Qual é a dívida mais antiga que qualquer país está pagando agora, e para quem?

Qual é a dívida mais antiga que qualquer país está pagando agora, e para quem?

Qual é a dívida mais antiga que qualquer país está pagando agora, e para quem? Para outro país, uma instituição como o Banco Mundial, ou para entidades privadas?

Quais foram as causas históricas da dívida? Quais são os seus valores atuais: reembolsos, fontes,% de juros, etc?

Links de referência:

  • Relevância da Desigualdade de Riqueza Global: Compartilhamento sobre o fato de que há uma transferência de riqueza que continua hoje dos países em desenvolvimento para os desenvolvidos. A percepção popular era de que tais transferências cessaram quando os países deixaram de ser colônias.

  • Dívida: Os primeiros 5.000 anos, David Graeber Relevância: Importância da dívida na formação da história (para responder à objeção de que a dívida não tem nada a ver com história)


Como assinala a Semaphore, o Reino Unido está pagando juros sobre as anuidades consolidadas. Seus links são melhores, mas aqui está uma história do New York Times. (Nota: Semaphore corrigiu minha reclamação sobre Reino Unido vs GB; ele estava certo, eu removi meu texto).

A França continua a pagar uma dívida de 1738.

Mas a dívida ativa mais antiga é holandesa:

Os títulos ativos mais antigos, no entanto, foram emitidos em 1624 pelo Hoogheemraadschap Lekdijk Bovendams, um órgão holandês de águas responsável pela manutenção dos diques locais, e que ainda está pagando anuidades em 2003. KickAssFacts

(À parte: ficarei surpreso se alguém descobrir uma dívida muito mais antiga do que isso; não tenho bolsa de estudos para apresentar um argumento coerente, mas a natureza da dívida, do crédito e do dinheiro mudam nesse período.)

Como essas dívidas são pagas ?? Como todas as dívidas do governo desde o tempo de D'israeli, elas são garantidas pela fé e crédito do governo e pagas com as receitas do governo. O governo tem uma variedade de maneiras de arrecadar dinheiro, incluindo impostos, taxas, inflação, senhoriagem, etc. Observe que, em contraste direto com as suposições do OP, essas são dívidas de primeiro mundo pagas por devedores de primeiro mundo e, até onde eu sei, os credores são também entidades de primeiro mundo.

Os juros das dívidas do governo são sempre pagos aos detentores da dívida e, uma vez que a dívida pode ser comprada e vendida, não há realmente uma resposta para a pergunta "quem". A causa histórica da dívida é a mesma que a causa de todas as dívidas; A Grã-Bretanha pediu dinheiro emprestado. Neste caso, a Grã-Bretanha pediu dinheiro emprestado para saldar a bolha dos mares do sul.

Isso inclui empréstimos que podem ter sido usados ​​para compensar proprietários de escravos quando a escravidão foi abolida, para aliviar a fome na Irlanda do século 19 e para resgatar a infame South Sea Company, que causou a bolha em 1720.

É bastante cômico perguntar se a dívida mais antiga é com o banco mundial (que foi criado em 1944).

Edit: Acordei do lado errado da cama esta manhã e meu mesquinho interior está correndo solta. Espero que OP perdoe meu tom amargo. Posso excluir essa resposta ou editá-la depois de dormir um pouco.


Devo pagar ao cobrador ou ao credor original?

Quando existe uma dívida, há duas partes envolvidas - o credor, que é a fonte do empréstimo, e o devedor, que é o recebedor do empréstimo. Se você for um devedor cuja conta de empréstimo ou cartão de crédito for inadimplente, esteja preparado para enfrentar sérias repercussões.

No entanto, nunca é tarde demais para colocar seus pagamentos de volta nos trilhos e é muito mais fácil de realizar quando você está lidando com o credor original. Na verdade, você deve tentar evitar a todo custo que suas dívidas sejam vendidas a uma agência de cobrança.

Lidar com uma agência de cobrança pode causar um efeito cascata em muitas áreas de sua vida, tanto financeira quanto pessoalmente. Descubra por que é melhor liquidar sua dívida antes de enviá-la a um cobrador e como negociar com o credor original.


Padrão não é iminente

Em primeiro lugar, é importante observar que os atuais níveis de dívida dos EUA não indicam qualquer risco de inadimplência iminente.

Enquanto o governo federal dos EUA permanecer uma "preocupação contínua" - as instituições fiscais são fortes e eficazes, a autoridade tributária é mantida e a capacidade produtiva de longo prazo da economia do país está segura - não há razão econômica para temer o calote do país dívida. Razões políticas, como danos ao teto da dívida, são outra questão.

Para permanecer solvente e, em última instância, pagar o que deve, o Tesouro dos EUA - que vende notas e títulos a investidores para levantar dinheiro para financiar o déficit orçamentário - precisa apenas equilibrar suas contas no longo prazo, ao invés de uma unidade de tempo arbitrária como um ano.

Taxas de juros historicamente baixas sobre a dívida do governo sugerem que os participantes do mercado de títulos concordam com essa visão e não temem um default da dívida soberana nos EUA. De fato, com essas taxas baixas, o crescimento econômico suficiente pode permitir que o governo tome empréstimos indefinidamente.


2 Ilhas Virgens Britânicas

As Ilhas Virgens Britânicas, ou como alguns preferem que você largue o Britsh e continue chamando-as de "Ilhas Virgens". É um território não soberano e ultramarino do Reino Unido e é autogovernado internamente. Tem uma população estimada em apenas 27.800. Este belo pedaço de terra é encontrado cercado pelo azul brilhante do oceano Atlântico Norte. Essa massa de terra tem 60 ilhas menores que compõem o país. Cada ilha está a 5 a 10 milhas náuticas de distância uma da outra. A temporada de rajadas de vento vai de novembro a junho, dezembro / janeiro é quando os melhores ventos chegam, conhecido como o vento X Mas. Esteja ciente de que a temporada de furacões vai de junho a outubro. É uma das nações mais prósperas do Caribe. Se você deseja entrar neste país, não é necessário visto.


Quando uma secreta firma de private equity comprou a Remington, as vendas foram fortes e o futuro brilhante. Uma década depois, a empresa não conseguiu escapar de suas dívidas.

Por JESSE BARRON 1º DE MAIO DE 2019

A notícia se espalhou por Huntsville, Alabama, no inverno de 2014. Remington, o fabricante de armas mais antigo do país, decidiu expandir de sua casa histórica no interior do estado de Nova York para uma gigantesca antiga fábrica da Chrysler perto do aeroporto. Os trabalhadores da nova fábrica, disse a empresa, ganhariam uma média mínima de US $ 19,50 por hora montando espingardas, pistolas, rifles de caça e semiautomáticos AR-15. O prefeito da cidade escreveu em uma coluna de jornal que ficou emocionado com o fim da busca da Remington por um novo espaço para a fábrica em Huntsville. Ele calculou o salário anual típico em $ 42.500.

Huntsville é uma cidade em expansão nos moldes sulistas. A taxa de desemprego é menor do que a do país & # x2019s, e os trabalhadores qualificados estão em alta demanda. A sudoeste do centro da cidade, em uma instalação que sintetizou armas químicas durante a Segunda Guerra Mundial, o Exército mantém um importante centro de pesquisas e uma guarnição. Orbitando a base do Exército estão empreiteiros militares e aeroespaciais: Raytheon, Lockheed Martin e Northrop Grumman. As montadoras japonesas, um fabricante de eletrônicos da Coréia e muitas outras empresas produzem produtos para o mercado interno. & # x201Ca redução de impostos e a simplificação das regulamentações tornam os Estados Unidos o lugar para investir! & # x201D O presidente Trump tuitou em janeiro de 2018 que estava falando sobre Huntsville.

Desde 1993, quando o estado deu à Mercedes-Benz US $ 253 milhões para construir sua primeira fábrica de automóveis americana no condado de Tuscaloosa, o Alabama se remodelou como uma espécie de fundição para o resto do país e do mundo, primeiro cortejando os fabricantes de automóveis e depois se tornando um todo - oficina de propósito e centro de tecnologia. Airbus produz aviões A320 A Toyota fabrica motores para Rav4s e Tundras Blue Origin, Jeff Bezos & # x2019s & # x201Cspacefaring & # x201D company, recentemente inaugurou a construção de uma fábrica de motores de foguete. Essas empresas são atraídas aqui em parte pelos benefícios citados por Trump, mas com mais força pelos generosos pacotes de incentivos fiscais distribuídos por funcionários em Montgomery, a capital do estado, em conjunto com prefeitos pró-negócios.

Os Huntsvillians se orgulham de sua economia e, quando uma nova empresa chega à cidade, a boa vontade se espalha em direção a ela. No início de 2015, usar uma camisa e um boné da Remington poderia até lhe render a melhor mesa em um restaurante. Nas vitrines da Larry & # x2019s Pistol and Pawn, Huntsville & # x2019s mais respeitada loja de armas, os gerentes abriram espaço para pistolas Remington carimbadas com & # x201CHuntsville, AL & # x201D: Era um orgulho carregar uma arma feita no estado . & # x201Clocked and Loaded, & # x201D publicou a manchete no The Huntsville Times, para um artigo que descreve como a fábrica acabaria criando mais de 1.800 empregos.

As portas foram abertas na primavera de 2015. Notícias de dentro eram escassas, mas isso era mais ou menos previsível. Os trabalhadores da indústria de armas passam por um tipo especial de escrutínio, como detectores de metal nas saídas e visitas a suas casas a partir de A.T.F. agentes em busca de armas que desapareceram. Quando a Remington proibiu os funcionários de falar com estranhos sobre seus empregos ou demitiu uma pessoa que tirou um smartphone do bolso nas proximidades da linha, a explicação foi presumida ser que a empresa estava protegendo seus segredos, incluindo o ritmo de sua produção. & # x201CTaqueles rifles de assalto, & # x201D um funcionário me disse: & # x201Eles não conseguiam & # x2019t torná-los rápidos o suficiente. & # x201D Naquele ano, a Remington ganhou US $ 191 milhões em lucro bruto sobre US $ 809 milhões de receita.

Na parte superior das verificações de funcionários & # x2019, o nome & # x201CRemington Arms & # x201D estava impresso, junto com o endereço da empresa & # x2019s novas instalações em 1816 Remington Circle SW em Huntsville. Mas isso foi um tanto enganoso. Embora as armas ainda estivessem marcadas com a Remington R de pés grossos, a empresa não existia mais como uma entidade totalmente independente. Sete anos antes de a Remington chegar a Huntsville, ela foi comprada, por uma barganha relativa, por uma firma de private equity que controlava dezenas de bilhões de dólares em seus escritórios em Manhattan.

A empresa, Cerberus Capital Management, leva o nome do cão de três cabeças e cauda de dragão que, na mitologia grega, fica de guarda nos portões do Hades.

Stephen Feinberg, co-fundador e executivo-chefe da Cerberus, cresceu junto com sua área. Ele nasceu no Bronx, N.Y., em 1960, foi para Princeton, onde estudou política e, após a formatura, conseguiu um emprego na corretora Drexel Burnham Lambert. Como a jornalista Connie Bruck relatou em seu best-seller de 1988, & # x201CThe Predators & # x2019 Ball & # x201D Drexel era um lugar selvagem no início do & # x201980s. Sob a direção de seu financista estrela, Michael Milken, a empresa desenvolveu uma maneira de ajudar os clientes a comprar empresas inteiras usando empréstimos a juros altos & # x2014 uma prática que os bancos de investimento convencionais consideraram muito arriscada para imitar. Milken conseguia juntar nove figuras para um cliente simplesmente pegando o telefone. O cliente pegou o dinheiro emprestado, comprou uma empresa obscura ou em dificuldades e tentou renová-la ou reduzir os custos & # x2014 muitas vezes por meio de demissões & # x2014 e torná-la lucrativa. Quando essas chamadas & # x201 aquisições de controle compartilhado & # x201D funcionaram, os investidores ganharam cem ou mil vezes o seu dinheiro. Quando eles faliram, os negócios comprados desmoronaram.

Milken ganhou centenas de milhões de dólares com as taxas que ganhou nas aquisições alavancadas. Nas festas do Drexel & # x2019s no Beverly Hills Hotel, Milken soltava seus clientes masculinos em um bangalô cheio do que Bruck chamou de & # x201C mulheres extremamente atraentes & # x201D que a empresa pagou para estar lá. Sua carreira foi interrompida abruptamente em 1990, quando foi condenado por fraude de valores mobiliários e banido permanentemente da bolsa de valores. (Steven Mnuchin, secretário do Tesouro, supostamente fez lobby para que Trump perdoasse Milken.)

A convicção de Milken & # x2019 coincidiu com o declínio da popularidade do termo & # x201Aquisição controlada. & # X201D No inverno de 1988, a aquisição da R.J.R. A Nabisco, de uma empresa chamada KKR & # x2014, uma das notícias mais televisionadas do ano & # x2014, levou a prática opaca diretamente às cozinhas e maços de cigarro das pessoas & # x2019s, onde acabou sendo ameaçadora e indesejável. Em 1990, Susan Faludi do The Wall Street Journal escreveu uma história ganhadora do Prêmio Pulitzer sobre um caminhoneiro Safeway em Dallas que trabalhou para uma rede de supermercados por quase 30 anos, perdeu o emprego depois que KKR o adquiriu e deu um tiro na cabeça com um caçador rifle. Da maneira como as pessoas em 2008 falavam sobre & # x201Ccredit default swaps & # x201D como um símbolo da loucura de Wall Street, as pessoas no início dos anos 90 falavam sobre aquisições alavancadas. Diante de toda essa publicidade negativa, Wall Street decidiu que tinha apenas uma opção. Teria que mudar o nome. Stephen Feinberg fundou a Cerberus em 1992 quando o eufemismo & # x201Cprivate equity & # x201D estava se tornando popular.

Se Feinberg se parece com Milken, é de maneiras superficiais. Milken cultivou uma personalidade & # x201Coleiro azul bilionário & # x201D, falando impetuosamente e vestindo jeans e mocassins. Feinberg usava ternos prontos para uso em seus escritórios cinzentos e encardidos em Nova York. O jovem Milken pegaria um ônibus antes do amanhecer de Nova Jersey para os escritórios da Drexel na cidade de Nova York enquanto lia documentos regulatórios com uma lanterna ao pesquisar um acordo. Feinberg é dito para estabelecer & # x201Cwar rooms & # x201D em seu escritório e manter sua equipe até meia-noite ou mais tarde. De acordo com o livro de Bruck & # x2019s, Milken raramente concedia entrevistas, porque & # x201C você não pode & # x2019t fazer um centavo com publicidade & # x201D Feinberg teria brincado em uma reunião privada de seus investidores em 2007 que & # x201C se alguém na Cerberus tiver o seu foto no jornal, e uma foto de seu apartamento, faremos mais do que despedir essa pessoa. Nós vamos matá-lo. A pena de prisão valerá a pena. & # X201D (Feinberg não quis comentar para este artigo.)

Milken financiou aquisições alavancadas, mas Feinberg fez seu nome investindo diretamente em ativos problemáticos, negócios que estavam em má situação financeira. Seu negócio para adquirir a controladora da National Car Rental é emblemático de sua astúcia. Em 2003, a empresa faliu e Feinberg a comprou por apenas US $ 230 milhões. Em quatro anos, ele o realinhou para o mercado de aeroportos e depois o vendeu para a Enterprise Rent-A-Car por US $ 3 bilhões. Durante o resto dos anos & # x201900, a empresa se expandiu para credores hipotecários, imóveis, lojas de departamentos, montadoras: qualquer lugar que visse uma ineficiência que pudesse explorar. A indústria também amadureceu. Não mais executando aquisições alavancadas exclusivamente, as empresas de private equity tinham uma série de estratégias de investimento à sua disposição. Vinte e sete anos depois que Feinberg a fundou, a Cerberus administrava US $ 39 bilhões.

Como as empresas de private equity aparecem com frequência como vilões na imprensa, muitas pessoas presumem que atendem principalmente aos super-ricos, obtendo altos retornos sobre os investimentos para clientes bilionários. Eles fazem. Mas, de longe, a parte mais importante de seus negócios & # x2014 48%, de acordo com a empresa de análise de dados Preqin & # x2014, é investir capital para fundos de pensão americanos. A partir da década de 1990, os administradores de pensões e os sindicatos perceberam que, quando a geração do baby boom se aposentasse, haveria uma lacuna entre o que os fundos eram obrigados a pagar e o dinheiro que tinham & # x2014, o chamado gap de pensão. Uma estratégia de investimento que pudesse retornar de 15 a 20% ao ano e fechar essa lacuna era uma solução irresistível. O fundo de pensão para o serviço público de água da área de Boston investe na Cerberus. O California State Teachers & # x2019 Retirement System, CalSTRS, é um cliente da Cerberus, assim como um fundo de pensão para a Igreja Presbiteriana, bem como muitas doações universitárias, fundos soberanos e fundações filantrópicas.

As aquisições de private equity estão associadas, no imaginário público, a dispensas, mas a pesquisa sobre o assunto não é conclusiva. As firmas de private equity não ocasionam necessariamente mais demissões do que as de capital aberto, mas alguns estudos sugerem que as firmas de private equity podem ser responsáveis ​​pelo aumento da polarização no mercado de trabalho, ou seja, por eliminar os cargos de nível médio e, assim, contribuir para o encolhimento da classe média. Uma empresa comprada por private equity pode esperar um realinhamento agressivo, em uma janela de cinco ou 10 anos, para se tornar mais & # x201Ceficiente & # x201D, o que muitas vezes envolve demissão, automação e offshoring. Para um fundo de pensão, então, e especialmente para o fundo de pensão de um sindicato, investir em private equity pode ser uma barganha do diabo: ajudar os trabalhadores que se aposentam usando ferramentas que podem prejudicar os mais jovens.

Quando a Cerberus comprou a Remington em 2007, o mundo estava passando pela maior onda de aquisições de private equity da história. De 2002 ao crash de 2008, centenas de bilhões de dólares por ano foram empregados em negócios de private equity por empresas como Cerberus, KKR e Blackstone. Nunca houve menos de 1.700 transações de capital privado por ano em 2007, o número atingiu o pico de 7.400. Depois que o crash interrompeu brevemente seu ímpeto, a indústria voltou com força. O governo dos Estados Unidos estava respondendo à crise reduzindo os custos dos empréstimos para relançar a economia. Para as firmas de private equity, o acesso a dívidas baratas foi um presente: permitiu-lhes comprar uma longa lista de alvos e, em seguida, pedir mais dinheiro emprestado usando esses alvos como garantia. Durante a recuperação, as empresas de private equity fizeram, em média, um trilhão de dólares em aquisições todos os anos. Em 2017, houve um recorde de 9.500 negócios. Em 2019, de acordo com a consultoria McKinsey, o setor controlava US $ 3,4 trilhões em ativos globalmente. Se o capital privado fosse um país, seria a quinta maior economia do mundo, vencendo a Índia, a Grã-Bretanha e a França.

Tommy Battle, o prefeito de Huntsville, é um homem robusto que fala em um barítono e ganha fitas em churrasqueiras amadoras. Em seu escritório no oitavo andar de Huntsville & # x2019s City Hall, ele tem uma placa da Mazda e Toyota que parece um cinto de luta livre profissional, uma pá de ponta azul com Facebook impresso na cabeça e um rifle Remington de cano longo montado em uma placa de madeira. Cada um deles comemora a inauguração de uma fábrica ou escritório que Battle ajudou a seduzir a se mudar para Huntsville, principalmente usando incentivos fiscais.

Battle foi reeleito em 2016 com 80% dos votos. Sua popularidade vem de sua capacidade de gerar empregos & # x2014 e de gerar manchetes sobre a geração de empregos. Embora seu endosso a Roy Moore, que perdeu sua candidatura a uma vaga no Senado dos Estados Unidos em meio a acusações de agressão sexual, tenha alienado alguns Huntsvillians & # x2014 alabamianos do norte se consideram mais socialmente liberais do que seus vizinhos do sul & # x2014 Battle é mais amado por seus constituintes. Quando o encontrei em seu escritório, seu diretor de relações comerciais inclinou-se sobre meu gravador na mesa e disse: & # x201Se a Amazon Web Services está lendo agora, diga a eles que & # x2019 adoraríamos ter um data center. & # X201D

Em 2013, Battle ficou sabendo que um consultor de seleção de local, alguém que ajuda empresas que buscam expandir ou realocar, estava farejando o Sul em nome de um fabricante não identificado. O consultor, Michael Press, era veterano no jogo do incentivo fiscal. Na década de 1980, aconselhando o prefeito da cidade de Nova York Ed Koch, ele escreveu muitos dos incentivos que a Amazon recentemente reivindicou em sua tentativa malfadada de construir uma sede na cidade de Long Island. Quando Press foi contratado para encontrar uma fábrica da Remington, ele fez o que sempre fazia, mandando cartas para vários estados solicitando licitações, incitando a concorrência sem revelar seu cliente. A imprensa havia aprendido que se os funcionários de uma empresa & # x2019s fábricas existentes soubessem que uma nova estava sendo procurada, eles entrariam em pânico com as demissões iminentes.

Ao escolher colocar a Remington em um estado do sul, Press estava reconhecendo o quanto o negócio de armas havia se transformado. Historicamente, os fabricantes de armas operavam no Norte, na Nova Inglaterra & # x2019s & # x201CGun Valley & # x201D ou, como Remington, no interior do estado de Nova York. Smith & amp Wesson e Colt foram fundados na década de 1850 por empresários em Massachusetts e Connecticut, respectivamente. Durante a Guerra Civil, os arsenais em Massachusetts forneceram enormes quantidades de armas de fogo para o Exército da União. Mas os costumes sociais mudaram. No ano em que Michael Press enviou suas cartas, Nova York aprovou o SAFE Act, uma das medidas de controle de armas mais rigorosas do país. Battle resumiu para mim a mensagem que a lei enviou aos fabricantes de armas: & # x201Se você gosta de armas, & # x201D ele disse, & # x201C então você precisa ir para outro lugar. & # X201D

Houve um benefício secundário. Composto inteiramente pelos estados & # x201Cright to work & # x201D, o Sul permitiu que os funcionários em lojas sindicalizadas optassem por não pagar as taxas, garantindo efetivamente que qualquer sindicato encontrado pela Remington seria pior financiado e, portanto, menos poderoso do que uma contraparte no Norte. Na fábrica da Remington & # x2019s em Ilion, N.Y., os funcionários tinham planos de saúde e contratos de longo prazo graças à United Mine Workers of America. Eles eram difíceis de atirar e ficaram juntos. Em alguns casos, várias gerações de homens na mesma família trabalharam na linha. "

Se Press tivesse todos os motivos para mandar seu cliente para o sul, no entanto, ele carecia de qualquer afeto especial por Huntsville. Por um lado, ele me explicou, o aeroporto estava com falta de voos diretos que valessem a pena. Por outro lado, a reserva de mão de obra técnica era limitada em comparação com a das grandes cidades. A imprensa ajustou sua lista, revelou o nome de seu cliente e voou para Huntsville para uma série de reuniões, ainda cética. Do outro lado da mesa estava Battle, o chefe da Câmara de Comércio e o diretor de desenvolvimento econômico do estado. Eles viraram suas cartas uma a uma. O gabinete do governador daria à Remington uma redução significativa de seu imposto de renda por 10 anos. A Autoridade do Vale do Tennessee forneceria eletricidade com desconto. A Alabama Industrial Development Training, uma agência estadual, treinaria gratuitamente os trabalhadores da Remington & # x2019s, como havia feito para outras 800.000 pessoas em grandes empresas no Alabama, como Boeing, Raytheon e Mercedes.

Então Battle lançou o quarto ás: ele concordou em comprar e renovar a antiga fábrica da Chrysler em Huntsville por US $ 12,5 milhões e dá-la à Remington sem pagar aluguel. Press mal podia acreditar em sua boa sorte. & # x201É difícil pensar em um negócio melhor do que o da Remington da perspectiva da empresa, & # x201D ele me disse. & # x201CAnd I & # x2019fiz facilmente 200. & # x201D

Em troca de dezenas de milhões em incentivos, a Remington só precisava se comprometer com alguns termos, dispostos em um grande documento chamado acordo de desenvolvimento. Primeiro, precisava contratar funcionários suficientes todos os anos para que, em 2021, tivesse uma força de trabalho local de 1.868. Em segundo lugar, começando imediatamente, ela teve que pagar a esses funcionários um salário mínimo por hora médio de $ 19,50, aumentando para $ 20,19 em 2017. Todas as partes assinaram.

As firmas de private equity geralmente substituem os gerentes existentes e instalam tenentes escolhidos a dedo. Na Remington, George Kollitides foi nomeado presidente-executivo em 2012. Diretor administrativo da Cerberus até aquele ano, Kollitides era uma estrela de private equity e uma presença constante nos círculos filantrópicos de Nova York. Ele recebeu seu M.B.A. da Columbia no final dos anos 1990 e, como Feinberg, era um entusiasta de armas de fogo. (Kollitides se recusou a comentar para este artigo.)

A Kollitides passou grande parte de 2013 e 2014 ziguezagueando pelo país no turboélice Remington e no turboélice Piaggio # x2019s. Bonito e charmoso, ele convenceu vários executivos procurados a se mudarem para Huntsville. & # x201CGeorge me pegou no avião em New Hampshire, & # x201D disse Ginger Chandler, um ex-executivo da Smith & amp Wesson que atuou como vice-presidente sênior de desenvolvimento de novos produtos na Remington de 2014 a 2017. & # x201CHe me trouxe para Huntsville, e ele me mostrou o laboratório de engenharia, & # x201D ela disse. & # x201Chat & # x2019s como ele me convenceu. Para um engenheiro da indústria de armas, essas instalações eram superiores a todos os outros & # x2019s, exceto talvez Sig Sauer & # x2019s. George me convenceu de que eles tiveram um sonho em Huntsville e eu acreditei nele. & # X201D

O sonho era elevado e ambicioso, e Huntsville era apenas uma parte dele. A Cerberus vinha tentando há anos montar uma empresa americana de armas dominante. Primeiro, em 2006, comprou o Bushmaster, conhecido por seus rifles de estilo AR-15. Em seguida, pagou $ 118 milhões em dinheiro pela Remington e assumiu a dívida da empresa. Outras aquisições se seguiram, até que em 2013, 18 negócios foram agrupados sob o teto da Cerberus & # x2019s. Uma das tarefas da Kollitides & # x2019s era supervisionar as dispensas necessárias. Em Ilion, onde a Remington operou por 191 anos no mesmo local & # x2014, armas inacabadas tiveram que viajar de um prédio de tijolos para o próximo & # x2014 231 pessoas perderam seus empregos. Houve 160 demissões em Montana Rifleman em Kalispell, Mont. A Advanced Armament Corporation, fabricante de supressores e silenciadores, fechou sua fábrica na Geórgia e 68 pessoas foram dispensadas da D.P.M.S. Panther Arms em St. Cloud, Minn. 65 do Pará USA em Pineville, N.C. O que restou foi aumentar as margens de lucro combinando todas essas linhas de produção dispersas em uma única megafábrica.

Enquanto Chandler voava com Kollitides no avião de New Hampshire, havia todos os indícios de que o sucesso os aguardava abaixo. Quando a Cerberus comprou a Remington, a empresa estava ganhando US $ 500 milhões por ano em receita. Em 2014, faturou US $ 939 milhões. As vendas de armas são impulsionadas pela retórica anti-armas. Uma piada popular na indústria é que Barack Obama foi o maior vendedor de armas de todos os tempos. Os números confirmam isso. Em 2013, um ano após sua segunda vitória eleitoral, as empresas americanas de armas de fogo produziram 10.844.792 armas de fogo, 222% a mais do que no ano seguinte aos ataques terroristas de 11 de setembro. Em 2015, esperando outro democrata na Casa Branca, muitos fabricantes pensaram que a festa iria continuar, alimentados por uma combinação de retórica de controle de armas e conspirações de confisco da mídia de direita & # x2019s.

Havia, no entanto, uma peculiaridade oculta e vagamente misteriosa das finanças da empresa. Em 2012, mais ou menos no meio do melhor clima para fabricantes de armas em uma geração, o fabricante mais antigo da América em operação contínua de forma abrupta e sem razão facilmente discernível, emprestou centenas de milhões de dólares. Quando a empresa chegou ao Alabama, devia US $ 828 milhões a seus credores. Embora esse número, em comparação com o lucro da empresa em 2010, representasse um índice confortável no balanço patrimonial, não deixava de ser curioso. A dívida poderia ter sido explicada pelo custo de abertura de uma nova fábrica, não fosse o fato de a Remington ter sua fábrica de graça.

Último outono, um ex-executivo da Remington, que pediu que seu nome não fosse divulgado por medo de uma reação adversa, abriu a porta de sua casa em Huntsville e me chamou para seu escritório, onde nos sentamos de cada lado de uma lareira. Uma edição de quatro volumes de & # x201CThe Adventures of Huckleberry Finn & # x201D encadernada em couro verde escuro estava no manto, ao lado de Howard Zinn & # x2019s & # x201CA People & # x2019s History of the United States & # x201D e uma cópia dos Estados Unidos Constituição dos Estados.

Conheci o executivo em um bar em Huntsville, onde procurava outro executivo da Remington, que acabou recusando uma entrevista porque não consegui satisfazer sua condição de conseguir que um proeminente jornalista de guerra americano lhe enviasse um e-mail pessoal. Este me disse que falaria se eu aparecesse em sua casa na manhã seguinte com um café com leite de abóbora Dunkin & # x2019 Donuts, que agora coloco na frente dele em seu tapete oriental.

Ele foi contratado, explicou o executivo, quando a fábrica estava entrando em operação, e ele foi encarregado de discutir algumas aquisições esparsas. O negócio estava, de acordo com ele, & # x201Cin shambles. & # X201D Parecia que as empresas que Cerberus havia mudado para o Alabama tinham sido & # x201Compradas e esquecidas. & # X201D Ele explicou que era & # x201Ca realista & # x201D sobre negócios , um jogo em que nem todo mundo recebe & # x201Ca rosa brilhante no final & # x201D, mas mesmo assim ele percebeu que algo estava muito errado. Executivos foram demitidos rapidamente. Os funcionários da linha entravam e saíam. Peças empilhadas no chão da fábrica. Mais preocupante, a Cerberus, que estava tentando integrar marcas díspares & # x2014 o pastoralismo pai-filho de Remington com a estética da milícia urbana da AAC, por exemplo & # x2014 parecia-lhe avarenta quando se tratava de marketing. & # x201COs decisões giravam em torno de: Onde posso economizar mais um centavo? & # x201D ele me disse.

Apesar de todo esse frenesi, ele tinha certeza de que a Cerberus havia de alguma forma ganhado muito dinheiro com a Remington antes mesmo de abrir a fábrica de Huntsville. De acordo com ele, a Cerberus havia feito & # x201Chenas de milhões de dólares & # x201D quase imediatamente. & # x201Eles tiraram todo aquele dinheiro adiantado, tiraram o máximo que puderam. & # x201D

Ele apertou os olhos enigmaticamente. & # x201Eles recebem seu dinheiro. & # x201D

Percebi que ele não sabia. Voltei e reli os arquivos públicos da Remington & # x2019s. Era óbvio quando apareceu a dívida, em 2012. O que não estava claro era para onde ia o dinheiro. Mostrei os arquivos a um professor de finanças. Ele disse que parecia que a Cerberus tinha ficado em dívida consigo mesma. & # x201CParece que eles fizeram algo estúpido, & # x201D disse ele. & # x201CMas isso pode & # x2019não estar certo, porque eles & # x2019 não são estúpidos. & # x201D

Pedi a Gustavo Schwed, professor de private equity da New York University que passou 24 anos no setor, que me ajudasse a revisar os documentos. Schwed examinou os muitos anos de dados financeiros e localizou duas transações de dívida separadas, uma das quais era tão esotérica que eu nem saberia procurá-la. Juntas, essas transações explicaram não apenas o misterioso empréstimo de 2012, mas, indiretamente, a forma como o negócio finalmente se desenrolou.

Para comprar a Remington, a Cerberus, como a maioria das firmas de private equity faria, criou uma nova entidade, uma holding. Em vez de a Cerberus comprar uma empresa de armas, a Cerberus colocou dinheiro na holding, que comprou a Remington. As entidades eram relacionadas, mas & # x2014 e isso era crucial & # x2014 cada uma poderia emprestar dinheiro de forma independente. Em 2010, a Cerberus fez com que a holding pegasse emprestado US $ 225 milhões de um grupo não divulgado de credores, provavelmente fundos de hedge. Como esse empréstimo era arriscado & # x2014, os credores seriam pagos apenas se a Remington ganhasse muito dinheiro ou fosse vendida & # x2014, a holding ofereceu uma generosa taxa de juros de cerca de 11%, muito mais alta do que um empréstimo corporativo típico. No vencimento dos juros, a holding os pagava não à vista, mas com notas integralizadas, ou seja, com mais dívidas. Elas são conhecidas como notas PIK.

A holding agora tinha US $ 225 milhões em dinheiro emprestado. A Cerberus, por sua vez, detinha a maior parte das ações da holding & # x2019s, basicamente papéis que adquiriram quando criaram a holding. The handoff happened next: The holding company spent most of the $225 million buying back its own stock, effectively transferring all the borrowed cash to Cerberus. Cerberus would keep that money no matter what. Meanwhile Remington continued rolling along as though nothing had happened, because Remington itself was not responsible for the holding company’s debt. Remington was just an “operating company” that the holding company owned, something that allowed the holding company to borrow money, the way you would take a necklace to a pawnshop. These were garden-variety maneuvers in a private-equity buyout. In the trade, this is called 𠇏inancial engineering.” People get degrees in it.

In April 2012, Cerberus did something fateful, which probably seemed smart at the time. It had Remington borrow hundreds of millions of dollars and use it to buy the holding company’s debt, effectively transferring responsibility for the principal and the interest payments onto Remington. America’s oldest gun company now owed the money that Cerberus had used to pay itself back for having bought the company in the first place. There were plenty of sensible reasons to do this. Gun sales were high, and the debt that Remington took out was cheaper to service than the paid-in-kind debt.

But there was a catch. Because the operating company borrowed the money with a normal loan — and not with PIK notes — interest payments were required in cash. Suddenly Remington was carrying hundreds of millions of dollars in debt that, if it could not be paid, would cause the business to go bankrupt.

By the time the factory opened in Huntsville, the various players stood in vastly different positions. The private-equity firm had made back its initial investment and was playing with house money. Remington owed hundreds of millions that it hadn’t borrowed. And its workers, urgently, had to make a lot of guns.

Huntsville is a de facto segregated city. Pastor T.C. Johnson, of St. Luke Missionary Baptist Church, recounted to me how while he was in the Army in the early 1990s, real estate agents didn’t show him houses in South Huntsville, the white side of town. He was unaware South Huntsville existed until some of his Army subordinates, who were white, bought homes there. Since 1965 Huntsville’s schools have been under a federal desegregation order, which compels school districts to remedy race-based inequality. Johnson’s oldest son attended Mae Jemison High, a predominantly black school that the state classified as failing. White students at nearby schools “were so far ahead of my child it was almost sickening,” he said.

Johnson’s experience was of a piece with the racial hierarchy in Huntsville. Blacks make up 31 percent of the city’s population but make up 16 percent of its police force. Unlike Birmingham and Mobile, there has never been a black mayor in Huntsville. Though blacks, like all Huntsvillians, paid the taxes that supported lucrative incentive packages, they seldom reaped the rewards of the best-paying jobs. This reality was of course not felt by whites, Johnson said. For whites, “that’s just the way it is.”

The Remington factory was housed in a gray building the size of 14 football fields set back behind fencing topped with razor wire. Inside, the building was divided in half, the production line on the left and the administrative and engineering offices on the right, along with a classroom set up by the state agency that provides free worker training for private businesses. Classes for new hires were held three days a week, every week.

About a year after the factory opened, leaders in Huntsville’s black community, including Johnson, began to hear reports from inside. Johnson was disappointed but not surprised to learn from his parishioners that on the Remington line, the usual racial divisions manifested. Most of the line workers were black, whereas most of the managers and engineers were white. Though the company was supposed to be hiring hundreds of people, workers said that the line appeared suspiciously sparse. In addition, though the jobs had been advertised at $19.50 an hour in newspaper columns and Facebook posts — as they should have been, per the development agreement — no one seemed to be earning anything close to $19.50. Johnson, along with the president of the Huntsville N.A.A.C.P. chapter at the time, the Rev. Robert Shanklin, invited a union organizer from the United Mine Workers of America, the same union that organized Remington’s Ilion plant, to use its church facilities and offices as necessary in order to hold clandestine meetings.

The organizer arrived in Huntsville in 2016. He was born in Birmingham and spent most of his career organizing throughout the South. As a result, he tended to be suspicious of Southern bosses — “I have a warped mind when it comes to Alabama,” he told me — and he expected an oppositional management at Remington. But another obstacle surprised him. From week to week, in Johnson’s church or Shanklin’s N.A.A.C.P. office, the organizer rarely saw the same face twice. It seemed to Shanklin that in order to prevent unionization, the factory was exchanging its full-time workers for temps, who came and went rapidly, never sticking around long enough to have a stake. (Remington declined to comment for this article.)

The presence of the temp workers, who were exempt from the minimum average hourly wage in the development agreement, also served as a cautionary tale, a reminder of how much lower you could sink if you raised trouble. Temps started at $9.20 an hour with no benefits. Full-time workers, for their part, were often unaware that the tax-incentive package might entitle them to higher wages than they were receiving. And when they did realize, they were unsure what to do.

While I was in Huntsville, Remington employees told me that if they spoke to me for this article, they would be fired. One woman, a line worker, told me over the phone: “These people, they have ways of finding out if you talked. I talk to you, no ifs, ands or buts, I’m gone. It makes us feel they have something to hide. But we keep our mouths shut. Clock in, clock out.”

I eventually met a former employee, who asked to be identified by her first initial, D., and agreed to talk about her experience at Remington. D. started working full time on the Remington line in August 2015. She was 43 and divorced and moved to Alabama more than a decade earlier from Michigan, along with her 17-year-old son. In 2014 she was earning $10 an hour as a housekeeper at a hospital, but she left for a job at Remington after seeing a newspaper article in which the company promised a minimum average hourly wage of $19.50.

After taking her two-week course at A.I.D.T., D. started work. She was assigned to a boxing station, which was not on an assembly line but at a static counter where the workers stood side by side. The job was boring. She received the guns — they were long guns, for hunting — placed them in boxes, then weighed the boxes on a digital scale. If the scale displayed a red light, that meant D. had missed a part. When she opened her first paycheck, she saw that she was earning $12.36 an hour — gross. After taxes and benefits, her take-home pay amounted to $353.70 a week.

After two years, according to paystubs that D. shared with me, she was earning $14.16 an hour. She decided to move into a better apartment in North Huntsville, a two-bedroom with a linoleum square cut out of gray carpeting for a welcome mat. Rent was $675. She bought a Dodge Avenger and a Ruger .380 for protection.

Then, in 2016, D. slipped on a metal pole that a maintenance worker had left outside the factory, grabbed the fence with her right hand to break her fall and felt a muscle tear in her wrist. After missing several days for a second surgery, she says she was called into the office of her supervisor, told that she had missed too much work and fired, three years to the day after she started. As the union effort had fizzled, there was no one she could appeal to for help.

We were sitting in her apartment last October when her cellphone rang. “Tracir Financial’s calling,” she said. “�use I owe on the car.” She pressed decline. The fingers of her left hand returned to her right wrist and massaged it.

Over the winter, facing several months of back rent and payments on the Dodge, D. ran out of cash. One morning she woke up to find her car had been repossessed. Bankruptcy offered the only way out, and she filed her petition three weeks before Christmas. Just before the New Year, she was hired by the private-security firm Securitas. She was assigned to the Toyota factory. For the first hour of the day, she would stand outside in her jacket and check employees’ IDs as they arrived. Then she patrolled the parking lot in a company car. The job pays $10 an hour.

After the 2016 election, researchers at Cerberus saw an omen in their data. Applications through the National Instant Criminal Background Check System, which are known as “NIC checks,” were dropping by double-digit percentages. A plunge in NIC checks foreshadows a corresponding plunge in gun sales, which is what happened in the months that followed. Remington’s profit slid toward zero. The debt, meanwhile, was racing upward, like a flame licking a fuse.

For Cerberus’s executives, the predicament was like being bitten by a trusted pet. Cerberus has a habit of hiring power brokers from the United States government, many of them prominent Republicans. The former vice president Dan Quayle became chairman of Cerberus Global Investments in 1999 the former Treasury secretary John W. Snow joined Cerberus seven years later. The Republican donor William Richter is a founder. Since May 2018, Feinberg has been a member of Trump’s Intelligence Advisory Board, an independent entity created to advise the president on national-security matters. But if Obama was the best, Trump was proving to be the worst gun salesman of all time. Magnifying his negative impact, gun makers had already ramped up production ahead of Hillary Clinton’s expected victory: In 2017 the market was choked with surplus product, and Trump’s Second Amendment enthusiasm was dousing any hope of a panic buy.

Remington executives arranged a meeting with their creditors. They calmly explained the situation. Remington had been loaded with debt now it couldn’t pay the interest. After listening politely, the banks made a proposal: They would exchange the money they were owed for an ownership stake in Remington, a so-called Chapter 11 bankruptcy or �t-for-equity swap.” This arrangement would allow Remington to stay running, albeit under distant ownership, until a plan could be drawn up for its future, such as a sale or a liquidation of assets.

In March, Remington announced that it would lay off about 200 employees between its Ilion and Huntsville factories. Shortly after that, the state of Alabama, in a routine payroll audit, found that Remington had missed its hiring targets: Only 450 people were working at the plant at the beginning of 2018, as opposed to the 680 promised in the development agreement. In response, the county and state revoked a number of their tax incentives and demanded the return of $500,000. Remington, not Cerberus, will be responsible for the sum. By the time the state finished its audit, the private-equity firm had long since exited the scene.

A source told me that Cerberus executives were disappointed in the way the Remington transaction turned out you never want your companies to end up in bankruptcy. Even so, for the firm, at least, the decade-long saga had been profitable.

Jesse Barron is a writer in Los Angeles. He last wrote for the magazine about investors’ attempts to profit from climate change.


There are two distinct dates that you need to be aware of when it comes to collection accounts: the reporting limit and the statute of limitations.

Reporting Limit

The reporting limit on collection accounts is set by the Fair Credit Reporting Act (FCRA) and is equal to seven years from the date of last activity, or DLA. Most accounts are charged off after six months of missed payments. You can expect to see the collections fall off of your credit report seven years and six months after your last payment.

Statute of Limitations

The statute of limitations on a debt varies from state to state. It can be as few as three years or as many as six (or longer for some types of debt). When the statute of limitations has passed on a debt, it is referred to as “time-barred.”

While a debt collector can continue to contact you unless you tell them to stop, they cannot legally sue you to obtain a judgment once the statute of limitations has passed. The debt may still be listed on your credit report after the statute of limitations has passed if the reporting limit hasn’t.

An underhanded debt collection agency may attempt to coerce you into paying by listing a more recent date on the account. This is known as re-aging and is illegal under the FDCPA and the FCRA.

If you try to set up a payment plan, you could open yourself up to a lawsuit by re-starting the time creditors have to legally collect. If you’re not paying the creditor who currently owns the debt, the account remain as an unpaid collection.


Why Is National Debt A Problem?

If a government increases its national debt to a level that the market thinks is too high, it will have to increase the interest it pay in order to find lenders.

With the backstop of a high return from a safe source, banks do not need to lend to businesses to make a profit. When banks are less interested in offering loans, they raise interest rates for all borrowers.

High interest on loans increases business costs and the return on investment that is funded on debt reduces. In this instance, businesses cease to expand and unemployment rises.

Other Impacts Of Rising Interest Rates

When interest rates rise, the cost of mortgages on properties rise and so the cost of rents also rise. The increase in the cost of premises forces businesses to increase their prices in order to remain in profit.

This in turn increases the cost of living and causes inflation without economic growth. A workforce faced with an increased cost of living will demand higher wages.

This increases business costs and the price of goods, stoking inflation further. It doesn’t help that companies tend to cut costs through employee salaries.

Eventually, businesses will be squeezed to the point of bankruptcy or move their production abroad to save their profitability.


World debt comparison

The clock is ticking. Every second, it seems, someone in the world takes on more debt. The idea of a debt clock for an individual nation is familiar to anyone who has been to Times Square in New York, where the American public shortfall is revealed. Our clock (updated September 2012) shows the global figure for almost all government debts in dollar terms.

Does it matter? After all, world governments owe the money to their own citizens, not to the Martians. But the rising total is important for two reasons. First, when debt rises faster than economic output (as it has been doing in recent years), higher government debt implies more state interference in the economy and higher taxes in the future. Second, debt must be rolled over at regular intervals. This creates a recurring popularity test for individual governments, rather as reality TV show contestants face a public phone vote every week. Fail that vote, as various euro-zone governments have done, and the country (and its neighbours) can be plunged into crisis.


What is the oldest debt that any country is paying right now, and to whom? - História

An Overview of the United States National Debt

The Current Outstanding Public Debt of the United States is:

Last Updated: Thursday, June 17th, 2021

Every man, woman and child in the United States currently owes $84,099 for their share of the U.S. public debt

Total U.S. National Debt: $27,752,835,868,445.35


Question: Who owns the public debt?

Answer: Mutual funds, pension funds, foreign governments, foreign investors, American investors, etc.

Which Foreign governments own the most U.S. debt?

Answer: Here is the Top 10 (as of Sep/2019)

1. Japan, $1145.8 billion dollars
2. China, Mainland, $1102.4 billion dollars
3. All Other, $484.8 billion dollars
4. United Kingdom, $346.2 billion dollars
5. Brazil, $301.2 billion dollars
6. Ireland, $274.1 billion dollars
7. Luxembourg, $252.5 billion dollars
8. Cayman Islands, $238.7 billion dollars
9. Switzerland, $231.3 billion dollars
10. Hong Kong, $224.2 billion dollars

*Includes oil exporting countries such as Saudi Arabia and Iran

**includes countries such as Bermuda and the Cayman Islands

Of the $5.1 trillion dollars of US debt that is owned by foreign governments, China and Japan own nearly half, as evidenced by this chart:


Growth of US Debt Over Past 50 Years

Current: $27,752,835,868,445.35
2010: $13,178,317,356,215.73
2004: $7,379,052,696,330.32
1999: $5,656,270,901,615.43
1994: $4,692,749,910,013.32
1989: $2,857,430,960,187.32
1984: $1,572,266,000,000.00
1979: $826,519,000,000.00
1974: $475,059,815,731.55
1969: $353,720,253,841.41
1964: $311,712,899,257.30
1959: $284,705,907,078.22


Other Creative Ideas to Get Out of Debt

22. Ask for a raise.

What do you have to lose? Michael Jordan always says, &ldquoYou miss 100% of the shots you don&rsquot take.&rdquo Thanks, Mike.

23. Learn to say no.

Make it a new part of your vocabulary. Love it. Embrace it. Because when it comes to spending money, you&rsquoll say it quite often.

24. Sell items on Facebook Marketplace or Craigslist.

One person&rsquos trash is another person&rsquos treasure. Dig through your kids&rsquo rooms and the abyss of your closet to find things you can part with to make some quick cash.

25. Go on a spending freeze.

Challenge yourself with a &ldquonothing but the essentials&rdquo month, aka a spending freeze. This is a great way save some extra money&mdashso you can chuck it at that month&rsquos debt payoff goal.

26. Give more.

Wait a minute&mdashgive? Yes! Giving changes you. It changes your spirit. Make giving a priority in your budget, no matter what your income is, and you&rsquoll feel like a million bucks.

27. Take control of your money with Ramsey+.

So, we talked about how Ramsey+ helps you budget&mdashbut there are even more ways it can help you pay off your debt faster. You&rsquoll get our interactive BabySteps app that makes it fun to track your debt-payoff progress. Plus, you&rsquoll learn how to walk our step-by-step financial plan. And it actually works. In the first 90 days of working the plan, the average household pays off $5,300 of debt. And right now, you can try it all with a free trial of Ramsey+!

Vocês can pay off debt faster! Get started with a FREE trial of Ramsey+.

There you have it&mdash27 ways to get out of debt even faster. Remember, your future is worth the work you&rsquoll put in today. You can do this. You will do this.

Ramsey Solutions has been committed to helping people regain control of their money, build wealth, grow their leadership skills, and enhance their lives through personal development since 1992. Millions of people have used our financial advice through 22 books (including 12 national bestsellers) published by Ramsey Press, as well as two syndicated radio shows and 10 podcasts, which have over 17 million weekly listeners.