelas abundantes colheitas de outono era uma tradição estabelecida na Nova Inglaterra em meados do século XIX. Os governadores de cada estado emitiram proclamações de feriados que variavam em data de estado para estado e de ano para ano. A longa campanha da Sra. Hale para criar um feriado nacional unificado de Ação de Graças teve sucesso quando o presidente Abraham Lincoln reconheceu o significado simbólico da comemoração em tempos de guerra.

Proclamação do Dia de Ação de Graças de Abraham Lincoln em 3 de outubro de 1863.

Administração Nacional de Arquivos e Registros

3 de outubro, 1863: O presidente Abraham Lincoln declarou que a última quinta-feira de novembro era regularmente comemorada como o Dia de Ação de Graças. Sua proclamação do feriado de Ação de Graças implorou à nação para curar suas feridas e restaurar a paz, harmonia e tranquilidade para a nação.

1865: As origens da tradição de perdão de peru remontam à clemência de um peru do presidente Abraham Lincoln em 1863, registrada em um despacho de 1865 do repórter da Casa Branca Noah Brooks, que lembrou: "um peru vivo foi trazido para casa para o jantar de Natal, mas [Lincoln's o filho Tad] intercedeu em favor de sua vida ... o apelo [de Tad] foi admitido e a vida do peru poupada. "

29 de novembro 1877: Um grande jantar de Ação de Graças incluiu o presidente Rutherford B. Hayes e a primeira-dama Lucy Hayes, coronéis W.K. Rogers e O.L. Pruden, secretários particulares do presidente, e William H. Crook e Charles L. Chapman, escriturários executivos e porteiros com suas famílias. Em seguida, os jantares se reuniram no Salão Vermelho para brincar com as crianças e ouvir a Sra. Hayes tocar piano.

26 de outubro 1883: O presidente Chester A. Arthur proclamou: "A prevalência da saúde, a plenitude das colheitas, a estabilidade da paz e da ordem, o crescimento do sentimento fraterno, a difusão da inteligência e do aprendizado, o gozo contínuo da liberdade civil e religiosa, tudo isso e inúmeras outras bênçãos são causa de regozijo reverente. "

25 de novembro 1897: A primeira-dama Ida McKinley instruiu o chef da Casa Branca a preparar um jantar de Ação de Graças simples que incluía um peru de 26 libras de Rhode Island recheado com ostras, batatas novas de Idaho dadas aos McKinleys por um amigo, cranberry, aipo, carne picada e torta de abóbora .

27 de novembro 1902: Depois de uma vigorosa cavalgada matinal pelo campo com a primeira-dama Edith Roosevelt e um grupo de amigos, o presidente Theodore Roosevelt passou uma tarde tranquila na Casa Branca antes das 19h30. Jantar de Ação de Graças no State Dining Room. Ao ouvir que os trabalhadores que construíram o novo anexo da ala oeste não poderiam tirar o feriado por causa de sua agenda de trabalho apertada, o presidente insistiu que os homens recebessem um jantar de peru no início da tarde.

O "rei aviário" Horace Vose abasteceu a Casa Branca com perus de férias de 1873 até sua morte em 1913.

Coleção Theodore Roosevelt, Biblioteca da Harvard College

28 de novembro 1912: O presidente William Howard Taft esperava ansiosamente a chegada de uma grande torta de carne moída de sua tia favorita, Delia Torrey, de Millbury, Massachusetts. Ele chegou com bastante tempo para um jantar de Ação de Graças com um peru de Horace Vose, o "Rei Avícola" de Rhode Island, que há anos enviava perus para enfeitar a mesa presidencial de Ação de Graças.

26 de novembro 1914: O Presidente Woodrow Wilson passou o Dia de Ação de Graças em Williamstown, Massachusetts, casa de sua filha Jessie e seu marido Francis B. Sayre. Ao chegar na estação ferroviária Wilson foi saudado por alunos do Williams College e pelos primeiros flocos de neve da temporada. Na manhã do Dia de Ação de Graças, o presidente Wilson aguçou seu apetite para o jantar de Ação de Graças dando um passeio de trenó.

29 de novembro 1917: O primeiro jantar de Ação de Graças do presidente Woodrow Wilson durante a guerra foi bastante econômico: sopa de creme de ostra com fatias de torrada de peru quente com manteiga com guarnições e vegetais (embora sem cranberries) e torta de abóbora. A primeira-dama Edith Wilson queria cumprir os programas de conservação de alimentos liderados por Herbert Hoover, chefe da Administração de Alimentos dos EUA. À noite, os Wilsons compareceram ao baile da Sociedade de Socorro D.C. Auxiliar da Marinha no Rauscher, na Connecticut Avenue e L Streets, N.W. um estabelecimento de catering com um salão de baile no andar superior.

16 de novembro 1918: Cinco dias após o fim da Primeira Guerra Mundial, o Presidente Woodrow Wilson disse em sua proclamação do Dia de Ação de Graças: "Este ano temos uma causa especial e emocionante para ser gratos e nos alegrar. Deus, em Sua boa vontade, nos deu paz ... A vitória completa nos deu trouxe-nos, não apenas a paz, mas a promessa confiante de um novo dia, também, no qual a justiça substituirá a força e a intriga ciumenta entre as nações ”.

O presidente e a Sra. Coolidge preferiram agradecimentos silenciosos. Eles são vistos saindo dos cultos de Ação de Graças em 26 de novembro de 1925.

23 de novembro 1927: O presidente Calvin Coolidge fez a proclamação do Dia de Ação de Graças no rádio para uma rede de estações em todo o país antes de um programa musical noturno que culminou com a ópera de Mozart, A Flauta Mágica.

28 de novembro 1929: Os Hoover desfrutaram de um jantar tranquilo de Ação de Graças em casa com seu filho Allan, em um intervalo dos estudos na Universidade de Harvard. O presidente começou o dia se exercitando em seu "Gabinete de bolas de remédios" e frequentando a igreja com a Sra. Hoover. Foi um grande dia de esportes em Washington, quando as multidões se aglomeraram para um confronto de futebol entre a Universidade Católica e George Washington no Brookland Stadium (Catholic venceu por 48 a 6) e para o Handicap do Dia de Ação de Graças de US $ 10.000 no Bowie Race Track.

26 de novembro 1936: O presidente Franklin D. Roosevelt se tornou o primeiro presidente a celebrar o Dia de Ação de Graças fora dos Estados Unidos, quando ele jantou de Ação de Graças no Atlântico sul a bordo do USS Indianápolis a caminho da Conferência Interamericana de Paz em Buenos Aires. O peru foi criado em Utah e voado para Washington antes de uma viagem de trem para Charleston, na Carolina do Sul, e de um encontro com o presidente a bordo do navio. O presidente Roosevelt compartilhou a festa com o capitão, oficial executivo, navegador e capelão do Indianápolis.

31 de outubro, 1939: Com cinco quintas-feiras em novembro daquele ano, o presidente Franklin D. Roosevelt adiantou o Dia de Ação de Graças em uma semana para quinta-feira, 23 de novembro, para estender o período de compras para o Natal para impulsionar as vendas no varejo. O experimento foi chamado de "truque do coelho" e se mostrou impopular junto ao público e aos varejistas.

26 de dezembro 1941: O presidente Roosevelt assinou uma legislação (H.J. Res 41) designando a quarta quinta-feira de novembro como o feriado federal do Dia de Ação de Graças.

26 de novembro 1942: Depois de ler no rádio a primeira proclamação do Dia de Ação de Graças durante a guerra em 25 anos, o presidente Roosevelt liderou a nação em oração pelo retorno dos dias de paz. O cardápio do jantar da Casa Branca incluía coquetel de amêijoas, sopa clara, peru assado com recheio de castanhas e molho de cranberry, milho espanhol, salsichas pequenas e feijão, cones de batata doce, salada de toranja, torta de abóbora com queijo, café e sorvete.

O presidente Harry S. Truman recebe um peru, oferecido a ele pelo Conselho Nacional de Aves e Ovos, no Jardim das Rosas da Casa Branca em 16 de novembro de 1949.

Administração Nacional de Arquivos e Registros

15 de dezembro 1947: O presidente Harry Truman foi o primeiro presidente a receber um peru (embora no Natal) do Conselho Nacional de Aves e Ovos e da Federação Nacional do Peru. Outra apresentação de peru ao presidente Truman ocorreu em 23 de dezembro de 1947. Este peru campeão vestido de 35 libras foi um presente do Northwest Turkey Show e apresentado ao presidente pelo senador do Oregon, Wayne Morse. Embora Truman não tenha iniciado a tradição do perdão do peru, seu governo fez das apresentações do peru um evento presidencial para a mídia que continua até hoje.

26 de novembro 1953: O presidente Dwight Eisenhower e a primeira-dama Mamie Eisenhower passaram o feriado de Ação de Graças em Augusta, Geórgia, onde o presidente jogou golfe. Eles se hospedaram no recém-construído Mamie's Cabin, localizado perto do clube do Augusta National Golf Club. Na cabana de Mamie, as paredes estavam cobertas com fotos de todas as dezoito casas anteriores em que os Eisenhowers haviam se hospedado entre seu casamento em 1916 e sua mudança para a Casa Branca trinta e sete anos depois. Eles jantaram com seu filho John e sua esposa Barbara, junto com seus netos David, Barbara Anne e Susan, bem como alguns amigos.

19 de novembro 1963: Um majestoso peru branco de 55 libras com uma placa no pescoço que diz: "Boa alimentação, senhor presidente!" recebeu uma suspensão do presidente John F. Kennedy na companhia do líder da minoria, senador Everett Dirksen, para o Conselho Nacional de Aves e Ovos e da Federação Nacional da Turquia. "Vamos apenas deixar este crescer", disse o presidente, pedindo que o pássaro fosse devolvido à sua fazenda de criação na Califórnia. O secretário de imprensa da Casa Branca, Pierre Salinger, anunciou que os Kennedys passariam o feriado de Ação de Graças em Hyannis Port, Massachusetts, uma tradição trágica para o clã Kennedy, uma jornada que nunca foi empreendida.

23 de novembro 1971: A primeira-dama Pat Nixon substituiu o presidente na apresentação anual do peru de Ação de Graças, este ano dois perus vivos da Califórnia do Conselho Nacional de Aves e Ovos e da Federação Nacional de Peru. A família Nixon não comia os pássaros vivos, mas em vez disso jantou dois perus congelados prontos para cozinhar, também apresentados pelos representantes das aves e dos ovos. O presidente Richard Nixon deu a oportunidade de tirar uma foto para visitar o técnico George Allen do Washington Redskins e os jogadores do Redskins em suas instalações de treino.

17 de novembro 1979: Com a aproximação do Dia de Ação de Graças, o destino dos reféns mantidos no Irã pesou sobre o presidente e todos os americanos. O presidente Jimmy Carter solicitou orações especiais em igrejas, sinagogas e reuniões públicas, observando: "Nos unimos a pessoas de todas as religiões em todo o mundo que aderem aos princípios fundamentais dos direitos humanos e do direito internacional. Estamos unidos a eles na busca de um fim para atos de terrorismo contra pessoas inocentes. "

28 de novembro 1985: O presidente Ronald Reagan e a primeira-dama Nancy Reagan viajaram para seu rancho de 688 acres, 30 milhas ao norte de Santa Bárbara, Califórnia, para se juntar aos membros da família no feriado de Ação de Graças. Um piloto local, Pete Cottle, sobrevoou Rancho del Cielo com uma faixa vermelha e branca de 36 metros que dizia: Feliz Dia de Ação de Graças Ron e Nancy. Além do peru, a família Reagan degustou um cardápio de cranberries, molho de pão de milho, salada, purê de batata, pão de macaco, vagem com amêndoa e torta de abóbora com chantilly.

Com ativistas dos direitos dos animais fazendo piquete nas proximidades, o presidente George H.W. Bush brincou "‘ Reprimir ’,‘ mantê-lo em movimento ’ou‘ perdão ’: é tudo a mesma coisa para o peru, contanto que ele não acabe na mesa de feriados do presidente.”

Biblioteca e Museu Presidencial George Bush / NARA

17 de novembro 1989: Depois de muitos anos dando presentes e apresentações de peru à Casa Branca, o presidente George H.W. Bush perdoou oficialmente um peru sem nome de 50 libras, estabelecendo firmemente a tradição que é seguida até hoje.

28 de novembro 1996: O presidente William J. Clinton e a primeira-dama Hillary Clinton passaram o Dia de Ação de Graças com a família e amigos em Camp David. The Thanksgiving Day menu included turkey and dressing with bread stuffing, giblet gravy, mashed potatoes, sweet potatoes, green beans, cranberry mold, relish tray (pickles, celery, tomatoes, green onions, green and black olives, carrots), fruit salad, cranberry salad, pecan and pumpkin pies.

November 22, 2007: The Bush family enjoyed a quiet Thanksgiving at Camp David in Maryland and tucked into a traditional turkey dinner with jellied cranberry molds, whipped sweet potato souffle and pumpkin mousse trifle. From Camp David, President Bush called U.S. military personnel in Afghanistan, Iraq, and aboard the USS Eisenhower, extending Thanksgiving greetings and thanking the soldiers, sailors, Air Force personnel, and Marines for their service and dedication.

November 25, 2009: President Barack Obama pardoned a North Carolina turkey named Courage as daughters Sasha and Malia looked on. "I'm told Presidents Eisenhower and Johnson actually ate their turkeys, Obama observed. Today I am pleased to announce that thanks to the interventions of Malia and Sasha . . . Courage will . . . be spared this terrible and delicious fate." Courage was retired to Disneyland after leading its Thanksgiving Day parade there.


Lincoln – not Pilgrims – responsible for Thanksgiving holiday

Most Americans believe that the Thanksgiving holiday originated with New England&rsquos Pilgrims in the early autumn of 1621 when they invited the Wampanoag Indians to a feast to celebrate their first harvest.

However, the Pilgrims&rsquo Thanksgiving was actually a continuation of a European agricultural tradition in which feasts and ceremonies were held during harvest time.

In fact, President Abraham Lincoln established the holiday in 1863 as a permanent fixture on the calendar to celebrate Union victories in the Civil War and to pray to God to heal a divided nation.

Prior to 1863, the U.S. government informally recognized periodic days of thanksgiving. In 1777, for example, Congress declared a day of thanksgiving to celebrate the Continental Army&rsquos victory over the British at Saratoga. Similarly, President George Washington, in 1789, declared a day of thanksgiving and prayer to honor the new Federal Constitution. But it took the national trauma of a Civil War to make Thanksgiving a formal, annual holiday.

With the war raging in the autumn of 1863, Lincoln had very little for which to be thankful. The Union victory at Gettysburg the previous July had come at the dreadful human cost of 51,000 estimated casualties, including nearly 8,000 dead. Draft riots were breaking out in northern cities as many young men, both native and immigrant, refused to go to war. There was personal tragedy, too.

Lincoln and his wife, Mary, were still mourning the loss of their 11-year-old son, Willie, who had died of typhoid fever the year before. In addition, Mary, who was battling mental illness, created tremendous emotional angst for her husband.

Despite - or perhaps because of - the bloody carnage, civil unrest and personal tragedy, Lincoln searched for a silver lining. Sarah Josepha Hale, editor of Godey's Lady's Book, provided the necessary inspiration.

Hale, who had been campaigning for a national Thanksgiving holiday for nearly two decades, wrote to the president on September 23 and asked him to create the holiday &ldquoas a permanent American custom and institution.&rdquo

Only days after receiving Hale&rsquos letter at the White House, Lincoln asked his Secretary of State William Seward to draft a proclamation that would &ldquoset the last Thursday of November as a day of Thanksgiving and Praise.&rdquo

On October 3, the president issued the proclamation, which gave &ldquothanks and praise&rdquo to God that &ldquopeace has been preserved with all nations, order has been maintained, the laws have been respected and obeyed, and harmony has prevailed everywhere, except in the theater of military conflict.&rdquo

Unlike other wartime presidents, Lincoln did not have the arrogance to presume that God favored the Union side. Instead, he acknowledged that these &ldquogracious gifts&rdquo were given by God, who, while dealing with us in anger for our sins, hath nevertheless remembered mercy.

Lincoln also asked all Americans to express thanks to God and to &ldquocommend to His tender care all those who have become widows, orphans, mourners or sufferers in the lamentable civil strife,&rdquo to &ldquoheal the wounds of the nation,&rdquo and to restore it as soon as may be consistent with Divine purposes to the full enjoyment of peace, harmony, tranquility and Union.&rdquo

Since 1863, Thanksgiving has been observed annually in the United States. Congress insured that tradition by codifying the holiday into law in 1941, days after the U.S. entered World War II.

At a time when we are struggling with the volatile issues of race, immigration and the impeachment of a president who has divided the nation along partisan lines, Lincoln&rsquos Thanksgiving proclamation reminds us of the necessity to put aside our differences, if only for a day, and celebrate the good fortune that unites us as a people regardless of ethnicity, race or creed.

Perhaps then we can do justice to the virtuous example set by Lincoln, who urged us to act on the &ldquobetter angels of our nature.&rdquo


When was the first Thanksgiving?

Colonists from Plymouth, England, shared a feast with Native Americans in the New World in November of 1621.

It is believed the meal did not feature pies, cakes or other desserts due to dwindling supplies that the Pilgrims brought on the Mayflower, according to History.com.

Dishes were likely prepared using Native American methods.

The Mayflower had left Plymouth in September of 1620.

Now a Thanksgiving staple, it is not known if turkey was on the menu in 1621.

"Today, however, nearly 90 percent of Americans eat the bird - whether roasted, baked or deep-fried - on Thanksgiving, according to the National Turkey Federation," according to History.com.

"Other traditional foods include stuffing, mashed potatoes, cranberry sauce and pumpkin pie."


The National Archives Celebrates ThanksgivingPress Release · Tuesday, November 25, 2008

On October 3, 1789, President George Washington issued a proclamation naming Thursday, November 26, 1789 as an official holiday of "sincere and humble thanks." The nation then celebrated its first Thanksgiving under its new Constitution. On October 3, 1863, President Lincoln made the traditional Thanksgiving celebration a nationwide holiday to be commemorated each year on the fourth Thursday of November. In the midst of a bloody Civil War, President Lincoln issued a Presidential Proclamation in which he enumerated the blessings of the American people and called upon his countrymen to "set apart and observe the last Thursday of November next, as a day of "Thanksgiving."

In 1939 President Franklin D. Roosevelt moved the holiday to the third Thursday of November to lengthen the Christmas shopping season and boost the economy still recovering from the Depression. This move, which set off a national debate, was reversed in 1941 when Congress passed and President Roosevelt approved a joint house resolution establishing, by law, the fourth Thursday in November as Thanksgiving Day.

The three-page engrossed Proclamation signed by Abraham Lincoln is part of Record Group 11, General Records of the United States Government Presidential Proclamations, 1791-2000, in the custody of the National Archives. The October Proclamation (Presidential Proclamation 2373) signed by Franklin D. Roosevelt on October 31, 1939, is also part of Record Group 11 and the Presidential Proclamation series. The House Joint Resolution (H.J. Res. 41) is part of Record Group 233, Records of the U.S. House of Representatives held by the Center for Legislative Archives.

Related Photographs and Documents

See also: "The Year We Had Two Thanksgivings" - a special online exhibit about President Roosevelt's commemoration of this important day.

For Press information, contact the National Archives Public Affairs staff at (202) 357-5300.

This page was last reviewed on April 9, 2019.
Contate-nos com perguntas ou comentários.


A Thanksgiving Presidential Proclamation

A Proclamation:

Whereas it is the duty of all Nations to acknowledge the providence of Almighty God, to obey his will, to be grateful for his benefits, and humbly to implore his protection and favor, and whereas both Houses of Congress have by their joint Committee requested me “to recommend to the People of the United States a day of public thanksgiving and prayer to be observed by acknowledging with grateful hearts the many signal favors of Almighty God especially by affording them an opportunity peaceably to establish a form of government for their safety and happiness.”

So begins the first time the President of the United States issued a proclamation for Thanksgiving Day.

The statement, by President George Washington on October 3, 1789, officially gave the holiday his blessing. Though Thanksgiving was certainly not a new holiday requiring great fanfare, this particular year was special because it was the first celebrated under the new Constitution.

Though Presidential proclamations are not a Thanksgiving requirement, they serve as an enduring tradition while offering a unique look into the various struggles that were affecting Americans around this time of year. It is customary for each President to release a statement every year—in addition to the now-familiar rituals of turkey pardonings and quiet Presidential retreats to Camp David—to officially acknowledge the nationwide celebration of the holiday.

However, these proclamations also offer a unique look into the most important happenings in America at the time. What, exactly, was on the country’s mind for this Thanksgiving?

Though the Revolutionary War had concluded eight years earlier, freedom was still fresh on the people’s minds. Washington addressed their jubilant mood in his proclamation, calling for the citizens of the new United States of America to “most humbly offer . . . prayers and supplications to the great Lord and Ruler of Nations for his hand in allowing such a freedom to come to fruition” and for “protect[ing] and guid[ing] all Sovereigns and Nations (especially such as have shown kindness unto us).”

In the true spirit of Thanksgiving, he seemed determined not to let his country forget their good fortune and those responsible for bringing it about.

Also, as the Constitution had just been signed and ratified replacing the Articles of Confederation, the President called for faith and trust in the new governing laws and bodies of the United States. He asked that the country be thankful for a “national government [that was] a blessing to all the people, by constantly being a Government of wise, just, and constitutional laws, discreetly and faithfully executed and obeyed.”

Although the past two centuries have been filled with Thanksgiving proclamations like this one, two phrases stand out from 1789.

First, many Presidential proclamations have been signed “at the City of Washington,” but this one was signed by Washington: ”Given under my hand at the City of New York.” It was likely signed at Federal Hall in New York City, then the capital since Washington, DC, and the White House had yet been established and built.

Also, as our country was very much in its infancy, the President did not attach the years since independence to the proclamation date, as is now tradition. Washington simply finishes with, “the third day of October in the year of our Lord 1789.” Such a young country did not yet know the hope it would give to citizens of the world, and the prayers of Thanksgiving they would offer up in return in the decades to come.


Assista o vídeo: ELA NÃO SABIA QUE ESTAVA SENDO GRAVADA