O que esses símbolos e anotações em textos medievais e relacionados significam?

O que esses símbolos e anotações em textos medievais e relacionados significam?

Olhando para alguns textos e não tenho certeza do que esses símbolos significam nesses poucos casos. Imaginando se alguém poderia simplesmente listar bem rápido qual é o propósito dos símbolos ou padrões (como os padrões de espaçamento), e se eles podem ser removidos ou alterados para outra coisa.

  1. Objetivo do espaçamento e linhas aqui

    Verbum supernum prodiens, Nec Patris linquens dexteram, Ad opus suum exiens, Venit advitae vesperam.
  2. Significado de",", eneste, e colchetes angulares aqui também:

    nas byrnadh næfre. "Hleothrode dha hearogeong cyning:" Ne dhis ne dagadh eastan, ne her draca ne fleogedh, ne her dhisse healle hornas ne byrnadh. 5 Ac seu quarto beradh; fugelas singadh, gylledh græghama, gudhwudu hlynnedh, scyld scefte oncwydh. Nu scynedh thes mona wadhol sob wolcnum. Nu arisadh weadæda dhe dhisne folces nidh fremman willadh. 10 Ac onwacnigeadh nu, wigend mine, habbadh eowre linda, hicgeath on ellen, winnadh on orde, wesadh onmode! "

  3. O significado dos colchetes[foo]aqui e aqui:

    ... [b] et thuyhte th ... [Th] o pisou no velho ...

  4. Significado dos colchetes angulares<e>aqui:

    ni nohheinig noh sunna ni s c,

  5. Significado das barras e espaçamento aqui (o recuo paraKyriee relacionados, e as barras):

    U nsar trohtîn hât farsalt sancte pêtre giuualt, daz he mac ginerian | ze imo dingênten man. Kyrie Eleyson. christe eleyson. |
  6. As barras aqui (talvez signifiquem meias-linhas, não tenho certeza):

    De los sos ojos | tan fuerte mientre lorando

Para (1), estou me perguntando se o espaçamento precisa ser assim (além de se tem uma finalidade). Se o espaçamento não precisa ser exatamente assim, me pergunto se eu poderia alterá-lo para ser como eu quiser (como apenas o lado esquerdo plano, sem indentação ímpar / par).

Para colchetes como[foo], imaginando se eles estão inserindo texto no documento (aquele que carregou este texto), ou se isso é outra coisa.

Não tenho ideia do que os outros tipos de colchetes gostam<e"são para.


Esta pergunta ilustra um problema perene com a transcrição de manuscritos: não existe um único livro de normas que seja universalmente aplicado! Para citar David L. Vander Meulen e G. Thomas Tanselle:

Nunca houve uma convenção padrão única para a transcrição de textos manuscritos, e não é provável que haja uma, dada a grande variedade de complicações textuais que os manuscritos - de todos os tempos e lugares - podem apresentar.

Em geral, instituições particulares têm seus próprios padrões de transcrição. Nós apenas temos que nos acostumar com eles. Para quem é novo no assunto, geralmente recomendo a leitura de todos os manuais de transcrição que puderem encontrar. Freqüentemente, eles incluirão regras e orientações muito diferentes dos padrões que nos ensinaram, e darão algumas dicas sobre a variedade que encontramos no 'mundo real'!


  1. Este texto é extraído de um hino, Verbum Supernum Prodiens, de Tomás de Aquino

O recuo que você notou:

Verbum supernum prodiens, Nec Patris linquens dexteram, Ad opus suum exiens, Venit advitae vesperam.

indica que, para fins de seqüência, a 2ª e a 4ª linhas são continuações da 1ª e 3ª respectivamente. Assim, as linhas 1 e 2 formam um 'par de versos', as linhas 3 e 4 formam um'par de versos', etc.

Este formato ainda é ocasionalmente usado em traduções modernas para o inglês, portanto, para o versículo acima, seria:

Prosseguindo a Palavra de Deus, Não deixando o lado do Pai, E indo para a Sua obra na terra, Chegou finalmente ao entardecer da vida.

  1. Os colchetes angulares duplos,"e", simplesmente indique a fala.

Os colchetes simples emindicam que a primeira parte da palavra estava faltando, e que 'hornas'é a reconstrução postulada.

No caso do Fragmento de Finnsburg, isso é especialmente problemático, uma vez que o manuscrito original foi perdido, e tudo o que temos hoje é uma transcrição feita em 1705. Para saber mais sobre isso, você pode encontrar Finnsburh: Fragments of Fact, Fiction, and História de Kayse Schmucker de interesse.

Para um texto e uma tradução totalmente marcados com diacrítico, consulte o Fragmento de Finnsburh em Beowulf em Steorarume.


  1. Os colchetes têm várias funções na transcrição de manuscritos. Aqui, eles parecem ser usados ​​para se referir a letras ou palavras que foram inseridas na transcrição. Isso pode ocorrer por vários motivos, por exemplo, porque uma abreviatura bem conhecida no original foi expandida ou porque parece que o escriba original esqueceu uma carta.

Para a Coruja e o Nightingale, se olharmos para o texto do manuscrito original, as razões para o uso de colchetes neste caso tornam-se claras:

Ich estava em um sumere dale, em um suthe diyhele hale, iherde ich holde grete conto, um hule e um niyhtingale. Essa trança era rígida & forte & forte, soma wile suave & lud entre; an aither ayhen other sval, & deixe que [vue] le mod ut al. e seide of otheres custe that allre-worste that hi wuste: & hure & hure of othere [s] songe

O primeiro expande a abreviatura na oitava linha, e o segundo fornece a letra 's' que parece ter sido omitida pelo escriba original.


  1. Isto é da Oração Wessobrunn

  • Fonte da imagem Wikimedia

Conforme observado no artigo da Wikipedia, parece, a partir do contexto, que a palavra 'Sterro'(' estrela ') foi omitido pelo escriba. Os colchetes angulares são usados ​​aqui para indicar que o transcritor corrigiu o erro (presumido) do escriba.


  1. O recuo no Kyrie eleison indica o que podemos chamar de 'coro', que na liturgia moderna pode estar na forma de um 'chamado e resposta'

Assim:

Sacerdote: Kyrie eleison (Senhor, tenha piedade) Todos: Christe eleison (Cristo, tenha piedade)

As barras verticais na transcrição são usadas, corretamente, para indicar o início das linhas do manuscrito original (que podem ser vistas acima da transcrição desse exemplo). No entanto, eles parecem se afastar do padrão aqui, pois não estão usando uma linha vertical dupla para indicar a quinta linha.


  1. Este parece ser um bom exemplo de como os transcritores descartaram completamente as Convenções de Leiden sobre transcrição. A transcrição é do Cantar de Mio Cid.

As barras verticais não indicam o início de uma nova linha no manuscrito original, como podemos ver quando examinamos o manuscrito original:

  • Fonte da imagem Wikimedia

Comparando com a transcrição fornecida:

De los sos ojos | tan fuerte mientre lorando tornava la cabeça | você estava los catando. Vio puertas abiertas | e uços sin cañados, alcandaras vazias | sin pielles e sin mantos e sin falcones e sin adtores mudados. Sospiro mio Çid | ca mucho avie grandes cuidados. Ffablo mio Çid | bien e tan mesurado: "¡Grado a ti, señor, | padre que estas en alto! ¡Esto me an buelto | mios enemigos malos!"

Parece que sua suposição aqui está correta e as barras verticais estão sendo usadas neste caso para indicar meias-linhas no poema.


Muitas publicações incluirão uma breve explicação das convenções adotadas na transcrição de manuscritos ou papiros. A maioria estará em conformidade - em maior ou menor grau - com o Sistema de Leiden, estabelecido na década de 1930.

Infelizmente, muitas transcrições disponíveis online não incluem nenhuma chave para os símbolos e convenções que estão sendo usados. Nesses casos, você apenas precisa usar seu bom senso. No entanto, ficará mais fácil à medida que você ganha mais experiência.


No que diz respeito à alteração dos símbolos e convenções usados, sugiro:

  • Se eles já cumprem razoavelmente bem com o Sistema Leiden, deixe-os como estão.
  • Se eles forem significativamente diferentes do Sistema Leiden, considere modificá-los para que estejam em conformidade com o Sistema Leiden. Afinal, o objetivo é que outras pessoas leiam e entendam suas transcrições, portanto, é altamente desejável estar em conformidade com um sistema "padrão".

A maioria dos símbolos que você encontrará dessa maneira são baseados em convenções de edição mais ou menos aceitas pela tradição de uso. A maioria deles seguirá a convenção de Leiden para símbolos ou terá que ser explicada em algum lugar nas notas de rodapé ou glossários das edições que você ler. Eles são usados ​​quase universalmente para a transcrição, descrição, edições críticas ou citações de textos antigos, medievais ou mesmo modernos, inscrições e assim por diante.

Como @sempaiscuba cobre os exemplos, aqui estão algumas das siglas mais importantes para este sistema:

[] Os colchetes indicam que a seção entre colchetes na inscrição original está danificada e não está mais legível, ou pelo menos muito difícil de ler, e foi complementada pelo editor para a publicação impressa. Os caracteres restaurados são reproduções do original ilegível que foram classificados como prováveis ​​com um grau de probabilidade próximo da certeza. […] Os pontos na linha indicam o número determinável de letras não reconstrutíveis (neste caso três). [- -] linhas horizontais indicam um número indeterminável de letras não reconstrutíveis. () Os colchetes indicam que a parte entre colchetes de uma palavra foi omitida no original, ou seja, o termo foi abreviado. O conteúdo entre esses colchetes completa a abreviatura usada. Exemplo: P (ontifex) M (aximus) significa que em vez do Pontifex Maximus escrito apenas PM pode ser encontrado na inscrição original. Exemplo para o uso em uma tradução: Smikylion (filho) de Eucalides. (Em inscrições antigas, o nome de uma pessoa é frequentemente seguido pelo nome de seu pai no genitivo e sem uma explicação mais precisa da relação, então isso deve ser complementado na tradução. <> Colchetes indicam que o editor tem corrigiu um erro na inscrição original (por exemplo, letras omitidas inadvertidamente, erros de grafia ou um número incorreto). Às vezes, a parte errada do texto é simplesmente substituída pela correção (ou seja, "Csar ", embora o original diga erroneamente" Ceasar ") - então, uma referência à grafia original deve ser feita no comentário da edição. Às vezes, no entanto, a grafia errada e a corrigida são indicadas entre colchetes angulares, por exemplo, de acordo com para o formato "Csar ". [12] {} Os colchetes circundam o texto que o editor exclui como supérfluo (por exemplo, palavras ou partes de palavras que foram escritas acidentalmente duas vezes). ạḅc̣ Um ponto abaixo da letra indica que a letra original foi apenas parcialmente preservada e que não está claro a partir das linhas ainda visíveis (mesmo que possa ser reconstruído com grande certeza devido às letras precedentes e / ou seguintes) ... os pontos na linha indicam o número de letras não reconstrutíveis assumidas (gregas e papirológicas). +++ sinais de mais na linha indicam o número de letras não reconstrutíveis assumidas (romano) [[abc]] Na nomenclatura científica, o aperto duplo de uma seção de texto é denominado raspar, o que significa que a seção fechada foi intencionalmente removido de uma inscrição nos tempos antigos. As razões para isso são principalmente de motivação política: por exemplo, o imperador romano Caracalla teve o nome de seu irmão e co-regente Geta apagado das inscrições após ele ter assassinado m, que ambos nomearam como governantes iguais. Essa medida é chamada de Damnatio memoriae. Se, apesar de raspar, partes de uma carta ainda são reconhecíveis, um ponto é colocado sob elas: [[ạḅc̣]] v vv vacat para "vazio" indica uma posição não marcada na testemunha de texto. O tamanho do campo em branco pode ser indicado pelo número de letras que poderiam ter ficado de acordo com o tamanho da fonte. Se o editor suspeitar de um local não marcado, que no entanto não pode ser provado ou não pode ser provado com certeza devido ao estado de preservação do original, isso pode ser indicado por [vacat] ou ṿ (ou seja, por colchetes ou um ponto abaixo da letra ) | As linhas verticais marcam o início de uma linha se o texto não for impresso com as quebras de linha originais. || Traços duplos verticais marcam o início de cada quinta linha por uma questão de clareza ... Letras ilegíveis, não restauradas pelo editor (extensão conhecida ou aproximadamente conhecida, um ponto por letra). Exemplo acima: três letras ilegíveis. Números específicos entre dois traços usados ​​para áreas estendidas, em vez de pontos individuais por letra. No último caso, a aproximação, se houver, pode ser expressa com o sinal de mais-menos substituindo o primeiro travessão. […] Letras ausentes, não restauradas pelo editor (extensão conhecida ou aproximadamente conhecida, um ponto por letra). Exemplo acima: três letras faltando. Números específicos entre dois traços usados ​​para áreas estendidas, em vez de pontos individuais por letra. No último caso, a aproximação, se houver, pode ser expressa com o sinal de mais-menos substituindo o primeiro travessão. [ou [] ou] Letras ausentes, não restauradas pelo editor, extensão desconhecida. [abc] Cartas ausentes, restauradas pelo editor. ⟨⟩ Ou *** Letras omitidas erroneamente pelo texto, não restauradas pelo editor. ⟨Abc⟩ Letras omitidas erroneamente pelo texto, restauradas pelo editor. a (bc) Abreviatura no texto, ampliada pelo editor. A expansão duvidosa deve ser expressa com um ponto de interrogação antes do parêntese de fechamento: a (bc?). {abc} Cartas consideradas errôneas e supérfluas pelo editor. Se ilegível, uma letra individual é expressa por um único ponto cada. Letras duvidosas são marcadas por um ponto subscrito. ⟦Abc⟧ Rasura: uma exclusão que pode ser restaurada. Neste exemplo, as letras abc foram excluídas, mas ainda são legíveis ou podem ser restauradas do contexto. As exclusões também podem ser especificadas no aparelho.  abc / Adição interlinear de letras no próprio texto. Neste exemplo, as letras abc foram adicionadas entre as linhas. Essas siglas são usadas quando o texto interlinear é difícil de representar como tal tipograficamente.

Se você já viu essas chaves em seu computador: <>, [] ou & lt & gt, então você sabe onde todos os tipos de colchetes são, bom trabalho!

A palavra suporte está relacionado com os franceses Braguette do nome para armadura de taco, que é literalmente a peça em torno do & # 8230 uh, bacalhau que tem semelhanças com as características arquitetônicas do suporte, entre outras coisas. De acordo com o Etymonline, & # 8220O colchete tipográfico (& # 8216 marcas usadas para incluir uma nota, referência, explicação, etc., & # 8217 anteriormente chamado crotchets ) foi registrado pela primeira vez em 1750, assim chamado por sua semelhança com suportes duplos na carpintaria (um sentido atestado desde 1610). & # 8221 Por volta de 1880, colchetes também passou a significar & # 8220 um grupo agrupado entre parênteses como tendo a mesma posição em algum sistema graduado. & # 8221 Portanto, isso (agrupamento com outros) é provavelmente de onde vieram as chaves esportivas. Aha!

O que são colchetes []?

Colchetes ([]) são usados ​​entre parênteses para denotar algo subordinado à oração subordinada. Aqui está um exemplo da 13ª edição do Chicago Manual of Style: “Durante uma prolongada visita à Austrália, Gleuk e um assistente (James Green, que mais tarde faria seu próprio estudo sobre um pássaro que não voa [o kiwi] na Nova Zelândia) passaram vários meses difíceis observando o comportamento de sobrevivência de casuares e emas. ”

O que são chaves <>?

Estes <> têm uma variedade de nomes que são chamados suspensórios, colchetes, ou colchetes ondulados. Normalmente esses tipos de colchetes são usados ​​para listas, mas online também significam abraço na comunicação eletrônica.

O que são colchetes angulares & lt & gt ou ? ??

O último símbolo confuso ,? ?, é chamado de suporte angular ou o chevron. A palavra originalmente significava viga em francês antigo e provavelmente veio do termo latino alcaparra, significando & # 8220goat. & # 8221 O símbolo se parece um pouco com as patas traseiras desses animais, certo? Hoje, é mais frequentemente usado em problemas matemáticos complexos. Parênteses, colchetes e divisas também são usados ​​em ciência da computação e programação.


Aspersão

Até hoje, a palavra “asterisco” carrega consigo alguns significados adicionais derivados de sua história como um indicador para conteúdo adicional importante. É usado em publicidade, para indicar a presença de letras pequenas que você provavelmente deveria ler - mas talvez eles esperem que não. No jornalismo americano, muitas vezes dominado pelo esporte e pela política, a palavra "asterisco" passou a significar "não, é melhor você ler mais sobre isso antes de decidir o que pensar". Foi notoriamente aplicado a George W Bush após sua disputada “vitória” * na eleição presidencial dos Estados Unidos de 2000, quando o cartunista Doonesbury começou a retratar Bush como um asterisco literal.

No beisebol, sempre se fala em asteriscos comparados às conquistas registradas dos jogadores. De acordo com o New York Times, o US Tennis Open deste ano & # 402020 & # 41 deve ser chamado de "The Asterisk Open", por causa dos muitos jogadores que não puderam comparecer e, portanto, o vencedor não é o melhor jogador. [3]

Outro famoso portador do asterisco insinuante é o traficante de drogas e ciclista Lance Armstrong.

Portanto, a própria palavra adquiriu um certo cheiro.


Asteriscos para indicar omissões

Muitas publicações e histórias incluem material citado para adicionar credibilidade a uma peça e aumentar o interesse. Mas as pessoas nem sempre falam no inglês da Rainha, muitas vezes xingam e usam palavrões, desafiando os escritores quando os editores proíbem o uso de linguagem obscena - como a maioria faz. Digite o asterisco, que geralmente é usado para indicar letras que foram omitidas em palavrões e linguagem imprópria, como s ** t, onde a marca substitui duas letras em um termo que se refere a excrementos.

MediaMonkey em "Nick Knowles's Twitter SOS", um pequeno artigo publicado em O guardião dá este exemplo:

O travessão foi usado para indicar a omissão de letras de palavras até o início da década de 1950, disse Eric Partridge em "Você tem um ponto lá: um guia para pontuação e seus aliados." Mas, em meados do século 20, os asteriscos geralmente substituíam o travessão em quase todos esses usos.


Significado de XOXO: O que significa XOXO e onde ele se originou?

XOXO. Você já viu essa frase ser usada inúmeras vezes para representar "abraços e beijos" ou, mais literalmente, "beijar, abraçar, beijar, abraçar". Mas o que significa XOXO e por que Xs e Os se traduzem em gestos de amor e carinho? E, se você está pensando em incorporar os doces símbolos do XOXO em seu casamento, quais são algumas formas criativas de fazer isso?

O que significa XOXO?

A resposta curta para "Por que XO significa abraços e beijos?" é que não sabemos. De acordo com Marcel Denasi, professor de semiótica e antropologia linguística da Universidade de Toronto e autor de A História do Beijo: O Nascimento da Cultura Popular, ninguém manteve um registro escrito de porque os símbolos de XOXO foram usados ​​eles simplesmente começaram a usá-los na escrita de cartas.

O que XOXO realmente significa, historicamente falando

Novamente, não há uma resposta clara ou uma história fácil de seguir para isso. Acredita-se que o X venha da Idade Média, quando as pessoas costumavam assinar cartas dessa forma. X foi usado no lugar de uma assinatura porque muitas pessoas não sabiam ler ou escrever. Também era um símbolo cristão, destinado a representar a cruz e usado como um substituto para a palavra "Cristo", por meio da letra grega "Chi" que se parece com um X. A teoria é que, porque há um longo história de cristãos beijando estátuas de Cristo ou beijando a Bíblia, o X pode ter originalmente significado "sele-o com um beijo". Outra teoria é que o X parece duas pessoas se beijando, e foi assim que passou a significar "beijo". Independentemente disso, a partir de meados de 1800, o significado de X foi solidificado como "beijo".

Enquanto isso, acredita-se que o O tenha vindo de imigrantes judeus que, também incapazes de ler ou escrever, chegaram à América do Norte e se recusaram a assinar documentos com o X associado ao cristão. Em vez disso, eles assinaram com um O. pule para o significado de "abraço" simplesmente como um oposto de X, que já significava "beijo". O O também se parece com duas pessoas se abraçando de cima, então, se estamos seguindo a teoria das aparências, isso funciona muito bem. Independentemente da história do que XOXO realmente significa, estamos todos familiarizados com o significado coloquial agora!

X significa beijos

Denasi, que estudou a história do beijo para seu livro, concorda que o X em XOXO tem sido usado em correspondência desde os tempos medievais. Mas o que X realmente significa? Embora inicialmente o X pretendesse simbolizar "Cristo", em algum lugar ao longo do caminho, ele evoluiu para uma forma de assinar com um beijo.

Talvez, diz Denasi, isso tenha refletido uma mudança cultural para dar maior importância ao amor e ao afeto. “As mulheres daquela época queriam romper com a ideia de serem dadas em casamento”, diz Denasi. "As mulheres queriam ter uma palavra a dizer sobre o seu próprio destino e mudar as coisas." Assim, como se apaixonar antes de se casar se tornou mais comum, o mesmo aconteceu com expressar esse amor em uma carta.

Como as pessoas seguiram a tradição e assinaram e selaram suas cartas com um X, isso acabou significando que elas estavam selando-as com um beijo, talvez até beijando fisicamente o pergaminho ou papel depois de selados, acredita Denasi.

Hoje, é mais provável que as pessoas pensem no X como um símbolo da forma como a boca de uma pessoa se fecha quando ela se beija ou como é a aparência de duas pessoas se beijando de cima.

O significa abraços

Assim, como o X e o O eram fáceis de escrever, mesmo para pessoas que não aprenderam a ler, Denasi observa que o jogo da velha, um jogo que usa os símbolos X e O, se desenvolveu no período medieval como bem, esses dois símbolos estão conectados há muito tempo.

Ainda assim, não há muitas evidências de que o O foi usado para simbolizar o abraço por escrito antes de 1960, de acordo com o Washington Post.

Independentemente de como começou, o O pode ser visto como um símbolo visual de um abraço. "Se você entrar em um círculo, é uma forma de envolver", diz Denasi. “Você está dizendo ao abraçar alguém: 'Estou envolvendo a aura e a pessoa física que você'. E você está realmente fazendo um círculo com os braços. "

Variações de XOXO (ou maneiras de usar XOXO)

Hoje, o XOXO é usado com tanta frequência que o significado do XOXO se tornou mais nuançado. Usamos muitas variações e substitutos do XOXO - seja em uma carta escrita, e-mail, texto ou chat.

  • XOXO: Quando usamos Xs e Os duplos, é como se estivéssemos cobrindo a outra pessoa com abraços e beijos. Normalmente, o XOXO é reservado para um parceiro romântico, mas ocasionalmente, pode ser apropriado usar o XOXO com um amigo ou membro da família em um texto ou nota.
  • XO: O que significa um XO simples? Bem, é uma maneira mais rápida de expressar um beijo e um abraço, para que você possa se dirigir a uma pessoa importante, um amigo querido ou um membro da família.
  • X: Apenas um beijo, um único X pode ser considerado romântico, mas também pode ser usado para assinar uma carta para qualquer pessoa que você normalmente beijaria na bochecha ao cumprimentar.
  • SWAK: Durante a Primeira Guerra Mundial, soldados e marinheiros costumavam assinar cartas de amor com este acrônimo, que significa "selado com um beijo".
  • Emojis de beijo e abraço: Hoje, temos emojis de beijo e coração para expressar afeto aos nossos entes queridos por texto e chat.

Mesmo com todas essas formas diferentes de mandar beijos e abraços, o XOXO perdura. “Quando certas tradições se estabelecem e têm significado para nós, elas não irão embora”, diz Denasi. "Símbolos como o XOXO permanecem. Eles são transmitidos de geração em geração. Se não for preciso muito esforço para reaproveitá-lo, ele continuará a ser usado. Em minha opinião, símbolos como o XOXO nunca desaparecerão enquanto tivermos essa emoção."

Ideias para casamentos XOXO

O que é o XOXO para nós agora? É uma expressão de amor. Com seu sentimento de afeto físico e raízes no amor conjugal, XOXO faz um doce tema para incorporar em um casamento.

“XOXO é uma mensagem universalmente compreendida de abraços e beijos! Não consigo pensar em um lugar mais apropriado do que um casamento, onde a sala é preenchida com amor e apoio incondicional, para compartilhar os XOXOs”, diz Jenny Orsini, proprietária e criativa diretora de Eventos Jenny Orsini. E há muitas maneiras de fazer isso.

Convites de casamento XOXO

Envie uma carta de amor aos seus convidados gravando ou carimbando convites com um design gráfico XOXO.

“Se você vai incorporar um gráfico XOXO em seu casamento, o segredo é garantir que ele seja legível, claro, distinto e que transmita seu ponto de vista”, diz Orsini. "Se você puder contratar um designer gráfico profissional, definitivamente recomendo seguir esse caminho. Um designer profissional pode garantir que o logotipo XOXO seja perfeito para o seu estilo e pode ajudá-lo a criar um visual coeso durante todo o evento."

Ao enviar Xs e Os em seu convite, você está definindo o tom para um evento caloroso e acolhedor cheio de amor. Depois de ter um símbolo XOXO, você pode carregá-lo em outras peças de papelaria de casamento, como o menu, cartões de mesa e cartões de acompanhantes.

Hora do coquetel XOXO

Xs e Os funcionam muito bem na hora do coquetel, que pode ter uma sensação íntima e social, diz Sarah Chancey, fundadora e líder de criação da empresa de design e planejamento de casamentos Chancey Charm. “Ao usar Xs e Os, você está lembrando seus convidados de relaxar, se divertir e talvez até mesmo fazer uma pequena conexão por conta própria”, diz ela.

Sirva um coquetel exclusivo com cubos de gelo em formato de X e O, decorados com palitos de sorvete adornados com XOXO, sugere Chancey. Guardanapos de coquetel também podem ser estampados com XOXO. Prepare uma mesa onde os hóspedes possam encontrar os números das mesas em cartas com formato de X ou O.

Bolo De Casamento XOXO

Um bolo de casamento é a peça de resistência da recepção de casamento - e um lugar ideal para incorporar o XOXO. Para um visual elegante, coroe sua sobremesa com um enfeite de bolo XOXO brilhante e metálico. Se você quiser um toque mais moderno, peça ao seu designer para criar um padrão XOXO em cobertura de fondant e cobrir o bolo com ele, diz Orsini.

Se você preferir uma barra de sobremesa em vez de um bolo de casamento clássico, Chancey sugere cupcakes adornados com X e O, que não são apenas doces, mas adicionam um elemento de decoração.

Decoração de casamento XOXO

XOXO pode ser usado em toda a recepção. Procure Xs e Os de mesa de metal para realçar sua mesa ou bar. Apenas saiba que você não precisa de um X e um O em todos os lugares para que os convidados os notem.

“Se você vai incorporar o XOXO em seu casamento, não sobrecarregue seus convidados”, diz Orsini. "Demais de uma coisa boa nunca é o caminho a percorrer." Seja moderado e ponderado sobre suas escolhas de XOXO.

Fotos XOXO

Balões X e O e adereços XOXO de mão criam lindas oportunidades de fotos para sua festa de noiva ou para convidados.

“Pense em montar uma cabine fotográfica com placas portáteis XOXO”, sugere Orsini. "Apenas certifique-se de que você é consistente com a imagem. Criar esse sentimento coeso dá ao seu casamento uma marca única e os convidados realmente notam essa atenção aos detalhes."


Lista de abreviações de mensagens de texto

A seguir está uma lista de listas de abreviações de mensagens de texto comumente usadas. Percorra a lista para descobrir o que significam as siglas de certas palavras. Você pode ler mais sobre abreviações de mensagens de texto.

Abreviatura do Texto Significado
? 4U Pergunta para você
2bctnd continua
2g4u bom demais para você
218 Muito tarde
2MORO Amanhã
2NITE Esta noite
2WIMC também a quem possa interessar
4e Para sempre
4yeo apenas para seus olhos
AAM de fato
AB! Ah, abençoe!
Adctd2uv viciado em amor
Até onde sei até onde sei
AFK longe do teclado
AML todo meu amor
AMOF De fato
o mais cedo possível O mais breve possível
ASFAIC No que me diz respeito
ASL idade, sexo, localização
ATW no fim de semana
AYDY Você já terminou
AYS Você está falando sério
B4N Adeus por agora
BCNU Estar vendo você
BFF Melhores amigos para sempre
BRB Volto logo
por falar nisso A propósito
C & ampG Rir e sorrir
Cm Liga para mim
COS Porque
CU vê você
CUL até logo
DQMOT Não me cite sobre isso
DUR? não lembra?
EOD fim de discussão
EOL fim da palestra
F2F cara a cara
F2T livre para falar
FC dedos cruzados
FYEO apenas para seus olhos
Para sua informação para a sua informação
G9 gênio
GF Amiga
BF Namorado
GG bom jogo
GMTA mentes brilhantes pensam igual
ÓTIMO Excelente
GTG Tenho que ir
GTSY ótimo ver você
H & ampK abraços e beijos
H8 ódio
HAGN Tenha uma boa noite
MÃO tenha um bom dia
IC eu vejo
Sei lá Eu não sei
ILY Eu amo Você
IMO Na minha opinião
J4F apenas por diversão
J4K só para beijos
JK Estou brincando
KC mantenha a calma
KIT mantenha contato
L8R Mais tarde
lol Rir em voz alta
LTG Gosto de ir
LTK gostaria de vir
LYLAS Te amo como uma irmã
A3 A qualquer hora, em qualquer lugar, em qualquer lugar
M8 amigo
MGB Que deus abençoe
MYOB não é da tua conta
NMH Não muito aqui
NO1 ninguém
NP Sem problemas ou pais intrometidos
NSA Sem condições
NVM Esquece
O4U Apenas para você
OIC Oh, eu vejo
Oh meu Deus oh meu Deus
OXOX Abraços e beijos
PCM por favor me ligue
PLMK Por favor deixe-me saber
POV Ponto de vista
PPL pessoas
RBTL Ler nas entrelinhas
RMB tocar meu sino
ROFL Rolando no chão rindo
desculpa desculpa
ESTATÍSTICAS seu sexo e idade
STBY É chato ser você
T + pense positivo
T2ul Falo com você mais tarde
TMB Me mande uma mensagem de volta
TMI Muita informação
TTYL Falo com você mais tarde
TYVM Muito obrigado
U4E para sempre teu
UFB Incrivelmente crível
URH Você é quente
URTO você é o único
W4U Esperando Por Você
WAN2 quer
NÓS G Sorriso do mal perverso
WRT em relação a
WTG caminho a percorrer
WUF De onde você é
WWYC Escreva quando puder
WYWH Queria que você estivesse aqui
Y2K Você é muito gentil
YBS você vai se arrepender
YT Você aí
ZZZZ Dormindo ou entediado

Você gostaria de escrever para nós? Bem, estamos procurando bons escritores que queiram espalhar a palavra. Entre em contato conosco e conversaremos.

Você também pode usar os símbolos de texto acima para o iPhone. Espero que a lista de símbolos de mensagens de texto acima ajude você a entender e enviar algumas abreviações legais enquanto envia mensagens de texto e economiza seu tempo ao enviar mensagens.

Postagens Relacionadas

Os símbolos de mensagens de texto são a maneira mais simples e econômica de expressar o estado de espírito de uma pessoa. Para a maioria de nós, nossas mensagens parecem incompletas sem esses emoticons. Continue lendo para & hellip

Você quer aprender a usar símbolos de mensagens de texto para o Facebook? Neste artigo, vamos dizer-lhe o que significam os diferentes símbolos e como você pode criar essas mensagens de texto e

Com o aumento do uso de telefones celulares e sites de redes sociais, todos precisamos estar cientes dos atalhos de mensagens de texto. Mais e mais pessoas estão usando símbolos no & hellip


O que é um símbolo?

Um símbolo é um objeto que representa outra coisa e, na verdade, faz parte do seu dia a dia, não apenas uma peça literária. Você pode não perceber, mas encontra milhões de símbolos em sua vida cotidiana, como:

  • Semáforos: semáforo vermelho significa pare, verde significa vá e amarelo significa cuidado
  • A seta significa "por aqui"
  • Uma cruz representa a religião, ou mais especificamente, o Cristianismo
  • Lâmpada significa "nova ideia"
  • Os numerais 1 e 0, juntos, significam dez
  • Um coração significa amor
  • Logos representam marcas, como o Nike swoosh ou Mac's Apple
  • Até mesmo nossos nomes são símbolos que nos representam como seres humanos individuais

Os símbolos podem ter um significado inesperado, mas após uma investigação mais aprofundada, podem fazer muito sentido. Por exemplo, se você ler uma cena que envolve um gambá espreitando ao fundo, pode se perguntar o que aquele animal poderia significar. Mas, se há algo tão ruim nos trabalhos de sua história, como um rompimento ou um pouco de azar, o gambá começa a trazer à tona imagens de algo que não é nada agradável de experimentar. Portanto, o simbolismo.

Para entender melhor o simbolismo, você pode se perguntar o que uma variedade de objetos do cotidiano representariam se fossem usados ​​em uma obra literária. Por exemplo, pense sobre emoções ou pensamentos que vêm à mente quando você vê o seguinte:

  • Flores (representam a natureza, nascimento, crescimento, feminilidade, beleza)
  • Parafuso de iluminação (representa velocidade, força, potência, eletricidade)
  • Spider web (represents entanglement, entrapment, mystery)

Creating Cross-Curricular Text Sets for the Middle Grades

By Amanda Wall

A text set is a group of texts that share a common theme. Text sets are common in elementary school classrooms, and they can also be a great resource in middle school classrooms—across the content areas. Text sets allow students to explore different aspects of a topic through texts that differ in ways such as genre, format, and complexity.

Middle grades preservice teachers in a Literature and Writing course recently designed text sets for their future classrooms. These preservice teachers plan to teach a variety of content areas besides Language Arts. We’re going to share our process as well as some examples in hopes of inspiring you to put together your own text set.

Organizing a Text Set

The first step was to understand the goal behind a text set—to assemble a set of texts to explore a common theme. Two ways to organize text sets are by general themes or by an anchor text, a text that frames the text set. We organized text sets around anchor texts. By the time the preservice teachers were ready to design their text sets, we had read some selections and highlights from young adolescent literary works and had formed two book groups, each based on a different novel.

Designing a Text Set

To design the text set, each person thought about a theme in the anchor text to explore through the text set. Different people were able to design different text sets around a shared anchor text. In this way, each preservice teacher selected an anchor text and a topic within that text to explore further through the text set.

Next, each preservice teacher began to put a text set together. These requirements framed the assignment:

  • The text set needed to include 6-8 texts, including the anchor text.
  • The text set had to include both narrative and informational genres.
  • The text set had to include both print and digital texts.
  • The text set needed to include texts of varying complexity.

The completed text set was presented in a box, basket, or other container that a teacher may have in a classroom. For each text, they wrote an original synopsis of each text that connected it to the anchor text and was written to engage students. Each preservice teacher also designed a sample assignment built around the text set. Their sample assignments were designed to (1) require students to read multiple texts in the text set (2) offer students choice and (3) promote higher-order thinking about the texts and the anchor text.

Resources for Texts

To help preservice teachers find appropriate texts, these links were shared at the beginning of the assignment:

There are other ways that you can locate texts for text sets. Your local library (whether a school library or a public library) is a great resource. Wesbites such as Goodreads or Amazon can yield suggestions, as can other teachers.

Even though each preservice teacher turned in a text set with all texts present, this assignment did not require them to purchase all the texts. They were encouraged to use both the university library and the public library to find texts.

Three Example Text Sets

Everyone designed a text set that could be successful in a middle grades classroom. Here, we want to highlight three examples (the student names are pseudonyms). Two examples show how the same anchor text can inspire different text sets in different content areas. The third example is a text set designed for math—yes, math! This example demonstrates how text sets are not just for Language Arts.

Same Book, Different Text Sets

Some preservice teachers chose R.J. Palacio’s Wonder as their anchor texts. This fantastic novel follows Auggie Pullman, who was born with significant facial deformities, through fifth grade, his first year in school after many years of homeschooling. Julia, who plans to teach science and math, focused on the main character’s birth defects and built a text set around genetics and birth disorders. Amy, who plans to teach Language Arts, focused on Auggie’s social experience and crafted a text set around understanding and responding to differences.

As a future teacher of science, Julia focused on the genetics behind Auggie’s appearance and other birth defects that people experience. Some of her texts were:

Both these narratives follow other young people who face difficulties as a result of birth defects. Julia also sourced two science books that she could use in excerpts and with annotations.

Amy focused on Auggie’s social experience of being bullied at his new school. She generalized from Auggie’s specific experience to the experiences other young people have with bullies. Some of her texts included:

  • The Giver, by Lois Lowry
  • Frankenstein, by Mary Shelley
  • The Biggest Nose, a picture book by Mary Caple.

In addition, Amy located a short informational text about genes, Gene Machines. Working from a desire to equip students to respond to bullying, she also found How to Handle Bullies, Teasers and Other Meanies. She imagined her students reading Wonder and the other texts and then enacting a service learning project around bullying. These two different examples reflect how one text can inspire a number of themes and topics of further study.

Text Sets in Math

Other preservice teachers designed text sets for their future math classrooms. Margaret, for example, started with James Patterson’s Middle School, the Worst Years of My Life. She empathized with the struggles the main character, Rafe, faced to comprehend geometry, and that was the inspiration for the text set. Rather than selecting math textbooks, Margaret chose to focus on texts middle school students would find more approachable. She selected a few digital texts and these books:

The last book introduced Margaret to math poetry, a genre new to her. Margaret imagined the books in this text set working to give students more points of access to math through interesting stories, poems, and pictures.

These examples show how teachers of different content areas can develop different text sets from the same book, and how teachers from every content area can incorporate text sets into their curricula.

Why did we design text sets?

We know it is important for students to read all across the content areas. With the Common Core State Standards, for example, we see how important reading a variety of texts is for students at all grade levels. These text sets allowed preservice teachers to collect a range of texts to appeal to readers with a range of interests and ability levels. Although these text sets were designed for middle school classrooms, many included picture books. Some of these picture books were chosen because of their lesser text complexity and some for the visual addition of pictures and other graphics. Because students read more and more online, each preservice teacher selected appropriate digital texts. One of our course texts was Reading and Writing Genre with Purpose in K-8 Classrooms, which emphasizes the importance of students reading texts in a range of genres. This text inspired us to include both narrative and informational texts.

The goals of this assignment were to help preservice teachers (1) understand what a text set is and (2) experience putting a text set together. The important decisions included:

  • Choosing an anchor text
  • Deciding on a theme in the anchor text to explore through the text set
  • Selecting other appropriate texts.

In some instances, curriculum standards can guide the selection of texts. Some concerns about using a text set may arise. The first relates to time. You can design a text set as a way to differentiate content for students: perhaps all students read a common anchor text, but then various students read different complementary texts. Texts in a text set may also be optional reading for students intrigued by the anchor text. A text set can be used to support student projects and research. Also, you can provide annotations or other text supports to address time concerns. These annotations and text supports also can help a broader range of readers access more complex texts.

This We Believe, the guiding document of the Association of Middle Level Education (www.amle.org), encourages a middle school curriculum that is challenging, exploratory, integrative, and relevant for young adolescents. More specific to literacy, the Common Core State Standards call on students to read a range of texts of varying genres and increasing complexity across the content areas. These standards can seem daunting to preservice teachers. A text set assignment, like the one described above, is one way for teacher educators to prepare preservice teachers to plan curriculum and instruction that meets the CCSS and AMLE Standards through specific focus on one anchor text and supporting texts. In framing this assignment, these sources provided examples and guidance:

Amanda Wall is an assistant professor in the Department of Teaching and Learning at Georgia Southern University, where she teaches courses in the middle grades program. She taught Language Arts and Latin in grades 5-12 for many years. Her articles for MiddleWeb can be found here.


Kukulkan

The Mayan feathered serpent deity Kukulkan was known to other Mesoamerican cultures like the Aztecs and Olmecs who worshipped the god under different names. The myth surrounding this deity mention the god as a creator of the cosmos in the Popul Vuh, the Kiche Maya sacred book. The serpent god is also called the Vision Serpent. Feathers represent the god’s ability to soar in the heavens while as a serpent the god can also travel the earth. Kukulkan cult temples during the Post-Classical era can be found in Chichen Itza, Uxmal and Mayapan. The serpent cult emphasized peaceful trade and good communication among the cultures. Since a snake can shed its skin, it symbolizes renewal and rebirth.


Symbols

In addition to the runes, the pre-Christian mythology and religion of the Norse and other Germanic peoples were full of intriguing and powerful symbols. Here are some of them:

Thor’s Hammer, a symbol of protection, strength, consecration, and the integrity of custom and tradition.

The Swastika or sunwheel, a symbol of luck, holiness, power, prosperity, and the sky. This article covers both its original usage and meaning and its later, tragic appropriation by the Nazis.

The Valknut, a symbol associated with death, the transition from life to death, and Odin.

The Helm of Awe, a symbol of protection and might, but in a darker and more individualistic sense than Thor’s Hammer.

The Svefnthorn, a symbol that could put someone into a long, deep sleep.

The Vegvisir, a symbol from an early modern Icelandic magical manuscript (and therefore not necessarily a truly “Norse” symbol), which was supposed to help with finding one’s way when lost.

Just about any other so-called “Norse symbol” out there doesn’t date from the Viking Age or earlier, and is therefore not authentically Norse. How can you tell the difference between truly Norse symbols and the countless “Norse-flavored” symbols? Simple: is there any concrete evidence that the symbol in question dates from the Viking Age or earlier? If not, one can reasonably assume that it’s a pseudo-Norse symbol that somebody came up with in the Middle Ages or modern times. Those kinds of symbols greatly outnumber genuinely Norse ones. And no, “It looks kinda Norse-y and some New Age website says it’s the ‘Norse symbol for love’” is not evidence.

Looking for more great information on Norse mythology and religion? While this site provides the ultimate online introduction to the topic, my book The Viking Spirit provides the ultimate introduction to Norse mythology and religion period. I’ve also written a popular list of The 10 Best Norse Mythology Books, which you’ll probably find helpful in your pursuit.