Elizabeth jones

Elizabeth jones

Elizabeth Jones nasceu em Neath, País de Gales, em 1926. Aos 13 anos, Jones fugiu de casa e acabou sendo enviada para uma escola aprovada porque foi considerada "fora do controle dos pais".

Aos 16 anos, Jones se casou com um cabo do exército. O casamento durou apenas alguns dias e Jones decidiu se mudar para Londres, onde encontrou trabalho como garçonete, garçonete e arrumadeira de cinema. Por fim, ela encontrou emprego como dançarina de strip-tease no Panama Club e no Blue Lagoon.

Em 3 de outubro de 1944, Jones conheceu Karl Hulten, um desertor do Exército dos Estados Unidos. No primeiro encontro, eles acabaram usando o caminhão militar roubado de Hulten para derrubar uma jovem de sua bicicleta e roubar sua bolsa. No dia seguinte, deram uma carona a uma mulher que carregava duas malas pesadas. Depois de parar o carro, Hulten atacou a mulher com uma barra de ferro e jogou seu corpo no rio.

Em 6 de outubro, o casal pegou um carro alugado na Hammersmith Broadway. Quando chegaram a um trecho deserto da estrada, pediram ao taxista que parasse. Hulten então atirou na cabeça do motorista e roubou seu dinheiro e carro. No dia seguinte, eles gastaram o dinheiro na pista de corrida de cães de White City.

Jones disse agora a Hulten que ela gostaria de um casaco de pele. Em 8 de outubro, eles estacionaram o carro alugado roubado em frente ao Hotel Berkeley enquanto esperavam que uma mulher aparecesse vestindo um casaco de pele. Por fim, Jones escolheu um casaco de arminho branco usado por uma mulher que estava saindo do hotel. Hulten atacou a mulher, mas antes que pudesse pegar o casaco, um policial entrou em cena. Hulten conseguiu escapar e sair dirigindo em seu carro. No entanto, na manhã seguinte, Hulten foi preso ao entrar no carro alugado roubado.

Houve grande interesse público no caso do gangster GI e sua dançarina de strip-tease. O público ficou profundamente chocado com o grau de violência que o casal usou durante sua onda de crimes e não foi nenhuma surpresa quando Elizabeth Jones e Karl Hulten foram considerados culpados de assassinato e condenados à morte. Hulten foi executado na prisão de Pentonville em 8 de março de 1945, mas Jones foi suspenso no último momento e foi libertado em maio de 1954.


Mulheres da História: Elizabeth Earl Jones

Elizabeth Earl Jones, fotografia do passaporte, c. 1920
Cortesia da Administração Nacional de Arquivos e Registros (NARA) Washington D.C.

Elizabeth Earl Jones, fotografia do passaporte, c. 1920 Cortesia da Administração Nacional de Arquivos e Registros (NARA) Washington D.C.

Elizabeth Earl Jones (1879-1963) é conhecida em particular por seus primeiros esforços para defender os direitos dos Cientistas Cristãos de praticar sua fé. Ela era uma praticante e professora da Ciência Cristã que passou a maior parte de sua vida dedicada à cura, e até desempenhou o papel de detetive e compiladora cidadã. Ela era hábil em reunir informações históricas relacionadas às vidas dos primeiros cientistas cristãos. E ela acreditava fortemente que esse trabalho desempenhava um papel tão importante no avanço da missão da Ciência Cristã quanto sua própria prática de cura.

Nascida em Hendersonville, Carolina do Norte, Jones sofreu de problemas de saúde nos primeiros anos. Quando ela ainda era muito jovem, sua família mudou-se para a cidade vizinha de Asheville, onde se dizia que o clima promovia o bem-estar e a saúde. Aparentemente, porém, era necessário mais do que uma mudança de local - pois, quando ela tinha dezessete anos, Jones era considerada uma semi-inválida. Os médicos aconselharam seu pai a retirá-la da escola e incentivaram os exercícios ao ar livre. Sophie B. Hazzard, uma amiga viúva da família, convidou Jones para ficar com ela durante os invernos em sua plantação na Carolina do Sul. Foi lá que ela conheceu amigos de Hazzard que descreveram o trabalho de cura dos Cientistas Cristãos em sua cidade natal, Charleston.

Hazzard encorajou Jones a escrever para Sue Harper Mims, uma praticante da Ciência Cristã em Atlanta, pedindo ajuda. Mims curou Jones através da oração, e logo Jones e Hazzard começaram a estudar o livro de Mary Baker Eddy Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras. Três meses depois, Jones escreveu para Eddy e perguntou se Eddy poderia lhe ensinar a Ciência Cristã. Eddy respondeu que ela havia se aposentado, mas recomendou que Jones escrevesse a Mims para receber mais instruções, o que ela fez. 1 Mais do que uma professora, Mims tornou-se como uma mãe para ela.

Depois de sua introdução à Ciência Cristã, Jones dedicou grande parte de sua vida adulta a promover seu impacto na Carolina do Norte. Ela se tornou membro da Igreja Mãe em 1899 e também foi membro fundador da Primeira Igreja de Cristo, Cientista, Asheville, onde serviu como Primeira Leitora de 1902 a 1905. Ela também trabalhou como assistente de Mary Hatch Harrison, do estado Comitê de Publicação da Ciência Cristã (uma posição encarregada de corrigir relatórios falsos sobre Eddy e a Ciência Cristã). Jones ajudou Harrison por três anos e depois continuou o trabalho sozinha até 1908. Ela lembrou que mesmo antes disso, quando ainda não havia Comitê para a Carolina do Norte ou a Carolina do Sul, ela havia respondido aos ataques dos jornais e “feito visitas pessoais aos clérigos e editores em sua cidade natal & # 8230. ” 2

A fé de Jones foi testada em 1903, quando a legislação ameaçou limitar a proteção dos praticantes da Ciência Cristã. Em resposta às acusações de homicídio culposo, 3 a legislatura estadual apresentou um projeto de lei estipulando que qualquer pessoa que praticasse “terapêutica sugestiva” teria que passar por um exame perante o conselho médico do estado. 4 O projeto foi revogado e encaminhado, e uma audiência foi marcada para a Comissão de Saúde da Câmara e do Senado. 5 Jones relata que após os argumentos iniciais e testemunhos de Cientistas Cristãos, seus advogados propuseram uma emenda que concedeu uma exceção ao "tratamento de doentes ou sofrendo por meios mentais ou espirituais sem o uso de quaisquer drogas ou outros meios materiais." 6

A carta de Jones a Eddy, celebrando a inclusão da emenda, foi reimpressa em The Christian Science Journal, junto com um recorte de jornal do Notícias e Observador. 7

Outro capítulo significativo na vida de Jones envolveu o tempo que ela passou na Inglaterra, de 1916 a 1920. Depois que os Estados Unidos entraram na Primeira Guerra Mundial, ela se ofereceu como voluntária no Comitê de Ajuda da Cruz Vermelha para Mulheres Americanas. Duas cartas, descrevendo suas experiências ali, estão localizadas nos Arquivos do Estado da Carolina do Norte. A primeira nos dá uma descrição detalhada de seu trabalho:

Eu estava na Inglaterra quando a América entrou na guerra e, portanto, ofereci meus serviços como voluntária em 'Eagle Hut' 8 e também como voluntária no 'American Ladies & # 8217 Red Cross Aid Committee.' foi formada por mulheres americanas em toda a Inglaterra, e cooperamos com a Cruz Vermelha americana e britânica. Nosso objetivo era fazer pelos nossos americanos feridos nos hospitais britânicos, o que seu próprio pessoal em casa teria feito se estivessem com eles. Mantivemos um registro de cada americano que estava em qualquer hospital em toda a Inglaterra & # 8211 e os visitávamos 2 ou 3 vezes por semana, emprestávamos dinheiro, pegávamos papéis de casa & # 8211 e qualquer coisa na terra que eles quisessem nossos grandes armazéns em 154 New Bond St. London. Também os recebíamos regularmente assim que estavam bem o suficiente para sair e ver as coisas ... Tínhamos uma casa grande & # 8211 4 histórias, em New Bond St. como nossa sede & # 8211 e tínhamos uma reunião uma vez por semana para relatar e ouvir uns aos outros e aperfeiçoar nosso trabalho. Fui visitante de um hospital. Mais tarde ... fui designado para o Hospital Naval dos Estados Unidos em ‘Allford House’ Park Lane, Londres…. 9

A segunda carta descreve a sensação de paz de Jones durante um ataque aéreo e as celebrações do Quatro de Julho no exterior:

… Não estamos com medo nem desanimados, embora eles tenham deixado cair folhetos dizendo que voltariam. Nesta casa não sabíamos nada sobre isso até que estava bem sobre nós. Fomos para o porão e declaramos a verdade em voz alta. Eles passaram bem acima de nossas cabeças, mas a explosão mais próxima estava um pouco distante, embora parecesse que cada bomba estava atravessando nosso telhado. O barulho é horrível & # 8211 levei o dia todo para superá-lo, e eu também não estava com medo. ... O 4 de julho foi maravilhoso ... O Senhor Presidente da Justiça da Inglaterra (Lord Reading), a quem conheci no último fim de semana em A casa de campo da Sra. Guest & # 8217s & # 8211 disse que recebe o Monitor regularmente e o considera um excelente jornal…. 10

Cartão de racionamento de Elizabeth Earl Jones, 1918, Cortesia do Departamento de Recursos Naturais e Culturais da Carolina do Norte

No final da década de 1930, Jones escreveu suas memórias, que incluíam suas investigações sobre a vida de Eddy no Sul durante o início da década de 1840. Utilizando habilidades de detetive para tentar recriar esta era, ela diligentemente pediu informações aos moradores e funcionários da cidade e viajou para os locais onde Eddy (então Sra. Mary Glover) pode ter vivido. Nossas coleções incluem esboços, desenhos, cartas e recortes de jornais de Jones, que continuam a nos ajudar a entender este período da vida de Eddy.

Embora realizando muito como pesquisadora e trabalhadora de ajuda humanitária, o foco da vida de Jones foi seu trabalho como curandeira da Ciência Cristã. Ela começou sua prática no início de 1900 e tornou-se professora de Ciência Cristã em 1940. Ela continuou seu trabalho de cura e ensino até sua morte em 1963.

Jones está enterrado no cemitério de Riverside em Asheville, Carolina do Norte - o mesmo local de descanso dos autores famosos O’Henry (William Sydney Porter) e Thomas Wolfe.


Uma História da Família Americana

Elizabeth Jones Duvall Simpson nasceu por volta de 1667 no condado de Anne Arundel, Maryland. Seus pais eram William e Elizabeth Jones.

Ela se casou com o capitão John Duvall em 17 de agosto de 1685. John nasceu em 1652 e era filho de Mareen Duvall.

Em 17 de agosto de 1685, seu pai deu-lhes a plantação de 200 acres, Wilson's Grove, em Anne Arundel, na cabeceira do South River.

Seus filhos e a vida juntos são descritos em detalhes na seção sobre John Duvall.

Quando seu pai morreu em 1705, ela recebeu um xelim. Sua filha, Mary, herdou uma vaca e um bezerro.

Seu marido, John, morreu em 19 de abril de 1711 quando ele tinha 59 anos.

Gado foram vitais para uma família e um legado importante.
Bovinos não desmamados são bezerros.
Bovinos fêmeas são novilhas e vacas (teve uma panturrilha).
Bovinos machos são bois (castrado) e touros.
Bois
são animais de tração treinados e freqüentemente são machos adultos castrados.

Plantador é um termo arcaico para um colono. Plantação era um método de colonização onde os colonos eram "plantados" no exterior. Uma plantação também é o tipo de grande fazenda que foi a base econômica de muitas colônias americanas e os proprietários dessas fazendas também eram chamados de plantadores.


Uma História da Família Americana

William nasceu por volta de 1645 no condado de Anne Arundel, Maryland, onde era um rico fazendeiro.

Jane Jones Clark (ou Clarke) nasceu por volta de 1670.

Em 1674, William e James Powell venderam Wilson's Grove para William Jones. Wilson's Grove havia 200 hectares entre as cabeceiras dos rios Sul e Anne Arundel, no condado de Anne Arundel. Foi originalmente concedido a Robert Wilson.

Em 17 de agosto de 1685, William deu Wilson's Grove para sua filha e genro, Elizabeth e John Duvall.

Em 3 de setembro de 1694, Richard Jones, William Jones, Sr. e William Jones, Jr. foram listados como devedores da propriedade do sogro de Elizabeth, Mareen Duvall.

Em 10 de outubro de 1704, William Jones recebeu mais terras no condado de Anne Arundel.

William assinou seu testamento em 31 de maio de 1705 e morreu em junho de 1705.

Após sua morte, Elizabeth se casou com James Sanders.

Em 16 de janeiro de 1715, William Jones Jr. e James Sanders hipotecaram John's Cabin Ridge e a adição ao norte de Habitação de Beard a James Carroll, que vendeu a hipoteca para o genro de William, Charles Cheney, por 5 xelins.

Plantador é um termo arcaico para um colono. Plantação era um método de colonização onde os colonos eram "plantados" no exterior. Uma plantação também é o tipo de grande fazenda que foi a base econômica de muitas colônias americanas e os proprietários dessas fazendas também eram chamados de plantadores.

As florestas exuberantes da América Colonial permitiram que os colonos construíssem casas de madeira.

Focas eram usados ​​para autenticar documentos e esperava-se que os homens tivessem um dado pessoal. Os registros em livros de escrituras são cópias e as assinaturas geralmente são escritas à mão pelo escrivão. O secretário desenhou um círculo ao redor da palavra “selo” para indicar que o documento original estava lacrado.

Processos e Atos, Volume 24 por Maryland. Assembleia Geral

26 a 29 de outubro de 1703
Joseph Sanders de Ann Arundel County Planter, sua Petição dizia que, enquanto um Serv & lsquo man & amp Woman dele tinha sido recentemente executado pelo assassinato de seu colega Servo, além do qual ele não tinha mais Serv & lsquo e por que vários membros deste Conselho eram sensatos, era costume ter mesada do país para tais servos executada Ele rezou para que fosse feita mesada para seu dito servo. A petição, tendo sido devidamente considerada esta Junta, diz que nenhum deles sabe de tal costume nesta província, mas em relação a suas circunstâncias se tornaram muito indiferentes. Eles remetem sua petição à consideração caritativa da Casa dos Delegados.


Elizabeth Jones - História

Nossa Família Jones
Polli Jost Turner, editor

Primeira geração--
Nosso ancestral Jones pode ter sido William Jones, um conhecido (na época) pregador colonial do VA ou NC. Ele ou seus ancestrais podem ter sido do País de Gales antes desse acc. à tradição de Jones. Um de nossos bisnetos ancestrais & # 146s foi nomeado após o conhecido pregador metodista Charles Wesley - não é surpreendente porque tanto os metodistas quanto os batistas eram muito ativos em Kentucky no início de 1800 & # 146s. Isso pode ser um indicador de que a família era metodista. Ele veio para Kentucky com uma grande família de filhos. Os únicos dois de quem tenho certeza são Hugh e William Snelling. A informação foi de Mildred Woznuk, em Hardinsburg, KY, descendente de Hugh Jones.
Encontrei um registro de inventário de William Jones que morreu em Breckinridge Co., em 1814. É incerto se ele pode ser nosso ancestral ou não. Mas ele estava:
William Jones, nascido provavelmente entre 1765 e 1770, morreu em Breckinridge Co. pouco antes de 21 de fevereiro de 1814 com cerca de 45 anos. Casou-se com Elizabeth, nascida entre 1765 e 1770 e morreu após o censo de 1830. No inventário de William Jones, James Jones e John Snelling estavam ajudando a viúva Elizabeth. James pode ter sido irmão de William Sênior (veja abaixo).
O censo de 1810 mostra um William Jones (e um Thomas, talvez um irmão mais velho de William S. e Hugh, pois tinha vários filhos pequenos), com apenas um filho entre 10 e 16, três filhas entre 16 e 26, e ele e sua esposa tinham entre 26 e 45 anos.
O censo de 1820 mostra Elizabeth Jones com dois filhos entre 16 e 26 anos (possivelmente William e Hugh, William tinha 19 na época) e uma filha entre 16 e 26 anos. Elizabeth tinha mais de 45 anos. Houve também um James Jones no censo de 1820.
1. Hugh Jones,
nascido ca. 1798 morreu antes do censo de 1850. Casado (ca. 1825) Martha, nascida ca. 1803. O censo de 1830 o mostra entre 30 e 40 anos. Ele tinha duas filhas com menos de 5 anos, sua esposa tinha entre 20 e 30 anos, e moravam com eles uma mulher mais velha que tinha entre 60 e 70 anos (provavelmente sua mãe, Elizabeth).
Após a morte de Hugh & # 146, Martha se casou novamente, com Hezekiah Morton, um viúvo e pai dos irmãos que se casaram com William Snelling Jones & # 146 filhas.
2. William Snelling Jones ,
nascido em 7 de março de 1801, em KY morreu em 6 de agosto de 1853, em Breckinridge Co., KY 52 anos de idade. Casado com Susannah Carter.
5. ?Peggy Jones,
b. ca. 1787. Casado (2 de março de 1807, Breckenridge Co., KY) Benjamin Snelling. Meu pai era William Jones.
6. ? Susan Luverina Jones, casado (26 de julho de 1805, em Breckinridge Co., KY) William Crume.
Os próximos dois são desconhecidos - parecem jovens demais para serem filhas de William Jones, mas não se encaixam na família de William Snelling. Houve outro William Jones no censo de 1820, com duas filhas entre 10 e 16 anos - podem ser elas. Ou talvez fossem irmãs mais novas de William S. - Elizabeth teria cerca de 50 anos quando nasceram.
• ?Catherine S. Jones?,
nascido em cerca de 1815. Casado (14 de dezembro de 1839, em Breckenridge Co., KY) Thomas S. Moorman. O pai da noiva era William B. Jones, e a testemunha era James W. Jones.
• ?Elizabeth Ann Jones?,
nascido ca. 1818. Casado (29 de novembro de 1842, em Breckinridge Co., KY) Christopher W. Board. Meu pai era William B. Jones. Eles poderiam ser os pais de Sarah J. Board, & quotJennie, & quot, nascida em 1853, que era a segunda esposa de Mason Long Jones, abaixo?

Segunda geração--
William Snelling Jones, nascido em 7 de março de 1801, em KY, morreu em 6 de agosto de 1853, com 52 anos de idade. Casada (cerca de 1820) Susannah Carter, nascida em 13 de março de 1795, em Maryland, faleceu em 27 de março de 1854 com 59 anos. Eles foram enterrados no Cemitério Morton em Breckenridge Co., KY - em Hwy. 261 a leste da interseção com a Hwy. 629 - é em uma fazenda que esteve por muitos anos na família Morton, Randy & amp I não conseguiram encontrar o cemitério quando estávamos lá em 1994. O censo de 1850 diz que ele era fazendeiro, e dá o valor de seu posses como $ 500. Também dá Maryland como local de nascimento de Susannah & # 146s.
Acreditamos que o pai de William foi William Jones, um conhecido pregador da Virgínia ou Carolina do Norte. Nesse caso, as listas de impostos de 1800 mostram que eles já moravam em Ohio Co. quando William nasceu. (Em 2 de março de 1807, Peggy Jones - que provavelmente era sua irmã mais velha - casou-se com Benjamin Snelling em Breckenridge Co. John Snelling estava ajudando Elizabeth com o legado de seu marido William. William Snelling aparentemente recebeu seu nome do meio em homenagem a algum amigo ou parente, pois havia uma família de Snellings em Breckenridge Co.)
Na época do censo de 1830, Wm. S. é mostrado com um menino e uma menina com menos de 5 anos, um menino e uma menina entre 5 e 10 anos, ele e Susannah tinham entre 20 e 30 anos.
Henry O. Morton e Lester L. Morton, genros de William e Susannah & # 146s, foram listados como herdeiros no inventário de William S. & # 146s.
1. Mary Ann Jones,
nascido em 11 de agosto de 1821. Casado (28 de fevereiro de 1843, em Breckenridge Co., KY) Henry Owen Morton, nascido em 21 de maio de 1821, em VT morreu em 11 de agosto de 1890 com 69 anos de idade. Eles foram enterrados no cemitério de Morton, perto de seus pais, assim como vários de seus filhos. Os marcadores dão a Henry e Mary & # 146s anos de nascimento como 1821, mas o censo indica que teria sido 1831. A data da morte de Mary Ann & # 146 não estava em sua pedra. Eles viviam em Breckinridge Co. na época do censo de 1850, perto de seus pais. Observe que o quarto e o quinto filhos morreram dentro de alguns dias - pode ter havido alguma epidemia na época à qual as crianças pequenas eram especialmente suscetíveis.
2. Henry Franses Jones,
nascido em 16 de setembro de 1823 morreu algum tempo depois do censo de 1830 - não mencionado no testamento de seu pai.
3. Elizabeth jones,
nascida em 22 de março de 1826 (1825, de acordo com seu túmulo) morreu em 18 de fevereiro de 1893 com 67 anos de idade. Casado (cerca de 1851) Lester L. Morton, irmão de Henry, acima, nascido em 26 de março de 1824, em VT falecido em 19 de maio de 1862 com 38 anos. Ambos foram enterrados no cemitério de Morton, perto de seus pais.
O censo de 1850 mostra Lester casado com Lucy A. (que era quatro anos mais velha que ele e também nascida em Vermont), sem filhos. No entanto, aparentemente em 1852 (de acordo com o nascimento de uma criança listado nos registros IGI) ela morreu e Lester se casou com sua cunhada Elizabeth. Eles tiveram vários filhos.
4. William Washington Jones ,
nascido em 26 de setembro de 1828 morreu em 10 de dezembro de 1905 77 anos de idade. Casou-se com Martha C. Cooper (irmã de Mary Ellen que se casou com Mason, nº 6), nascida em 1831 e morreu em 1900 com 69 anos de idade.
5. James McDowell Jones,
nascido em 8 de março de 1831. Pode ter se casado (22 de abril de 1845, em Breckinridge Co., KY) Mary B. Dowell. James foi nomeado testamenteiro dos bens de seu pai e assumiu a responsabilidade de cuidar de sua mãe após a morte de seu pai.
6. Richard Jones, nascido em ca. 1833. Pode ter morrido na infância - não mencionado no testamento de seu pai.
7. Mason Long Jones ,
nascido em 13 de janeiro de 1835 morreu em 25 de fevereiro de 1916 com 81 anos de idade. Casado com Mary Ellen Cooper.

Terceira geração--
Mason Long Jones, nascido em 13 de janeiro de 1835, em Breckinridge Co., KY, morreu em 25 de fevereiro de 1916, em Ohio Co., KY com 81 anos de idade. Casado (3 de dezembro de 1856, em Breckenridge Co., KY) Mary Ellen Cooper, nascida em 6 de janeiro de 1835, morreu em 10 de novembro de 1880 com 45 anos de idade. Eles tiveram oito filhos. Não consegui descobrir onde Mary Ellen foi enterrada.
Segundo casamento (29 de junho de 1882), Sarah J. Board, & quotJennie, & quot nascida em 21 de junho de 1853 morreu em 11 de dezembro de 1912 com 59 anos de idade. Eles tiveram uma filha. Mason e Jennie foram enterrados juntos no cemitério de Fordsville.
1. Sarah Anna Jones,
nascido em 12 de outubro de 1857 morreu em 14 de abril de 1908, 50 anos de idade. Casou-se com John Gardiner Truman. O presidente Harry Truman era nosso primo distante por casamento - o tio de John # 146 (Anderson Shipp Truman) era o avô de Harry Truman - ou seja, Harry Truman era o primo-irmão de John 146 uma vez afastado. Eles se mudaram para o Kansas em 1884.
2. William Joseph Jones,
nascido em 28 de agosto de 1859 morreu em 15 de maio de 1941 81 anos de idade. Casado (em 3 de novembro de 1882) com Nannie Wilson. Eles tiveram um filho. William era um fabricante de roupas em Louisville e muito rico.
Segundo casamento, Minerva Hunter, & quotMinnie, & quot nascido em fevereiro de 1862 morreu em 10 de fevereiro de 1939 com 77 anos de idade. Eles também tiveram um filho.
3. Charles Timolean Jones,
& quotTim, & quot nascido em 7 de agosto de 1861 morreu em 24 de julho de 1917, em Pierce, Weld Co., CO 56 anos de idade. Casada (6 de novembro de 1882, em Fordsville, KY) Amanda Jane Roberts, (irmã de Alice, que se casou com Jacob Carl, nº 4 abaixo), nascida em 12 de janeiro de 1857, falecida em 21 de dezembro de 1949, em Denver, CO 92 anos. Ambos foram enterrados no cemitério em Eaton, CO. A família deixou Fordsville e mudou-se para Dover, CO, em 1904. Jacob Carl é nosso bisavô, então os filhos de seu irmão e # 146 são nossos primos. Alice Roberts Jones é nossa bisavó, e os filhos de sua irmã também seriam nossos primos. Acontece que sua irmã se casou com seu cunhado, de modo que seus filhos são duas vezes nossos primos, ou nossos "primos duplos", como Marge costumava dizer.
4. Jacob Carl Jones ,
& quotJake, & quot, nascido em 22 de maio de 1864, morreu em 12 de junho de 1915, com 51 anos de idade. Casado com Alice Roberts, irmã de Amanda Jane, acima.
5. Elijah Roscoe Jones,
nascido em 9 de setembro de 1866 morreu em 26 de junho de 1955 com 88 anos de idade. Casado (23 de dezembro de 1888) Sarah Elizabeth Eskridge, nascida em 23 de dezembro de 1866, falecida em 7 de dezembro de 1954, com 88 anos. Ambos estão enterrados no cemitério de Fordsville. Eles tiveram 11 filhos.
6. Lenora Catherine Jones,
nascido em 2 de maio de 1869. Casado (29 de abril de 1890) Henry Acker, nascido em 25 de dezembro de 1863, em Wachenheim, Alemanha, falecido em 13 de setembro de 1943 com 80 anos. Eles moravam em Tryon, NC.
8. Effie Lillian Jones,
nascido em 3 de junho de 1873 morreu em 20 de abril de 1936 com 59 anos de idade. Casado (10 de fevereiro de 1890) com James L. Ball, & quotJim & quot. Eles tiveram vários filhos, o mais velho dos quais nasceu em Kentucky. Eles se mudaram então para Iowa.
7. Archie Clifton Jones,
& quotArch, & quot nascido em 14 de fevereiro de 1877 morreu em 24 de fevereiro de 1926 com 59 anos de idade. Casou-se com Sally Joe Cooper, nascida em 27 de junho de 1876 e morreu em 18 de novembro de 1948 com 71 anos de idade. Ela era uma prima, por parte da mãe dele. Eles eram donos da velha fazenda Jones, que fica a nordeste de Fordsville em 261. A área costumava ser chamada de Jones Station e agora é conhecida como Oaks.
& # 149by Jenny:
1. Myrtle C. Jones,
nascido em 13 de agosto de 1883 morreu em 1949 de câncer com 66 anos de idade. Casado (3 de março de 1901) com Roy Armendt.
Eles se separaram quando os filhos eram pequenos. Ela foi professora enquanto viveu.


Quarta Geração -
Jacob Carl Jones, & quotJake, & quot, nascido em 22 de maio de 1864, em Fordsville, Ohio Co., KY, morreu em 12 de junho de 1915, de problemas de vesícula biliar, em LaPorte, CO 51 anos de idade. Casou-se com Alice Gertrude Roberts, nascida em 17 de dezembro de 1863, em Fordsville, Ohio Co., KY, falecida em 14 de janeiro de 1934, de ruptura da vesícula biliar, em Ft. Collins, CO 70 anos. Jake era barbeiro e tinha uma mercearia. Ele e o irmão Tim lutaram contra um incêndio florestal perto de Fordsville. Como resultado da inalação de fumaça, um dos pulmões de Jake e # 146 entrou em colapso. A casa da família Jones se perdeu no incêndio e eles se mudaram para Jones, um pequeno povoado ao sul de Fordsville, pouco antes do nascimento de Charlie. Mais tarde, ele e Tim se mudaram com suas famílias para o Colorado. Eles se estabeleceram em Pierce, CO, ca. 1904. Ambos foram enterrados em Wellington, CO. Esta "avó Jones" fumou um cachimbo de espiga de milho!
Alice se casou (1918) com William Herman Goodman depois que Jake morreu.
1. Ella Martha Jones,
nascido em 15 de janeiro de 1886, em Fordsville, KY morreu em 18 de outubro de 1979, em Casper, WY 93 anos de idade. Casado (15 de janeiro de 1907) Gillespie Blaine Jones, & quotBlaine, & quot, nascido em 21 de outubro de 1884, em Asheville, NC, morreu em 4 de maio de 1949, em Salt Lake City, UT 64 anos. Seus pais eram John Harvey Jones e Mary Williams. Ambos foram enterrados em Pomona, CA.
2. Jennie Jones,
nascido em 21 de janeiro de 1887 morreu em 1 de abril de 1891 com quatro anos de idade. Ela está enterrada no antigo cemitério Haynes.
3. Clarence George Jones,
nascido em 4 de abril de 1888, em Fordsville, Ohio Co., KY morreu em 28 de setembro de 1961 com 73 anos de idade. Casado (28 de novembro de 1907, em Wellington, CO) Lessie Maudrie Johnson, nascida em 7 de janeiro de 1890, em Benton, Ark morreu em 22 de janeiro de 1980, com 90 anos de idade. Ambos foram enterrados no Crest Lawn Memorial Park, em Norco, CA.
4. Sarah Lula Jones,
& quotTia Lula, & quot nascida em 14 de novembro de 1889, em Fordsville, Ohio Co., KY, faleceu em 16 de fevereiro de 1960, em CO com 70 anos de idade. Casado (13 de janeiro de 1907, em Ft. Collins, CO) Spencer Lincoln Conley, nascido em 10 de dezembro de 1886, em Des Moines, IA morreu em 30 de dezembro de 1960, em Ft. Collins, 74 anos. Ambos foram enterrados no cemitério de Highland em Wellington, CO.
5. Grace Jones,
nascido em 4 de setembro de 1891 morreu em 24 de janeiro de 1893 com 16 meses de idade. Ela está enterrada no antigo cemitério Haynes.
6. Charles William Jones ,
nascido em 16 de dezembro de 1892, em Jones, Ohio Co., KY morreu em 26 de março de 1976 com 85 anos de idade. Casou-se com Alice Mary McMullen.
7. Mason Jones,
nascido em 20 de agosto de 1895 morreu em 22 de dezembro de 1896 com 16 meses de idade. Ele está enterrado no antigo cemitério Haynes, a leste de Fordsville.


Nossa visita a Fordsville, maio de 1994

Quinta Geração -
Charles William Jones, nascido em 16 de dezembro de 1892, em Jones, Ohio Co., KY, morreu em 26 de março de 1976, em Pomona, CA, com 83 anos. Um incêndio na floresta queimou a casa de Jake Jones e # 146 em Fordsville, e a família mudou-se para Jones pouco depois. De acordo com alguns dos primos de Jones que visitaram lá, o cemitério da família Jones e Roberts está localizado no topo de uma colina ao sul de Fordsville. Jones, onde a família se estabeleceu, estava descendo a colina do cemitério ao sul.
Casada (27 de agosto de 1919) Alice Mary McMullen, nascida em 21 de agosto de 1898, em Hebron, IA, falecida em 25 de outubro de 1996, em Carmichael, CA com 98 anos. Eles tiveram cinco filhos.
1. Marjorie June Jones ,
& quotMarge, & quot, nascido em 22 de junho de 1920, em Pierce, CO. Casado com Elie Ellis Turner.
2. Francis Evelyn Jones,
nascido em 6 de outubro de 1921, em Pierce, CO, morreu em 7 de fevereiro de 1923 com 16 meses de idade. Morreu de difteria. Sepultado no Cemitério Eaton, no CO.
3. Imogene Jones,
& quotJeane, & quot nascido em 6 de julho de 1923, em Laramie, WY faleceu em 31 de maio de 1995 com 68 anos de idade. Casado (11 de janeiro de 1948, em Pomona, CA) Ralph Lere, nascido em 7 de agosto de 1924 morreu em 5 de agosto de 1961 com 37 anos. Outro homem Edison, ele caiu para a morte quando ajudava na construção do Dodger Stadium em L.A.
Segundo casamento (26 de abril de 1964) Leonard Liston, nascido em 25 de junho de 1916, falecido em 21 de setembro de 1970, 53 anos. Ele morreu em sua mesa de insuficiência cardíaca. Ele trabalhou para a TI Insurance Trust Company.
4. Helen Marie Jones,
nascido em 8 de fevereiro de 1925, em Laramie, WY morreu em 22 de agosto de 1995 com 70 anos de idade. Casou-se primeiro (junho de 1942) Ruben Williams. Eles tiveram um filho, George Edwin, e se divorciaram em 1944.
Casado (6 de abril de 1946) Vernon Edward McKinney, & quotMac & quot, mas sua própria família sempre o chamou de & quotBuck & quot. Ele nasceu em 23 de agosto de 1910, em Weippe (pronuncia-se & quotWee-ipe & quot), Idaho morreu em 22 de junho de 1987 com 77 anos de idade. Mac tinha seu próprio negócio de construção, a McKinney Hole Digging Company. Helen trabalhou com AA, ajudando as pessoas a vencer sua batalha contra o álcool com a ajuda do Senhor.
5. Charles Raymond Jones,
& quotRay, & quot nasceu em Laramie, WY. Casado com Mary Agnes Graham, & quotBabe & quot. Seu pai nasceu na Escócia em 1898. Ray tinha sua própria seguradora até sua aposentadoria em 1986.

Sexta Geração -
Marjorie June Jones, & quotMarge, & quot, nascida em 22 de junho de 1920, em Pierce, Weld Co., CO, morreu em 8 de dezembro de 1992, em Ashland, OR, de insuficiência renal com 72 anos de idade. Casado primeiro (6 de outubro de 1939) Blaine Brown Moffat. Eles tiveram um filho, Janice, e se divorciaram em 1942.
Marge se casou mais tarde (21 de março de 1947, em Boulder City, NV) Elie Ellis Turner, nascida em 25 de novembro de 1915, morreu em 20 de maio de 1971 com 56 anos. Ele adotou Janice (1959) como sua própria filha, e eles tiveram dois filhos. Elie foi superintendente distrital de Edison em Lake Arrowhead, CA, até sua morte repentina. Ele morreu de um aneurisma cerebral.
Marge se casou mais tarde (22 de março de 1976) Edward James Beck, nascido em 28 de agosto de 1921, morreu em 23 de fevereiro de 1977, em Portland, OR com 55 anos de idade. Marge e Ed eram caminhoneiros até que ele morreu de ataque cardíaco ao volante de seu caminhão.
1. Janice Kay Moffat Turner,
nascido em 20 de abril de 1941. Casado (1962) David Stanley Curran, nascido em 19 de março de 1942. Tiveram três filhos e se divorciaram posteriormente.
2. Stephen Ellis Turner,
& quotSteve, & quot, nascido em 25 de abril de 1948. Casado (a) (24 de outubro de 1970) Carol Marie Miller, nascido em 12 de abril de 1950. Eles têm dois filhos. Steve se aposentou da SC Edison em Rialto, CA. Steve e Carol se divorciaram em 1998.
3. Randall Lee Turner ,
& quotRandy, & quot, nascido em 27 de junho de 1950 em Pomona, CA. Casado (14 de julho de 1973) Peggy McLemore. Eles se divorciaram, não tiveram filhos.
Segundo casamento (7 de abril de 1979, em Van Nuys, CA) Pauline Ruth Jost, & quotPolli, & quot nascida em 23 de fevereiro de 1953, em Banning, CA. Polli é dona de casa e faz genealogias familiares nas horas vagas (?).

Fontes:
Informação familiar
Mildred Woznuk (agora falecido), de Hardinsburg, KY

O Senhor é justo em todos os seus caminhos e bondoso em todas as suas obras!
O Senhor está perto de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade!
Salmo 145: 17 e amp18 (NASB)


Maggie Elizabeth Jones nasceu no dia 10 de outubro de 2003 (Geração Z). Nascida entre 1995 e 2012, a Geração Z é a próxima geração que ainda está crescendo. Não são publicados muitos dados sobre esta geração, já que a média de idade está entre 4 e 19 anos. Mas sabemos que essas crianças já estão viciadas em tecnologia.
O número do caminho de vida de Maggie & # 8217s é 7.

Maggie Elizabeth Jones é popular por ser uma atriz de TV. Talvez mais conhecida por seu papel como Maddie Fox na curta sitcom da Fox, Ben e Kate, ela também conseguiu um papel no cinema como Rosie Mee no filme de 2011 We Bought a Zoo. Ela interpretou Jessie Patterson no filme de comédia Identity Thief, estrelado por Jason Bateman. Os detalhes da educação não estão disponíveis no momento. Por favor, volte em breve para atualizações.

Maggie Elizabeth Jones está completando 18 anos

Maggie nasceu na década de 2000. A década de 2000 é a década de crescimento da Internet e início das mídias sociais. Facebook, Twitter, eBay e YouTube foram fundados. O iPhone foi lançado.

O americano de 17 anos nasceu no Ano da Cabra e faz parte da Geração Z

De acordo com o Zodíaco Chinês, Maggie nasceu no Ano da Cabra. As pessoas nascidas no Ano da Cabra gostam de ficar sozinhas com seus pensamentos. Eles são pensadores criativos e apreciam as artes. Embora sejam econômicos e cautelosos, eles também podem ser indecisos.


Major Peter Jones filho de Peter Jones e Mary Batte

O Major Peter Jones era filho de Peter Jones e Mary Batte. He was born about 1691. He received his father’s plantation, except that part given to Abraham and his mother Mary. Peter married Dorothy Chamberlaine. She was the daughter of Thomas Chamberlaine and Elizabeth Stratton of Henrico County. They were married before 1728 when the birth of their first child is recorded. In September, 1728 Peter Jones was granted 587 acres beginning at the corner of his old tract. Then in August, 1735, he was granted another 2,021 acres on the lower side of Deep Creek at the corner of Richard Jones, Jr. on Spinners Branch.

In 1738 Peter Jones was among several who took the oath as officers of the Militia of Prince George County. In 1740 Peter Jones of Prince George County conveyed to his brother, Wood Jones, 300 acres of land on the lower side of Deep Creek, Amelia County.

After their father died, Abraham deeded 140 acres of land to Peter. General Joseph Jones, his nephew, attempted to void the deed after the death of his father, Abraham. The land lay on Brickhouse run and had been sold by Peter Jones to William Pride. This was the original tract lived on by Peter Jones and Margaret Wood. It was upon this land that the Town of Petersburg was founded.

Colonel William Byrd in his History of the Dividing Line notes that on the first expedition, Peter Jones was among those employed, and on the second expedition, Peter and his brother Abraham were employed by Colonel William Byrd to run the Line between the Colony of Virginia and North Carolina. Colonel Byrd referred to Peter Jones as an old friend.

Petersburg was founded by Peter Jones and his cousins, Abram and Thomas Jones, sons of Peter Jones and Thomas Jones respectively. (Cadwallader Jones Historical Genealogy, 1900) He went with William Byrd in 1733 on the first expedition to survey the border between North Carolina and Virginia. Peter also assisted Byrd in laying out Richmond and Petersburg and is considered the founder of Petersburg.

On September 1733, Byrd writes …we laid the foundation of two large Citys. One at Shoccos to be called Richmond, and the other at the Point of Appamattuck River to be named Petersburgh. The truth of it is, these two places being the uppermost Landing of the James and Appamattox River, are naturally intended as Marts where the traffick of the Outer Inhabitants must Center. Thus we did not build Castles only, but also Citys in the Air.

Peter Jones was appointed to count tobacco plants with his brother William in 1725. In 1727 Peter and Abraham Jones were appointed to procession the land from Lieutenant Run to the Indian Town Run including Rohowick. The following year Peter Jones was elected to the vestry of Bristol Parish and continued as vestryman until he went to Amelia County in 1747.

In July, 1747, Thomas Jones of Amelia County conveyed to Peter Jones of the same county 1, 591 acres lying on the north side of West’s and Buckskin Creeks, which Thomas had patented in 1739. Peter paid ₤800. Peter Jones is noted frequently in the records after he arrived in Amelia County. He home was on Spinners Branch of Deep Creek.

Will of Peter Jones, written in 1753, was filed in Amelia County.

Item. …my son John Jones (not yet 21) all my land below the Spinners Branch being part of the tract whereon I now dwell Containing 1000 acres….

Item. …my wife Dorothy Jones during her Natural life the use of the Plantation I now live on, with timber necessary for the use of the same. … use of the following Negroes: Barton, Sarah, York, Hanah, Tom, Agge, and Moll… Ishamel and Rachel.

Item. …my son Peter Jones (not yet 21) all my land above the Spinnars Branch of the Tract whereon I now dwell containing 1000 acres….

Item. … by three sons Thomas Jones, Richard Jones and William Jones all my land on West Creek purchased of Thomas Jones….

Item. …my wife Dorothy Jones during her natural life all my stock of Cattle, Hogs, Horses and Household furniture on the plantation I now live on and that she shall Support and Maintain my Children out of that part of my estate which I have lent to her, till they shall come to the age of Twenty one Years of Marry.

Item. … my daughter Elizabeth Jones one Negro girl named Pegg, daughter of old Rachel, also one Hundred and eighty Pounds ….

Item. … my daughter Margaret Jones one Negro girl named Patt daughter of Agge also one hundred and eighty pounds ….

Item. … the rest of my Estate both Real and Personal … equally divided between my eight children: John Jones, Peter Jones, Thomas Jones, Richard Jones, William Jones, Sarah Jones, Dorothy Jones, and Mary Jones….

Item. …my Will is that the Negroes: Braxton, Sarah, York, Hannah, Tom, Agge, and Moll, with all their future increase, and all the personal estate lent to my wife, at her decease be equally divided … among eight children.

Witnesses were William Poythress, Thomas Williams, and Richard Jones, Jr. The will was filed in August, 1758 in Amelia County. Peter Jones and Wood Jones qualified to administer.

An inventory included 40 slaves,

120 head of hogs, 98 head of cattle, 54 head of sheep,

a mare and 7 horses, 1 desk, 1 chest of drawers,

1 large table, 1 large chest, 2 Oval tables,

10 leather chairs, 10 rush chairs, 8 beds and furniture,

7 iron pots, 4 pair of pot hooks, 2 pot racks,

12 knives and forks, 1 large copper, 1 still,

1 case of bottles, 1 pair of money scales, 1 looking glass,

1 hone, 1 dozen dishes, 18 spoons,

30 plates, 1 pitcher, 1 chamber pot,

1 ox cart, 3 spinning wheels, 2 flax wheels,

1 loom, 1 gridiron, 1 frying pan,

1 woman’s saddle & bridle, 1 silver hilted sword, 1 pair of hand irons,

1 stand, 1 box of iron heaters, 2 flat irons,

1 spit, 1 large iron pestle, 3 pair of cotton cards,

4 candle sticks, 3 butter pots, 24 broad hoes,

17 narrow hoes, 7 grubbing hoes, 9 axes,

1 whip saw, 1 cross cut saw, 1 silver tobacco box,

1 silver watch, 1 canister, ½ gross of bottles, 1 hatchet

1 set of carpenters’ tools, 1 tea kettle, 1 coffee pot,

The inventory was filed by Peter Jones for the estate of Major Peter Jones. Dorothy died in 1782.


Elizabeth Monroe

Eliabeth Monroe (1768-1830) was an American first lady (1817-1825) and wife of James Monroe, the fifth president of the United States. Elizabeth and James spent much of their early married life abroad, where James served as the U.S. minister to several European nations. After her husband became president in 1817, Elizabeth Monroe was criticized for her failure to embrace the public role of first lady, which stood in stark contrast to her socially adept and popular predecessor, Dolley Madison.

Her father, Lawrence Kortright, earned a fortune as a privateer in the British army during the French and Indian War, and her paternal grandmother was a wealthy landowner. But while Elizabeth was born with the proverbial silver spoon in her mouth, she endured some leaner times as a teenager her father was a dedicated Loyalist, and while he kept a low profile during the American Revolution, his money was mostly gone by war’s end.

James Monroe was in New York City as a Virginia delegate to the post-war Continental Congress when he became entranced by the beautiful, raven-haired Elizabeth. Little is known of the courtship, as Monroe burned all correspondence between the two however, their romance fueled the high-society gossip mill, with many wondering whether the southern-born farmer’s son could provide for someone with Elizabeth’s upbringing. The two were married on February 16, 1786, and while they lived modestly before Monroe’s ascension to the highest levels of the U.S. government, their union reportedly was strong.

After President George Washington appointed Monroe ambassador to France in 1794, Elizabeth acclimated herself to life in her new country by immersing herself in French culture. Her fashionable appearance and efforts to learn proper etiquette pleased the French, who referred to the petite beauty as “La Belle Americane.” However, Elizabeth was also an effective diplomat during a time of immense turmoil. Her highly publicized visit to Adrienne de Noiolles de Lafayette, the jailed wife of the American Revolutionary War hero the Marquis de Lafayette, helped secure the release of the political prisoner.

Influenced by her experiences in the European royal courts, Elizabeth ended many of the social policies established by her predecessor in the White House. She neglected to visit the wives of other government officials, and passed hosting duties to her oldest daughter, Eliza Monroe Hay. Her actions rankled political allies to the point where President Monroe twice had to call cabinet meetings to clear the air, but her perceived aloofness largely stemmed from an undisclosed illness, now believed to have been epilepsy. The capital’s social structure eventually adjusted to her preferences, and her formal protocols were adopted by successive first ladies.

Illustrating the frailty of her health, Elizabeth was too ill leave the White House when her husband’s second term ended in March 1725 it would be another three weeks before the Monroes were finally able to retire to their estate in Oak Hill, Virginia. Not long afterward, Elizabeth suffered a seizure and collapsed near an open fireplace, leading to severe burns. She lived for another three years, often in pain, until her death on September 23, 1830. Noting that he wouldn’t survive long without her, the grief-stricken Monroe passed away less than a year later.


4. The Moon Landing

Queen Elizabeth II with Michael Collins, Neil Armstrong and Buzz Aldrin at Buckingham Palace on October 14, 1969.

With the Space Race in full swing, the world watched breathlessly as Neil Armstrong and Buzz Aldrin became the first men to walk on the moon on July 20, 1969.

The two astronauts carried a message from Queen Elizabeth, which had been embossed on a disc alongside messages from 72 other world leaders that was sent to the moon as part of the Apollo 11 mission. It read: “On behalf of the British people, I salute the skills and courage which have brought man to the moon. May this endeavour increase the knowledge and well-being of mankind.”

Upon their return, the astronauts stopped at Buckingham Palace as part of their world tour, meeting Queen Elizabeth II, Prince Philip, Princess Anne, Prince Andrew and Prince Edward. The meeting was famously awkward Armstrong was suffering from a terrible cold and inadvertently coughed in the queen’s face repeatedly, prompting her to raise her hands in mock surrender.


Jones History, Family Crest & Coats of Arms

While the ancestors of the bearers of Jones came from ancient Welsh-Celtic origins, the name itself has its roots in Christianity. This surname comes from the personal name John, which is derived from the Latin Johannes, meaning "Yahweh is gracious."

This name has always been common in Britain, rivaling William in popularity by the beginning of the 14th century. The feminine form Joan, or Johanna in Latin, was also popular, and the surname Jones may be derived from either the male or female name. "Though its origins are in England, the surname is predominately held by people of Welsh extraction due to the overwhelming use of patronymics in Wales from the 16th century and the prevalence of the name John at that time." [1] "Next to John Smith, John Jones is probably the most common combination of names in Britain." [2]

Set of 4 Coffee Mugs and Keychains

$69.95 $48.95

Early Origins of the Jones family

The surname Jones was first found in Denbighshire (Welsh: Sir Ddinbych), a historic county in Northeast Wales created by the Laws in Wales Act 1536, where their ancient family seat was at Llanerchrugog.

The name Jones, currently one of the most prolific in the world, descends from three main sources: from Gwaithvoed, Lord Cardigan, Chief of one of the 15 noble tribes of North Wales in 921 from Bleddyn Ap Cynfyn, King of Powys and from Dyffryn Clwyd, a Chieftain of Denbighland.

All three lines merged in Denbighshire about the 11th century and it is not known which of the three can be considered the main branch of the family. Later some of the family ventured into England. "[The parish of Astall in Oxfordshire] was formerly the residence of Sir Richard Jones, one of the judges of the court of common pleas in the reign of Charles I. and there are still some remains of the ancient manor-house near the church, which are now converted into a farmhouse." [3]

"Llanarth Court [in Monmouthshire], the admired seat of John Jones, Esq., is a handsome and spacious mansion, the front ornamented with an elegant portico resembling that of the temple of Pæstum." [3]

Coat of Arms and Surname History Package

$24.95 $21.20

Early History of the Jones family

This web page shows only a small excerpt of our Jones research. Another 58 words (4 lines of text) covering the years 1578, 1658, 1638, 1712, 1610, 1673, 1656, 1660, 1618, 1674, 1650, 1656, 1605, 1681, 1645, 1637, 1649, 1628, 1697, 1550, 1619, 1589, 1643, 1669, 1640, 1643 and are included under the topic Early Jones History in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.

Unisex Coat of Arms Hooded Sweatshirt

Jones Spelling Variations

Welsh surnames are relatively few in number, but they have an inordinately large number of spelling variations. There are many factors that explain the preponderance of Welsh variants, but the earliest is found during the Middle Ages when Welsh surnames came into use. Scribes and church officials recorded names as they sounded, which often resulted in a single person's name being inconsistently recorded over his lifetime. The transliteration of Welsh names into English also accounts for many of the spelling variations: the unique Brythonic Celtic language of the Welsh had many sounds the English language was incapable of accurately reproducing. It was also common for members of a same surname to change their names slightly, in order to signify a branch loyalty within the family, a religious adherence, or even patriotic affiliations. For all of these reasons, the many spelling variations of particular Welsh names are very important. The surname Jones has occasionally been spelled Jones, Jonas, Jone, Joness and others.

Early Notables of the Jones family (pre 1700)

Prominent amongst the family during the late Middle Ages was Gwaithvoed Lord Cardigan, Bleddyn Ap Cynfyn, and Dyffryn Clwyd Jones, the three patriarchs of the Jones family John Jones of Gellilyfdy (c. 1578-c.1658), a Welsh lawyer, antiquary, calligrapher, manuscript collector and scribe Richard Jones (1638-1712), first Earl of Ranelagh Sir Samuel Jones (1610-1673), an English politician who sat in the House of Commons in 1656 and 1660 Colonel Philip Jones (1618-1674), a Welsh military.
Another 74 words (5 lines of text) are included under the topic Early Jones Notables in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.

Migration of the Jones family to Ireland

Some of the Jones family moved to Ireland, but this topic is not covered in this excerpt.
Another 143 words (10 lines of text) about their life in Ireland is included in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.

Jones migration +

Some of the first settlers of this family name were:

Jones Settlers in United States in the 17th Century
  • Chadwallader Jones, who landed in Virginia in 1623 [4]
  • Alexander Jones, who arrived in New England in 1631 [4]
  • Alice Jones, who arrived in Boston in 1635
  • Charles Jones and Humphrey Jones, who both settled in Virginia in 1636
  • Anne Jones, who settled in Virginia in 1648
  • . (More are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
Jones Settlers in United States in the 18th Century
  • David Jones, who arrived in Boston, Massachusetts in 1712 [4]
  • Arthur Jones, who arrived in Virginia in 1724 [4]
  • Cornelius Jones, who arrived in Georgia in 1732 [4]
  • Roger Jones, who arrived in South Carolina in 1738
Jones Settlers in United States in the 19th Century
  • Christian Jones, who landed in Pennsylvania in 1801 [4]
  • William Jones, who landed in New York in 1815 [4]
  • James Jones, who arrived in Puerto Rico in 1816 [4]
  • Sarah Jones, who settled in New York in 1821
  • Caroline Jones, who landed in New York in 1824 [4]
  • . (More are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)

Jones migration to Canada +

Some of the first settlers of this family name were:

Jones Settlers in Canada in the 18th Century
  • Mr. Ebenezer Jones Jr., U.E. (b. 1720) from New York, USA who settled in Home District, Saltfleet Township [Hamilton], Ontario c. 1780 he served in the Orange Rangers, married to Sarah Lockwood they had 5 children [5]
  • Capt. John Jones U.E., aka "Mahogany Jones" born in Maine, USA from Pownalborough, who settled in Grand Manan Island, Charlotte County, New Brunswick c. 1780 he served in the Rangers, member of the Port Matoon association as well as Penobscot Association [5]
  • Mr. Garret Jones U.E. who settled in Belle Vue, Beaver Harbour, New Brunswick c. 1783 [5]
  • Mr. Thomas Jones U.E. who arrived at Port Roseway [Shelburne], Nova Scotia on October 26, 1783 was passenger number 290 aboard the ship "HMS Clinton", picked up on September 28, 1783 at Staten Island, New York [5]
  • Mrs. Hannah Jones U.E. who arrived at Port Roseway [Shelburne], Nova Scotia on October 26, 1783 was passenger number 319 aboard the ship "HMS Clinton", picked up on September 28, 1783 at Staten Island, New York [5]
  • . (More are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
Jones Settlers in Canada in the 19th Century
  • Ty. Jones, aged 50, a farmer, who arrived in Saint John, New Brunswick in 1833 aboard the ship "John" from Liverpool, England
  • John Jones, aged 24, a farmer, who arrived in Saint John, New Brunswick in 1833 aboard the ship "John" from Liverpool, England
  • Robert Jones, aged 20, a labourer, who arrived in Saint John, New Brunswick aboard the ship "Billow" in 1833
  • Richard Jones, who arrived in Saint John, New Brunswick aboard the ship "Protector" in 1834
  • William Jones, aged 19, who arrived in Saint John, New Brunswick aboard the ship "Highlander" in 1834
  • . (More are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)

Jones migration to Australia +

Emigration to Australia followed the First Fleets of convicts, tradespeople and early settlers. Early immigrants include:

Jones Settlers in Australia in the 18th Century
  • Miss Ann Jones, English convict who was convicted in Shropshire, England for 7 years , transported aboard the "Britannia III" on 18th July 1798, arriving in New South Wales, Australia[6]
  • Miss Elizabeth Jones, English convict who was convicted in Hereford, Herefordshire, England for 7 years , transported aboard the "Britannia III" on 18th July 1798, arriving in New South Wales, Australia[6]
Jones Settlers in Australia in the 19th Century
  • Mr. George Jones, British convict who was convicted in Middlesex, England for life, transported aboard the "Calcutta" in February 1803, arriving in New South Wales, Australia[7]
  • Mr. John Jones, (Hughes), British convict who was convicted in Bedford, Bedfordshire, England for 7 years, transported aboard the "Calcutta" in February 1803, arriving in New South Wales, Australia[7]
  • Mr. John Jones, British convict who was convicted in Shropshire, England for life, transported aboard the "Calcutta" in February 1803, arriving in New South Wales, Australia[7]
  • Mr. Thomas Jones, British convict who was convicted in Sussex, England for life, transported aboard the "Calcutta" in February 1803, arriving in New South Wales, Australia[7]
  • Mr. William Jones, British convict who was convicted in Middlesex, England for 7 years, transported aboard the "Calcutta" in February 1803, arriving in New South Wales, Australia[7]
  • . (More are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)

Jones migration to New Zealand +

Emigration to New Zealand followed in the footsteps of the European explorers, such as Captain Cook (1769-70): first came sealers, whalers, missionaries, and traders. By 1838, the British New Zealand Company had begun buying land from the Maori tribes, and selling it to settlers, and, after the Treaty of Waitangi in 1840, many British families set out on the arduous six month journey from Britain to Aotearoa to start a new life. Early immigrants include:

Jones Settlers in New Zealand in the 19th Century
  • Mr. Andrew Jones, Australian settler travelling from Hobart, Tasmania, Australia aboard the ship "Bee" arriving in New Zealand in 1831 [8]
  • Mr. Stephen Jones, Australian settler travelling from Port of Hobart, Tasmania, Australia on board the ship "David Owen" arriving in New Zealand in 1832 [8]
  • Thomas Jones, who landed in Wellington, New Zealand in 1839 aboard the ship Success
  • Thomas Jones, who arrived in Wellington, New Zealand aboard the ship "Success" in 1839
  • Joseph Jones, aged 21, a gardener, who arrived in Wellington, New Zealand aboard the ship "Martha Ridgeway" in 1840
  • . (More are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
Jones Settlers in New Zealand in the 20th Century

Contemporary Notables of the name Jones (post 1700) +

  • John Walter Jones (1946-2020), Welsh civil servant, Chief Executive of the Welsh Language Board (1993�)
  • Mr. Terence Graham Parry Jones (1942-2020), born in Colwyn Bay, Denbighshire, Welsh Actor, Writer, Comedian known as Terry Jones, helped create Monty Python's Flying Circus
  • Aneurin M. Jones (1930-2017), Welsh painter who exhibited regularly at the National Eisteddfod of Wales
  • David Huw Jones (1934-2016), Welsh Anglican bishop, Bishop of St. David's from 1996 to 2001
  • Huw Jones (1700-1782), well-known Welsh poet
  • Peter Rees Jones (1843-1905), the son of a hat maker, from Wales and founder of the Peter Jones department store
  • Sir Edgar Rees Jones (1878-1962), Welsh barrister and Liberal Party politician
  • William Ronald Rhys Jones (1915-1987), Welsh literary journalist and editor
  • Tom Jones (b. 1940), born Thomas Jones Woodward, popular Welsh singer and actor particularly noted for his powerful voice
  • Catherine Zeta- Jones CBE (b. 1969), WelshAcademy Award-winning actress [9]
  • . (Another 147 notables are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)

Historic Events for the Jones family +

Arrow Air Flight 1285
  • Mr. Joseph A Jones (b. 1963), American Sergeant from Knoxville, Tennessee, USA who died in the crash [10]
Empress of Ireland
  • Mr. Edward John Jones, British First Officer from United Kingdom who worked aboard the Empress of Ireland and survived the sinking [11]
  • Mr. John Mackenzie Jones, British Junior 2nd Engineer from United Kingdom who worked aboard the Empress of Ireland and died in the sinking [11]
  • Mrs. Miriam Jones, née Roberts British Matron from United Kingdom who worked aboard the Empress of Ireland and died in the sinking [11]
  • Mr. Henry Andrew Jones, British Saloon Steward from United Kingdom who worked aboard the Empress of Ireland and died in the sinking [11]
  • Mr. Daniel Henry Jones, British Seaman from United Kingdom who worked aboard the Empress of Ireland and survived the sinking [11]
  • . (Another 11 entries are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
Flight TWA 800
  • Mrs. Ramona U. Jones (1932-1996), aged 64, from West Hartford, Connecticut, USA, American passenger flying aboard flight TWA 800 from J.F.K. Airport, New York to Leonardo da Vinci Airport, Rome when the plane crashed after takeoff she died in the crash [12]
Halifax Explosion
  • Mr. Robert  Jones (1877-1917), Canadian Engine Room Artificer aboard the HMS Highflyer from Halifax, Nova Scotia, Canada who died in the explosion [13]
  • Mr. Robert  Jones (1887-1917), Welsh Carpenter aboard the SS Picton from Port Madoc, Wales, United Kingdom who died in the explosion [13]
Hillsborough disaster
  • Richard Jones (1963-1989), English chemistry graduate who was attending the FA Cup semi-final at Hillsborough Stadium, in Sheffield, Yorkshire when the stand allocated area became overcrowded and 96 people were crushed in what became known as the Hillsborough disaster and he died from his injuries [14]
  • Gary Philip Jones (1790-1989), English student who was attending the FA Cup semi-final at Hillsborough Stadium, in Sheffield, Yorkshire when the stand allocated area became overcrowded and 96 people were crushed in what became known as the Hillsborough disaster and he died from his injuries [14]
  • Christine Anne Jones (1961-1989), English senior radiographer and Sunday school teacher who was attending the FA Cup semi-final at Hillsborough Stadium, in Sheffield, Yorkshire when the stand allocated area became overcrowded and 96 people were crushed in what became known as the Hillsborough disaster and she died from her injuries [14]
HMAS Sydney II
  • Mr. Wilfred George Jones (1895-1941), Australian Chief Shipwright from Naremburn, New South Wales, Australia, who sailed into battle aboard HMAS Sydney II and died in the sinking [15]
  • Mr. Ivan David Jones (1918-1941), Australian Acting Engine Room Artificer 4th Class from Fremantle, Western Australia, Australia, who sailed into battle aboard HMAS Sydney II and died in the sinking [15]
  • Mr. Philip Trevor Jones (1897-1941), Australian Chief Petty Officer from Frankston, Victoria, Australia, who sailed into battle aboard HMAS Sydney II and died in the sinking [15]
  • Mr. Donald Edgar Jones (1920-1941), Australian Able Seaman from West Ryde, New South Wales, Australia, who sailed into battle aboard HMAS Sydney II and died in the sinking [15]
  • Mr. David James Jones (1914-1941), Australian Acting Stoker Petty Officer from Glebe Point, New South Wales, Australia, who sailed into battle aboard HMAS Sydney II and died in the sinking [15]
  • . (Another 1 entries are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
HMS Cornwall
  • Edward John Jones (d. 1942), British Able Seaman aboard the HMS Cornwall when she was struck by air bombers and sunk he died in the sinking [16]
HMS Dorsetshire
  • Norman Jones, British aboard the HMS Dorsetshire when she was struck by air bombers and sunk he survived the sinking [17]
  • William James Jones (d. 1945), British Able Seaman aboard the HMS Dorsetshire when she was struck by air bombers and sunk he died in the sinking [17]
HMS Hood
  • Mr. Richard Jones (b. 1919), Welsh Able Seaman serving for the Royal Navy Reserve from Holyhead, Anglesey, Wales, who sailed into battle and died in the sinking [18]
  • Mr. Roy T R Jones (b. 1924), English Boy 1st Class serving for the Royal Navy from Southend-on-Sea, Sussex, England, who sailed into battle and died in the sinking [18]
  • Mr. Ronald G S Jones (b. 1919), Welsh Ordinary Seaman serving for the Royal Navy from Tonpandy, Glamorgan, Wales, who sailed into battle and died in the sinking [18]
  • Mr. Robert W Jones (b. 1924), English Boy 1st Class serving for the Royal Navy from Barton-upon-Irwell, Lancashire, England, who sailed into battle and died in the sinking [18]
  • Mr. Kenneth Jones (b. 1923), English Ordinary Seaman serving for the Royal Navy from Northallerton, Yorkshire, England, who sailed into battle and died in the sinking [18]
  • . (Another 10 entries are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
HMS Prince of Wales
  • Mr. Stanley Jones, British sailor, who sailed into battle on the HMS Prince of Wales and survived the sinking [19]
  • Mr. John Emyr Jones, British Marine, who sailed into battle on the HMS Prince of Wales and survived the sinking [19]
  • Mr. Bernard Jones, British Boy, who sailed into battle on the HMS Prince of Wales and survived the sinking [19]
  • Mr. Thomas Jones, British Able Seaman, who sailed into battle on the HMS Prince of Wales and survived the sinking [19]
  • Mr. Stanley Jones, British Marine, who sailed into battle on the HMS Prince of Wales and died in the sinking [19]
  • . (Another 11 entries are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
HMS Repulse
  • Mr. Selwyn Jones, British Steward, who sailed into battle on the HMS Repulse and survived the sinking [20]
  • Mr. Howard Wynn Jones, British Able Bodied Seaman, who sailed into battle on the HMS Repulse and died in the sinking [20]
  • Mr. Hugh W Jones, British sailor, who sailed into battle on the HMS Repulse and survived the sinking [20]
  • Mr. Maldwyn Price Jones, British Able Bodied Seaman, who sailed into battle on the HMS Repulse and died in the sinking [20]
  • Mr. Henry Norman Jones, British Ordinary Seaman, who sailed into battle on the HMS Repulse and died in the sinking [20]
  • . (Another 10 entries are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
HMS Royal Oak
  • Raymond Herbert S. Jones, British Leading Telegraphist with the Royal Navy aboard the HMS Royal Oak when she was torpedoed by U-47 and sunk he survived the sinking [21]
  • Thomas H. Jones, British Leading Stoker with the Royal Navy aboard the HMS Royal Oak when she was torpedoed by U-47 and sunk he survived the sinking [21]
  • Thomas John Jones (1922-1939), British Boy 1st Class with the Royal Navy aboard the HMS Royal Oak when she was torpedoed by U-47 and sunk he died in the sinking [21]
  • Sydney Walter Jones (d. 1939), British Seaman with the Royal Navy aboard the HMS Royal Oak when she was torpedoed by U-47 and sunk he died in the sinking [21]
  • Henry George Jones (1918-1939), British Able Seaman with the Royal Navy aboard the HMS Royal Oak when she was torpedoed by U-47 and sunk he died in the sinking [21]
  • . (Another 2 entries are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
Pan Am Flight 103 (Lockerbie)
  • Christopher Andrew Jones (1968-1988), American Student from Claverack, New York, America, who flew aboard the Pan Am Flight 103 from Frankfurt to Detroit, known as the Lockerbie bombing in 1988 and died [22]
RMS Lusitania
  • Mr. William Ewart Gladstone Jones, English Third Electrician from West Kirkby, Liverpool, England, who worked aboard the RMS Lusitania and survived the sinking [23]
  • Mr. Michael Jones, English Trimmer from England, who worked aboard the RMS Lusitania and survived the sinking [23]
  • Miss Mary Elizabeth Jones, English Stewardess from Bishopston, Bristol, England, who worked aboard the RMS Lusitania and died in the sinking and was recovered [23]
  • Mr. Arthur Rowland Jones, English First Officer from England, who worked aboard the RMS Lusitania and survived the sinking by escaping in life boat 15 [23]
  • Mr. Hugh Jones, English Greaser from Liverpool, England, who worked aboard the RMS Lusitania and died in the sinking [23]
  • . (Another 16 entries are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
RMS Titanic
  • Mr. Albert Jones (d. 1912), aged 17, English Saloon Steward from Southampton, Hampshire who worked aboard the RMS Titanic and died in the sinking [24]
  • Mr. Arthur Ernest Jones (d. 1912), aged 38, English Plate Steward from Woolston, Hampshire who worked aboard the RMS Titanic and died in the sinking [24]
  • Mr. H. Jones (d. 1912), aged 29, English Roast Cook from Alresford, Essex who worked aboard the RMS Titanic and died in the sinking [24]
  • Mr. Reginald V. Jones (d. 1912), aged 20, English Saloon Steward from Southampton, Hampshire who worked aboard the RMS Titanic and died in the sinking [24]
  • Mr. Thomas William Jones, aged 32, English Able Seaman from Liverpool, Lancashire who worked aboard the RMS Titanic and survived the sinking escaping on life boat 8 [24]
  • . (Another 1 entries are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)
USS Arizona
  • Mr. Hubert H. Jones, American Chief Water tender working aboard the ship "USS Arizona" when she sunk during the Japanese attack on Pearl Harbor on 7th December 1941, he survived the sinking [25]
  • Mr. Willard Worth Jones, American Seaman First Class from Tennessee, USA working aboard the ship "USS Arizona" when she sunk during the Japanese attack on Pearl Harbor on 7th December 1941, he died in the sinking [25]
  • Mr. Woodrow Wilson Jones, American Seaman Second Class from Alabama, USA working aboard the ship "USS Arizona" when she sunk during the Japanese attack on Pearl Harbor on 7th December 1941, he died in the sinking [25]
  • Mr. Leland Jones, American Seaman First Class from Tennessee, USA working aboard the ship "USS Arizona" when she sunk during the Japanese attack on Pearl Harbor on 7th December 1941, he died in the sinking [25]
  • Mr. Quincy Eugene Jones, American Private First Class from Texas, USA working aboard the ship "USS Arizona" when she sunk during the Japanese attack on Pearl Harbor on 7th December 1941, he died in the sinking [25]
  • . (Another 9 entries are available in all our PDF Extended History products and printed products wherever possible.)

Related Stories +

The Jones Motto +

The motto was originally a war cry or slogan. Mottoes first began to be shown with arms in the 14th and 15th centuries, but were not in general use until the 17th century. Thus the oldest coats of arms generally do not include a motto. Mottoes seldom form part of the grant of arms: Under most heraldic authorities, a motto is an optional component of the coat of arms, and can be added to or changed at will many families have chosen not to display a motto.

Lema: Heb dduw, heb ddim
Motto Translation: Without God, without anything.


Assista o vídeo: Zima w Parku - Elżbieta Jones