Campanha Salamaua-Lae (30 de junho a 16 de setembro de 1943)

Campanha Salamaua-Lae (30 de junho a 16 de setembro de 1943)

Campanha Salamaua-Lae (30 de junho a 16 de setembro de 1943)

A Campanha Salamaua-Lae (30 de junho a 16 de setembro de 1943) foi a primeira parte da Operação Postern, uma ofensiva mais ampla destinada a eliminar a presença japonesa no lado da Nova Guiné do Estreito de Vitiaz.

Os japoneses ocuparam Salamaua e Lae, no Golfo de Huon, em março de 1942. No início, essas bases foram vistas como a linha de frente do cordão defensivo japonês na área, mas os japoneses decidiram então expandir-se para Papua, no sudeste canto da Nova Guiné. Salamaua e Lae tornaram-se assim bases de apoio durante a Batalha da Trilha de Kokoda (23 de julho a 13 de novembro de 1942). Após o fracasso do avanço japonês em Port Moresby, o foco voltou-se para a cabeça de ponte japonesa em Buna e Gona, na costa norte de Papua, mas estes foram capturados em 22 de janeiro de 1943. Cerca de 5.400 japoneses escaparam desta área e recuaram ao longo da costa para Salamaua e Lae.

Em abril de 1943, o General MacArthur e o Almirante Halsey concordaram com o plano Elkton III. Este era um plano de três estágios projetado para isolar a poderosa base japonesa em Rabaul, na Nova Grã-Bretanha. Enquanto o almirante Halsey operaria nas Ilhas Salomão, a parte do plano do general MacArthur seria realizada na Nova Guiné e na Nova Grã-Bretanha. A Operação I do plano Elkton III previa a captura das ilhas Woodlark e Kiriwina, na ponta oriental de Papua. Isso foi implementado como Operação Chronicle (30 de junho de 1943), sem qualquer resistência japonesa.

A segunda parte do plano Elkton III, Operação II, previa a captura de Salamaua, Lae, Finschhafen e Madang. Isso foi implementado como Operação Postern, e levaria de 30 de junho de 1943 até 26 de abril de 1944 para ser concluído. A primeira parte dessa operação mais ampla foi a captura das principais bases japonesas em Salamaua e Lae.

Os japoneses sabiam muito bem que suas bases estavam ameaçadas. Em janeiro de 1943, eles tentaram eliminar a pequena guarnição australiana de Wau, uma cidade do interior a cerca de 30 milhas das montanhas de Salamaua, mas foram repelidos. Em março, eles tentaram enviar reforços para a área por mar, mas o comboio de tropas foi detectado por aeronaves aliadas e destruído. Todos os oito navios de transporte e quatro dos oito destróieres envolvidos foram afundados e 3.000 soldados morreram afogados (Batalha do Mar de Bismarck, 2-4 de março de 1943). Mesmo assim, os japoneses ainda tinham cerca de 11.000 homens na área, sob o comando do muito hábil General Aachi.

O primeiro passo para a conquista de Salamaua foi realizado como parte da Operação I. Na noite de 29-30 de junho, 1.400 soldados da 32ª Divisão dos EUA desembarcaram na Baía de Nassau, ao sul de Salamaua. O próximo movimento veio de Wau. A 17ª Brigada australiana cruzou as montanhas e capturou a vila de Mubo em 17 de julho. De Mubo, os australianos capturaram o Monte Tambu e começaram a fechar a rede ao redor de Salamaua. Os japoneses decidiram que Salamaua estava perdida e evacuaram a cidade. As tropas americanas entraram em Salamaua em 11 de setembro.

O ataque a Lae também envolveu um ataque em duas frentes. Em 4 de setembro, tropas da 9ª Divisão australiana desembarcaram na costa leste de Lae. No dia seguinte, o 503º Regimento de Pára-quedistas dos EUA capturou o campo de aviação de Nadzab, subindo o rio Markham de Lae. Eles então se juntaram à 7ª Divisão australiana, que havia voado para Marilinan, subindo um afluente do Markham um pouco antes.

Essas forças convergiram então para Lae. Os japoneses resistiram ferozmente, mas a cidade caiu em 16 de setembro. As tropas vindas do oeste alcançaram a cidade primeiro.

Os japoneses sofreram as baixas mais pesadas durante a campanha, apesar de estarem na defensiva. No total, eles sofreram cerca de 10.300 baixas, das quais 2.722 foram mortas. Os australianos sofreram o pior da luta do lado aliado, com 500 mortos e 1.300 feridos, enquanto os americanos perderam 81 mortos e 396 feridos. Os japoneses conseguiram fazer com que cerca de 9.000 saíssem em segurança da área.

Após a captura de Salamaua, os exércitos aliados se dividiram em dois e realizaram investidas separadas, ambas voltadas para a principal base japonesa em Madang. Havia duas rotas possíveis para Madang - ao redor da costa da Península de Huon ou subindo o Vale Markham e descendo o Vale Ramu. Os Aliados decidiram seguir as duas rotas. A 9ª Divisão Australiana foi para o oeste, e logo foi fortemente engajada nas montanhas Finisterre, enquanto a 7ª Divisão moveu-se para o leste na Península de Huon para atacar Finschhafen, na ponta da Península.


Campanha Salamaua-Lae (30 de junho a 16 de setembro de 1943) - História

Esta é uma versão abreviada de & quot leitura rápida & quot da conta completa que aparece abaixo. Clique aqui para a versão completa.

Foi uma campanha em grande parte ofuscada pela campanha de Papua que a precedeu e pela captura de Lae que se seguiu. A campanha de Salamaua foi projetada para filtrar os preparativos para a ofensiva de Lae e atuar como um ímã para atrair reforços de Lae para Salamaua.

A captura de Lae, centro da linha defensiva japonesa na Nova Guiné, foi o alvo aliado após a derrota dos japoneses em Papua. O general Sir Thomas Blamey, o comandante-chefe australiano, ordenou que Salamaua morresse de fome depois que Lae fosse capturado.


Os japoneses desembarcaram em Lae e Salamaua em 8 de março de 1942. Os Rifles Voluntários da Nova Guiné e os sobreviventes do 2/22 o Batalhão de Rabaul destruíram todos os suprimentos militares e retiraram-se para o interior, onde observaram o aumento japonês. Em maio, a Força Kanga, que incluía a 2/5ª Companhia Independente, foi transportada de avião para Wau para operar como uma força de guerrilha contra os japoneses no Vale Markham. Em 29 de junho, a força Kanga invadiu Salamaua, causando pesadas baixas e capturando o primeiro equipamento e documentos japoneses levados pelo Exército australiano.
Em 31 de agosto, um forte grupo japonês chegou a Mubo, mas com os japoneses na ofensiva ao longo da Trilha Kokoda e em Milne Bay, os reforços não estavam disponíveis para a Força Kanga até outubro, quando a 2 / 7ª Companhia Independente se juntou.

Recaptura de Salamaua

Em 26 de agosto, Savige e seu quartel-general da 3ª Divisão foram revividos pelo General Milford e seu quartel-general da 5ª Divisão.

A 5ª Divisão conduziu as operações finais em torno de Salamaua, que foi ocupada pelo 42º Batalhão em 11 de setembro, uma semana após o início da ofensiva de Lae e cinco dias antes da 7ª e 9ª Divisões australianas entrarem em Lae.

A longa campanha de inverno da 3ª Divisão em 1943 obteve ganhos estratégicos impressionantes.

Grande parte da força do XVIII Exército Japonês foi desviada das áreas que deveriam ser os objetivos da ofensiva que não poderia ser montada até a primavera, quando as divisões de veteranos seriam descansadas e retreinadas, embarcações de desembarque disponíveis e ar a superioridade aumentou. Ao mesmo tempo, uma experiência imensamente valiosa foi adquirida em táticas na selva e em métodos de abastecimento.


Pela primeira vez, a infantaria australiana e as companhias independentes trabalharam juntas em uma longa campanha e cada uma aprendeu com a outra. A artilharia havia sido usada em uma escala até então inexistente na guerra de montanha na Nova Guiné. Foram desenvolvidas doutrinas que deram aos australianos superioridade tática e administrativa decisiva sobre os japoneses na guerra no mato. Nos seis meses até agosto de 1943, a força do XVIII Exército Japonês havia sido esgotada e dispersa enquanto, atrás da frente em que a 3ª Divisão Australiana lutava, a força Aliada no Sudoeste do Pacífico havia aumentado muito.

Este é um relato mais completo das ações que levaram à batalha por Salamaua. Ele foi copiado diretamente do site da Vetnet

Em 23 de abril, a 3ª Divisão sob o comando do Major-General Savige assumiu o controle na área de Wau-Bulolo e a Força Kanga deixou de existir. A força de Savige originalmente incluía apenas a 17ª Brigada e três Companhias Independentes (2/3, 2/5 e 2/7). Savige foi instruído a transformar a área em uma zona operacional ativa para defesa móvel. Foi estimado que havia 5.500 japoneses em torno de Lae e Salamaua com entre 6.000 e 8.000 em Madang e de 9.000 a 11.000 em Wewak. Savige, que recebeu ordens de não atacar Salamaua diretamente, decidiu estabelecer bases firmes o mais à frente possível e perseguir o inimigo com patrulhas. No entanto, apenas pequenas forças podiam ser mantidas na área avançada e nenhum propósito militar útil era servido por ataques e incursões que não foram devidamente organizados, apoiados por fogo superior e totalmente dirigidos para casa.

Os japoneses foram escavados em Pimple, Green Hill e Observation Hill ao longo da trilha principal de Wau a Mubo. Em 24 de abril, uma empresa do dia 2/7 atacou o Pimple e Green Hill, quatro aeronaves metralharam a posição japonesa e, em seguida, a empresa avançou em duas colunas apoiadas por morteiros, mas o inimigo estava firmemente entrincheirado no precipício e os australianos estavam interrompido. No dia seguinte, outro ataque, apoiado por aeronaves e a 1ª Bateria de Montanha, limitada a cinquenta tiros por fuzil, também falhou. Em 7 de maio, um ataque da empresa foi lançado novamente contra o Pimple, mas novamente falhou. Em 9 de maio, os próprios japoneses atacaram na área de Pimple e cercaram a companhia avançada australiana, que não foi substituída até a tarde do dia 11, quando já havia resistido a oito ataques de partes de dois batalhões japoneses.

A 2/3 Independent Company estava investigando profundamente e vendo que os japoneses estavam apenas segurando o cume de Bobdubi, obteve permissão para atacá-lo. Em 3 e 4 de maio, os japoneses foram empurrados para fora de parte da cordilheira Bobdubi e nos dias seguintes os levaram de volta, movendo-se para retomá-la. De Bobdubi, a 2/3 Companhia Independente foi capaz de assediar severamente os japoneses com incursões e emboscadas. As táticas da 2/3 Independent Company foram tão bem-sucedidas que Savige se sentiu constrangido a avisá-los para não tentar muito `compromissos prematuros na área de Salamaua não poderiam ser apoiados por uma força adequada no momento ', ele sinalizou.

A pressão foi mantida em torno de Bobdubi e, em 11 de maio, uma patrulha encontrou a crista abandonada, ocupou-a rapidamente e trocou tiros com o inimigo na crista Komiatum, por onde passava a via principal. Os japoneses reagiram fortemente a esta ameaça às suas comunicações, lançando um ataque em grande escala apoiado por armas e morteiros no dia 14 e forçou os australianos a se retirarem. Em 15 de maio, mais de 100 aeronaves japonesas atacaram as posições australianas em três ataques pesados. Os japoneses mantiveram seus ataques aéreos nos dias seguintes, mas geralmente contra alvos mais distantes da retaguarda australiana. Em 17 e 18 de maio, grandes formações de aeronaves japonesas invadiram o campo de pouso de Wau.

No final de maio, o 2/6º Batalhão substituiu o 2/7º Batalhão e o quartel-general da 15ª Brigada e outro batalhão dessa brigada começou a chegar na área de Savige. Durante o mês de maio, Beaufighters e Bostons australianos com Mitchells americanos atacaram Madang e Lae, mantendo uma pressão constante nessas bases. A RAAF agora tinha três esquadrões mais ou menos ligados às operações Salamaua com quatro esquadrões baseados na Baía de Milne e engajados principalmente em ataques a navios e em reconhecimento. Dois esquadrões de barcos voadores Catalina baseados em Cairns também desempenharam um papel nas operações na Nova Guiné, lançando minas nos portos do inimigo, fazendo incursões noturnas e apoiando vigilantes costeiros em território inimigo.

Foram emitidas instruções para uma base avançada na costa a ser apreendida dentro de sessenta milhas de Lae, sendo esta a embarcação de desembarque mais distante poderia transportar tropas em uma noite. A baía de Nassau foi escolhida e sua ocupação permitiria que a força em torno de Mubo fosse pelo menos parcialmente abastecida por mar. Além da baía, o terreno elevado em torno de Goodview Junction e Monte Tambu e a crista que dali para o mar seriam apreendidos.

O foco das operações em Salamaua era atrair os japoneses para longe de Lae e Salamaua não deveria ser assaltada até depois da operação Lae. Até o início da ofensiva de Lae, os japoneses deveriam ser levados a acreditar que Salamaua era o objetivo principal.

Em 19 e 20 de junho, houve sinais de que o inimigo estava prestes a antecipar o ataque aliado. Eles estavam patrulhando agressivamente durante a vigésima aeronave inimiga fez mais de oitenta surtidas de bombardeio contra as posições australianas. A ala direita do 2/6, detendo a sua vasta área em direcção à Baía de Nassau, estava sob forte fogo na tarde do dia 20. Na manhã seguinte, um ataque em força foi dispersado à tarde, um ataque mais forte foi feito e logo os australianos estavam em combate próximo. Uma nova empresa reforçou a que estava sendo atacada.

Ao cair da noite, os japoneses retiraram-se, tendo perdido cerca de 100 homens, mas renovaram o ataque nos dias 22 e 23, quando as tropas sitiadas se animaram com a visão de Beaufighters metralhando ao longo da pista. Naquela tarde, os ataques japoneses cessaram. Os 150 australianos perdidos em Lababia Ridge, onze foram mortos e doze feridos. O havia sido atacado por dois batalhões japoneses, 1.500 soldados, que perderam 41 mortos e 131 feridos.

O 162º Regimento dos EUA pousou na Baía de Nassau na noite de 29/30 de junho e na manhã seguinte saiu da cabeça de ponte. Em 1º de julho, a companhia mais oriental do 2/6 o Batalhão avançou para a costa ao longo do braço sul do Bitoi, expulsando uma companhia de japoneses. Na manhã do terceiro dia em terra, 2 de julho, a principal força americana permaneceu concentrada em volta da praia, mas naquela tarde uma companhia avançou para o Bitoi. No dia seguinte, quatro canhões de 75 mm foram desembarcados em Nassau, um reforço muito importante, e no dia 4 mais de 1.400 soldados estavam em terra. Soldados papuanos avançando ao longo da costa à frente do 162º regimento dos EUA chegaram ao lago Salus em 9 de julho e seguiram para a baía de Tambu.

Na manhã de 7 de julho, o dia 2/6 havia atacado a Colina de Observação e ao cair da noite detinha a maior parte dela. No dia seguinte, a principal companhia australiana avançou uma etapa mais em direção a um riacho onde se ligaria aos americanos do Bitoi. No dia 9, agora apoiados pelos canhões de campanha americanos enquanto anteriormente havia apenas dois canhões de montanha atrás deles, cinco empresas australianas pressionaram com patrulhas agressivas até que, no dia 10, apenas 75 japoneses sobreviveram na área, e sua linha de retirada foi cortada.

Em 12 de maio, o Pimple foi ocupado. Em 13 de maio houve um avanço geral e em 14 de maio o aeródromo de Mubo e Green Hill foram tomados. Os japoneses ainda defenderam fortemente Old Vickers onde foram fortemente escavados para defender a pista de Salamaua e nos dias 7 e 9 de julho pararam os ataques do 58º / 59º Batalhão.

O III / 162º Batalhão dos EUA (Major Archibald B Roosevelt) foi montado na Baía de Nassau em 12 de julho como um movimento preliminar para estabelecer a artilharia na Baía de Tambu. No dia 21, o batalhão americano alcançou a baía de Tambu e os suprimentos estavam sendo descarregados lá. A tarefa dos americanos era capturar Scout Ridge, com vista para a baía. Os ataques no dia 22 falharam e um segundo batalhão (o US II / 162º) foi enviado para reforçar o ataque.

Em 16 de julho, uma companhia do 2/5 do Batalhão havia atacado o Monte Tambu com grande ímpeto e capturado tudo, exceto o outeiro principal do norte. Os japoneses contra-atacaram repetidas vezes naquela noite, apoiados por bombas de morteiro e projéteis de um canhão de montanha. Uma segunda empresa chegou à área na manhã seguinte. Na noite de 18 de maio, os japoneses atacaram e quase cercaram as duas empresas australianas em Tambu e, no dia seguinte, desenvolveu-se uma luta feroz. Por volta das 14h30, após muita matança de japoneses, eles aceitaram a derrota e deixaram os australianos com a posse das encostas ao sul.

Mais ao norte, em 15 de julho, após morteiros e metralhadoras Vickers, dois pelotões da 2/3 Companhia Independente atacaram Ambush Knoll ao sul de Namling, enquanto o 58º / 59º Batalhão atacou Bobdubi em outro esforço para cortar as comunicações japonesas. Um pelotão da Companhia Independente expulsou os japoneses de suas posições avançadas, o outro os expulsou de Orodubi e, naquela noite, os japoneses abandonaram o Ambush Knoll. O ataque do 58/59 foi atrapalhado, porém, pelos contra-ataques japoneses. Num novo ataque no dia 17, a Empresa Independente voltou a cumprir a sua tarefa, mas o 58/59 foi retido.

O estabelecimento da base da Baía de Nassau tornou possível trazer e fornecer uma quantidade substancial de artilharia. Em 23 de maio, dois batalhões de artilharia de campanha dos EUA, duas baterias de campanha australianas, a 1ª Bateria Australiana de Montanha, a 2/6ª Bateria de Pesquisa Australiana e quatro baterias antiaéreas estavam instaladas. No flanco direito, o regimento americano ainda fazia pouco progresso. Na quarta semana de julho, o batalhão US II / 162º completou sua chegada à Baía de Tambu e recebeu a tarefa de capturar 'Roosevelt Ridge', como agora era chamado. O batalhão atacou e ganhou e manteve uma posição firme no cume. Os japoneses estavam bem cravados e não podiam ser expulsos por ataques frontais. O batalhão de Roosevelt, auxiliado por patrulhas da Papua, agora estava empregado no corte da rota de suprimentos do inimigo para o oeste.

Em 28 de julho, um ataque de flanco por uma empresa do dia 2/6 levou um recurso avançado de Ambush Knoll. No mesmo dia, o 58º / 59º Batalhão, apoiado por artilharia, morteiros e metralhadoras, finalmente assumiu a teimosa posição de Old Vickers e expulsou os japoneses da cordilheira Bobdubi. Estimou-se que nas seis semanas até 6 de agosto, a 15ª Brigada havia matado 400 japoneses em uma perda de 46 mortos e 152 feridos, uma indicação da crescente superioridade tática dos atacantes.

O batalhão líder da 29ª Brigada Australiana, o 42º, avançou para a área da Baía de Nassau e dali marchou para o norte e, por fim, posicionou-se entre os americanos à direita e a 17ª Brigada, da qual passou a fazer parte. Como uma preliminar para a captura do Monte Tambu, o 42º Batalhão ocupou Davidson Ridge entre Tambu e Roosevelt Ridge. Então, em 13/14 de agosto, o II / 162º Batalhão tomou Roosevelt Ridge depois de uma pesada barragem de artilharia que o deixou sem vegetação.

O ataque da 15ª Brigada começou em 14 de agosto. Vinte e nove bombardeiros pesados ​​bombardearam com precisão Coconut Ridge com efeito devastador, e canhões, morteiros e metralhadoras derrubaram uma barragem. Uma companhia do 2 / 7º Batalhão então atacou em um penhasco tão íngreme que os homens tiveram que rastejar sobre as mãos e joelhos, mas no início da tarde eles haviam conquistado a posição Cocos Norte. Na noite de 16/17 de agosto, os japoneses abandonaram South Coconuts.

O 2/6 Batalhão abriu seu ataque em Komiatum Ridge em 16 de agosto. Após cerca de 500 projéteis terem sido disparados contra as posições japonesas, duas empresas atacaram e em 25 minutos haviam ocupado o objetivo. O inimigo na área do Monte Tambu agora estava cercado, suas rotas para o norte sendo cortadas nas montanhas Komiatum e Davidson. Esperava-se que a falta de rações (as patrulhas descobriram que eram entregues a cada três dias) faria com que os japoneses tentassem a fuga na terceira noite. Em 19 de agosto, patrulhas do dia 5 de agosto encontraram Goodview Junction deserta e o Batalhão I / 162 dos Estados Unidos ocupou Tambu sem oposição.

A 15ª Brigada avançou agora para a pista que conduz a Salamaua. A 17 de Agosto, após um bombardeamento, dois pelotões da 2/3 Companhia Independente avançaram, um ocupou o entroncamento da via Bobdubi-Salamaua e outra via sul sem oposição, mas a outra foi detida. Desenvolveu-se uma luta intensa, com os japoneses lançando fortes contra-ataques. Em 19 de agosto, Savige ordenou que todos os esforços fossem feitos para fechar as avenidas de fuga do inimigo entre as cordilheiras Komiatum e Bobdubi. No dia seguinte a brigada atacou em uma frente ampla, e o 58º / 59º conseguiu cortar a pista do Komiatum em vários lugares.

Em preparação para a nova ofensiva, Savige foi instruído que sua força deveria ser organizada de forma que em 28 de agosto pudesse ser mantida do mar sem suprimento de ar. A partir de 21 de agosto, a 29ª Brigada começou a substituir a 17ª Brigada (excluindo o 2 / 7º Batalhão anexado à 15ª Brigada), que desde janeiro lutava pelo emaranhado de montanhas cobertas pela selva de Wau a Salamaua. Os australianos avançaram rapidamente em direção a Salamaua, mas Savige ordenou que os japoneses não fossem pressionados com tanta força que pudesse causar uma evacuação antecipada de Salamaua.

Em 26 de agosto, Savige e seu quartel-general da 3ª Divisão foram revividos pelo General Milford e seu quartel-general da 5ª Divisão. A 5ª Divisão conduziu as operações finais em torno de Salamaua, que foi ocupada pelo 42º Batalhão em 11 de setembro, uma semana após o início da ofensiva de Lae e cinco dias antes da 7ª e 9ª Divisões australianas entrarem em Lae.

A longa campanha de inverno da 3ª Divisão em 1943 obteve ganhos estratégicos impressionantes. Grande parte da força do XVIII Exército Japonês foi desviada das áreas que deveriam ser os objetivos da ofensiva que não poderia ser montada até a primavera, quando as divisões de veteranos seriam descansadas e retreinadas, embarcações de desembarque disponíveis e ar a superioridade aumentou. Ao mesmo tempo, uma experiência imensamente valiosa foi adquirida em táticas na selva e em métodos de abastecimento. Pela primeira vez, a infantaria australiana e as companhias independentes trabalharam juntas em uma longa campanha e cada uma aprendeu com a outra.

A artilharia havia sido usada em uma escala até então inexistente na guerra de montanha na Nova Guiné. Foram desenvolvidas doutrinas que deram aos australianos superioridade tática e administrativa decisiva sobre os japoneses na guerra no mato. Nos seis meses até agosto de 1943, a força do XVIII Exército Japonês havia sido esgotada e dispersa enquanto, atrás da frente em que a 3ª Divisão Australiana lutava, a força Aliada no Sudoeste do Pacífico havia aumentado muito.

Estatisticas : Mais de 35 milhões de visitantes da página desde 11 de novembro de 2002


Conteúdo

No final de janeiro de 1943, durante a Batalha de Wau, uma tentativa japonesa de capturar o campo de aviação vital ao redor de Wau foi repelida. No processo, a última tentativa japonesa de capturar Port Moresby foi rejeitada. No rescaldo, a força australiana & # 160– consistindo principalmente da 17ª Brigada sob o comando do Brigadeiro Murray Moten & # 160– avançou para a área ao redor de Wau e em direção a Mubo. & # 911 & # 93 Como elementos da 17ª Brigada estavam envolvidos na luta ao redor de Mubo, a 2/3 Companhia Independente moveu-se pelos flancos japoneses para Missim, de onde eles começaram uma campanha de guerrilha e operações de reconhecimento ao longo da trilha Komiatum para assediar os japoneses , em apoio à campanha da 3ª Divisão do Major General Stanley Savige em torno de Salamaua. & # 912 & # 93 Neste momento, as tropas japonesas do 80º Regimento de Infantaria, que fazia parte da 51ª Divisão do Tenente General Hidemitsu Nakano, estavam posicionadas em torno da Cordilheira Bobdubi, que dominava a área de Missim, & # 913 & # 93 situada ao norte de Komiatum. & # 914 & # 93 Elementos dos 66º e 115º Regimentos de Infantaria também estiveram na área durante o combate. & # 915 e # 93


A campanha Lae-Salamaua

Lae foi recapturado pelos Aliados no final de 1943. Como os comandantes aliados relutavam em arriscar sua navegação limitada nas águas estreitas do Golfo de Huon, um ataque anfíbio direto foi descartado. Nem Lae poderia ser alcançado de Wau, porque não havia transporte aéreo adequado para fornecer as forças terrestres necessárias, e um esforço australiano para construir uma estrada sobre as montanhas Owen Stanley para Wau estava progredindo muito lentamente. Em vez disso, o comando aliado decidiu realizar um desembarque na Baía de Nassau (147.126E 7.300S), que estava dentro do alcance da embarcação de desembarque, a fim de estabelecer uma base avançada de abastecimento.

A força de desembarque foi reunida em torno de 1 Batalhão, 162 Regimento e batedores se infiltraram na área da Baía de Nassau na noite de 28 de junho de 1943. Os defensores inimigos eram 150 homens do 102 Regimento e de uma unidade de guarda naval, concentrada no Cabo Dinga (147.136E 7.310S). A principal força de desembarque chegou logo depois da meia-noite de 30 de junho em meio a uma confusão considerável, com algumas embarcações de desembarque perdendo suas praias de desembarque e outras embarcações sendo empurradas para terra pelas ondas pesadas. Dos quatro barcos PT, 29 LCVPs, um LCM e duas barcaças japonesas capturadas usadas para mover a força, 17 LCVPs naufragaram e o LCM foi inundado. A maioria dos rádios do batalhão foi desativada pela água do mar. No entanto, não houve oposição japonesa e 779 homens e um trator foram trazidos com sucesso à terra.

Adachi estava inclinado a desviar elementos de 51 Divisão (Nakano), que estava tentando expulsar a 3ª Divisão Australiana de sua posição de comando em Lababia Ridge (147.018E 7.231S), para destruir a cabeça de praia de Nassau. No entanto, Nakano persuadiu Adachi a ignorar os desembarques e manter a pressão sobre os australianos. Assim, o único contra-ataque contra a Baía de Nassau, pela pequena guarnição do Cabo Dinga, foi expulso. Adachi então ordenou que uma linha de barcaças fosse montada para trazer reforços para Lae e Salamaua.

MacArthur decidiu que a superioridade aérea local deveria ser estabelecida antes de fazer seu próximo movimento. Seu talentoso comandante da Força Aérea, George Kenney, desconsiderou os próprios campos de aviação japoneses de Lae e Salamaua, porque careciam de apoio logístico para representar uma ameaça significativa. No entanto, os campos de aviação no oeste da Nova Guiné e na Nova Grã-Bretanha ficavam perto o suficiente das duas cidades para que os caças da base aérea Aliada em Dobodura não pudessem garantir a superioridade aérea.

Kenney enfrentou o desafio com uma das operações de engano de maior sucesso da guerra. No início de junho, uma patrulha aliada havia patrulhado um campo abandonado em Tsili Tsili, localizado a apenas 40 milhas para o interior de Lae, e concluiu que era adequado para o desenvolvimento como uma base de caça. Em 16 de junho, tropas e engenheiros foram levados de avião para a faixa e começaram a melhorá-la discretamente. Enquanto isso, uma pista de pouso falsa conspícua foi raspada da vegetação em Bena Bena, a alguns quilômetros de distância. O próprio Tsili Tsili estava baseando a aeronave em 26 de julho, mas não foi descoberto pelos japoneses até 14 de agosto.

Em 10 de agosto, os japoneses concentraram mais de 250 aeronaves em Wewak para uma contra-ofensiva aérea. Eles começaram a invadir Tsili Tsili assim que foi descoberto. No entanto, em 17 de agosto, enquanto os japoneses se preparavam para lançar um ataque massivo contra o novo campo de aviação aliado, cerca de 48 bombardeiros pesados, 31 strafers B-25 e 85 caças P-38 Lightning surpreenderam os japoneses e destruíram 70 aeronaves no solo . Um segundo ataque no dia seguinte destruiu muito mais aeronaves japonesas.

Enquanto isso, os barcos americanos da PT, que haviam se tornado adeptos da caça de barcaças, estavam interrompendo seriamente a linha de barcaças de Rabaul. Eles foram auxiliados durante o dia por aeronaves aliadas. Os japoneses responderam trazendo bombardeiros Ki-21 "Sally" obsoletos para caçar os barcos PT, mas isso não teve sucesso.

No final de julho, a 3ª Divisão australiana de Wau se juntou a elementos da 41ª Divisão para levar os japoneses a seis milhas de Salamaua. Aqui eles se juntaram a tropas adicionais trazidas por 2 Brigadas Especiais de Engenheiros. Os japoneses responderam com contra-ataques agudos, mas sem sucesso, e em agosto havia 8.000 japoneses restantes em Salamaua e apenas 2.000 em Lae.

Na noite de 22 para 23 de agosto de 1943, uma força de quatro destróieres bombardeou Lae. Embora tenham causado danos insignificantes, foi a primeira vez em dezoito meses que grandes navios de guerra aliados operaram nas águas repletas de recifes ao norte da baía de Milne. Uma combinação de levantamentos hidrográficos e radar aprimorado nos destróieres tornou a surtida possível.

A surtida de destruidores também abriu caminho para um grande ataque anfíbio da VII Força Anfíbia de Barbey:

Ordem de batalha aliada

VII Força Anfíbia (Barbey)
Embarcando 7.800 soldados da Divisão 9 da Austrália e 1.500 toneladas de suprimentos

DD Conyngham


DD Flusser

APD Brooks


APD Gilmer

APD Sands

APD Humphreys

Grupo LST



13 LST


Grupo LCI



20 LCI


Grupo LCT



14 LCT



APc-4


Grupo de Capa



DD Perkins


DD Smith


DD Mahan


DD Lamson

Grupo de Escolta
Wau


DD Mugford



DD Drayton

Grupo APc



13 APc



9 LCT


2 SC


Grupo de Serviço



AR Rigel



3 LST


10 SC


5 YMS



1 pequeno AO



AT Sonoma


Shore Regiment



532 Regimento de Engenheiros



10 LCM



40 LCVP

Barbey trouxe a infantaria australiana da Brigada 20 em terra cerca de 15 a 17 milhas (24 a 27 km) a leste de Lae em 4 de setembro de 1943. Um ataque de seis Zeros e três Bettys de Lae conseguiu destruir um LCI. Imamura lançou um ataque de 80 aviões de Rabaul, mas foi interceptado por 48 Relâmpagos dirigidos do destruidor Reid ao largo de Finschhafen. Os caças destruíram 23 aeronaves japonesas ao custo de duas próprias, e outra foi abatida por Reid. Os Vals e Bettys danificaram mais dois LSTs. No entanto, a maior parte das tropas e suprimentos, incluindo a Brigada 26, desembarcaram à noite. Eles começaram a avançar para o oeste, apoiados por embarcações de desembarque que lhes permitiam contornar os obstáculos do rio e flanquear redutos japoneses.

O regimento de pára-quedas 503 dos EUA pousou em Nadzab no dia seguinte. Kenney jogou as obras nesta operação (300 aeronaves) enquanto MacArthur observava de seu B-17 pessoal. Os japoneses foram rapidamente dominados e, em 24 horas, tropas da 7ª Divisão Australiana estavam chegando. Em 14 de setembro, essas tropas haviam se aproximado de Lae.

Depois de suportar um bombardeio por destróieres americanos em 9 de setembro de 1943, o comandante japonês decidiu retirar a guarnição e seguir para a costa norte da Península de Huon. O último japonês saiu de Lae em 15 de setembro. 1.500 dos 2.000 homens conseguiram cruzar a Península de Huon, mas apenas cerca de 400 ainda estavam em condições de combate quando chegaram, em 14 de outubro.

The Pacific War Online Encyclopedia © 2007-2008, 2010, 2013 por Kent G. Budge. Índice


Campanha Salamaua-Lae (30 de junho a 16 de setembro de 1943) - História

Relembrando a guerra na Nova Guiné
Salamaua – Lae, 1943 (texto mais longo)
Nome do módulo: Histórico da campanha (perspectiva de todos os grupos)
Esta página foi contribuída por John Moremon (Australian War Memorial)

O avanço dos Aliados em Salamaua e Lae começou com cautela. O novo comandante da Força da Nova Guiné, Major General Iven Mackay, não estava convencido de que os japoneses haviam abandonado seu plano de tomar Wau. No entanto, em 2-3 de março de 1943, aeronaves aliadas infligiram um golpe decisivo no 18º Exército japonês quando um comboio de tropas foi interceptado no mar.

A batalha do mar de Bismarck marcou uma virada nas campanhas aéreas e marítimas. Depois de uma série de falsos começos, os aviadores aliados revisaram as táticas anti-navegação. Os caças de ataque Beaufighter australianos metralharam os navios de guerra de escolta para suprimir o fogo antiaéreo enquanto os bombardeiros americanos B-25 Mitchell ‘pularam bombardeando’ os transportes. Todos os transportes e três contratorpedeiros foram afundados, com cinco destruidores danificados. Pelo menos 2.890 dos 6.500 soldados embarcados foram mortos ou afogados, muitos metralhados na água ou em jangadas nos dias seguintes. Os sobreviventes chegaram à costa em grupos dispersos sem armas e equipamentos ou foram resgatados e devolvidos a Rabaul.

On 23 April, New Guinea Force dissolved Kanga Force, which had defended Wau, and raised the 3rd Division. It comprised the veteran 17th Brigade and two independent companies, along with the inexperienced 15th Brigade flown from Port Moresby. Original members of Kanga Force were evacuated.

The 17th Brigade pursued the retreating Okabe Detachment and by month’s end had seized Lababia Ridge, two-thirds of the way to the coast. Meanwhile, the 2/3rd Independent Company occupied positions near the Komiatum Track, the Japanese line of communication. In a separate deployment, the militia 24th Battalion occupied posts along the Markham River but encountered no serious opposition.

Movement in the jungle-clad mountains was slow and tedious. Tracks were narrow, muddy and often exceptionally steep. Soldiers and carriers struggled up each incline and clambered down the far side, only to face up to another grueling climb. Clashes usually occurred on ridgelines, and often the Japanese left sick or exhausted men to make a suicidal stand. Fighting was thus hard and costly to both sides.

American transport aircraft delivered Australian troops, equipment and stores to Wau and dropped rations and other supplies in the forward area. Bad weather frequently prevented flying, so supplies were stretched. New Guineans carried supplies for the Australians and evacuated non-walking casualties but the Australia New Guinea Administrative Unit (ANGAU) would not permit Papuans to cross the territorial border and bolster the carrier lines. However, hundreds of Papuan men and women worked alongside engineers and New Guineans building a road from Bulldog over the Owen Stanley Range to Wau.

Many villagers in Japanese territory debunked to avoid carrying or because Allied aircraft strafed their homes. Strafing usually occurred after warning was given to clear a village. This tactic was designed to deny the Japanese a New Guinean workforce whilst maintaining loyalty towards the Australian administration.

Japanese engineers and Korean labourers carried supplies but Komiatum Hill, the dominant feature overlooking the coast, was 3000 feet high with bare slopes thus not only was carrying arduous, it was restricted to night-time to avoid aerial attacks. In the forward area, hungry troops raided gardens or boiled “Mubo taro”, which could “be eaten even if one did not like it”.

Lieutenant General ADACHI Hatazô, the 18th Army’s commander, ordered the 66th Regiment to march from Finschhafen and block the Australian advance. However, its counter-attack at Lababia Ridge failed. The 17th and 15th Brigades pressed on. On 29 – 30 June, the American 126th Regiment landed at Nassau Bay and linked up with the Australians OKABE’s 3rd Battalion, which garrisoned the bay, withdrew. The bay’s capture opened a new supply route for the Australians and also enabled landing craft to refuel before participating in a planned assault on Lae.

The attack on Lae was made in conjunction with the advance on Salamaua. The Australian 9th Division, recently returned from North Africa, would make an amphibious landing while the 7th Division, which had fought in Papua, advanced overland. The original plan was for the 7th Division to move by road to Wau and trek to the Markham Valley, however the Bulldog Road could not be completed in time. Airfields were cleared at Tsili Tsili, halfway to the Markham Valley, and in August the Fifth Air Force conducted the largest airlift of troops, equipment and supplies up to that time.

The Allies expected a strong defence of Lae but when the American 504th Parachute Regiment and gunners of the Australian 2/4th Field Regiment were dropped at the first objective, Nadzab, no opposition was encountered. In fact, ADACHI had authorised the garrison’s escape over the Finisterre Ranges, where dense jungle would hide troop columns from Allied aircraft.

The 9th Division landed north of Lae on 4 September. It was transported and resupplied by landing ships and craft of the American 7th Amphibious Force. American fighters flew ‘top cover’ and only about nine Japanese aircraft got through on the first day. The main difficulty was crossing the swollen Busu River on 9 September, a battalion established a bridgehead, despite losing 13 men drowned, but it was hard to transport artillery and supplies over this and other rivers. Progress was slow.

The 7th Division advanced down the Markham Valley. Its objective was to capture Lae, rather than destroy its garrison, so the Japanese escape route was not blocked. The base fell on 16 September. Salamaua had fallen five days earlier.

In retreat, the Japanese were expected to trek 250 miles over some of the roughest mountains in New Guinea, rising to 10,000 feet in the Saruwaged Range. New Guineans carried some supplies but troops carried their own equipment and rations. It was obvious that badly wounded and sick men could not attempt the journey. Some were evacuated by submarine but most hospital patients committed suicide or were killed by medical staff.


Conteúdo

During 1942, the Japanese established major bases on the north coast of Nova Guiné, in the large town of Lae, and in Salamaua, a small administrative town and port, 35 kilometres (22 mi) to the south. Salamaua was a staging post for attacks on Port Moresby, such as the Kokoda Track campaign. When the attacks failed, the Japanese turned the port into a major supply base.

Logistical limitations meant that the Salamaua-Lae area could garrison only 10,000 Japanese personnel: 2,500 seamen and 7,500 soldiers. [1] The defences were centred on the Okabe Detachment, a brigade-sized force from the 51st Division debaixo Maj. Gen. Toru Okabe.

In January 1943, the Okabe Detachment was defeated in an attack on the Australian base of Wau, about 40 kilometres (25 mi) away. Allied commanders turned their attention to Salamaua, which could be attacked by troops flown into Wau. This also diverted attention from Lae, which was a major objective of Operação Cartwheel, a Allied grand strategy for the South Pacific. It was decided that the Japanese would be pursued towards Salamaua by the Australian 3rd Division, which had been formed at Wau, under the command of Maj. Gen. Stanley Savige.


A hadmozdulatok

Az első hadmozdulat Salamaua bevételére irányult. 1943. június 29-30. éjszakáján 1400 amerikai katona szállt partra a Nassau-ཫölben. Ezután az ausztrál csapatok Wauból kiindulva átvágtak a hegyeken, és július 17-én elfoglalták Mubo falut, majd a Tambu-hegyet, és megkezdték a Salamaua közötti gyűrű bezárását. A japán kiürítették a települést, amelybe szeptember 11-én vonultak be az amerikaiak. [1]

Szeptember 4-én ausztrál csapatok szálltak partra Laétól keletre, majd másnap amerikai ejtᔞrnyősök elfoglaltak a nadzabi repülőteret, majd egyesültek az ausztrálokkal, és Lae ellen vonultak. A japánok hevesen ellenálltak, de szeptember 16-án a falu elesett. Miután a két falu elesett, a szövetséges csapatok két irányból indultak a madangi japán bázis ellen. [1]

A hadjárat során a japán veszteség 10 300 katona volt, közülük 2722 meghalt. Az ausztrálok közül 500 meghalt, 1300 megsebesült, míg az amerikai veszteség 81 halott és 396 sebesült volt. [1]


Conteúdo

In March 1942, the Japanese landed troops around Lae and Salamaua in the Australian mandated territory of New Guinea. A seaborne assault on Port Moresby was turned back in May at the Battle of the Coral Sea, after which the Japanese established a beachhead at Buna–Gona in late July as plans were made to capture Port Moresby via an overland route from the northern Papuan coast. [1] Subsequently, heavy fighting took place during the Kokoda Track campaign and around Milne Bay. The Japanese advance ended just before their objective and subsequently the Australians went on the offensive, eventually pursuing the withdrawing Japanese back to their beachheads around Buna and Gona where the Australians linked up with US forces and heavy fighting followed against the Japanese between November 1942 and January 1943. [2]

While the fighting had been taking place further along the Kokoda Track, and around Milne Bay and Buna and Gona, small forces of Australians from the New Guinea Volunteer Rifles and commandos from Kanga Force had attempted to maintain contact with the Japanese in the north around Wau, Mubo and Salamaua. Operating in vicinity of the Japanese bases that had been established in the Huon Gulf region, during this time, the Australians limited themselves mainly to reconnaissance and observation operations, although in June 1942 raids were launched against Salamaua and against Heath's Plantation in Lae. In response, the Japanese brought in reinforcements and they subsequently advanced to Mubo and then Guadagasai. [3] [4]

In late January 1943, in the wake of their defeat around Buna and Gona, the Japanese had sought to shore up their hold of Lae by capturing Wau and establishing a perimeter. [3] During the Battle of Wau the Australians, after flying in reinforcements, had repelled a Japanese attempt to capture the vital airfield around Wau with two infantry battalions. In the process, the last Japanese attempt to capture Port Moresby was turned back. In the aftermath, the Okabe Detachment, a brigade-sized formation under the command of Major General Toru Okabe, had withdrawn towards Mubo, where they began to regroup around an area of high ground around Waipali and Guadagasal, numbering about 800 strong. [5] [6] During the withdrawal from Mubo, it was estimated that the Japanese had lost 1,200 men mainly due to starvation. [7] Following them up, the Australian force – consisting mainly of the 17th Brigade under the command of Brigadier Murray Moten – had advanced into the area surrounding Wau and had begun moving towards Mubo. [8]

After reporting the withdrawal of large numbers of Japanese along the Buibaining–Waipali Track, [9] in March the Australian 2/7th Independent Company began harassing Japanese troops around Mubo, as the Australians initially sought to screen the Wau position, and hold the Japanese at arm's length, while supply problems forward of Wau were resolved. In mid-March, the 2/5th Infantry Battalion occupied the Guadagasal Ridge, as Japanese forces in the area withdrew further following Allied bombing attacks and losses at sea during the Battle of the Bismarck Sea. Nevertheless, the Okabe Detachment was reinforced by marines from the Maizuru Special Naval Landing Party. [10] In early April, patrols from the 2/5th clashed with the Japanese around Observation Hill on several occasions and later in the month the 2/7th Infantry Battalion was dispatched to relieve them, [11] while the men from the 2/7th Independent Company were also relieved at this time. [12] In an effort to defend the approaches to Wau, troops from the 2/7th Infantry established one company in a defensive position around Lababia Ridge, which was located about 2 kilometres (1.2 mi) south-west of Mubo [13] other companies were established at Waipali, as well as Mat Mat Hill – on the opposite bank of the Bitoi River – and further to the south around Hill 7. [14] Meanwhile, the 17th Brigade was reinforced by the arrival of the 3rd Division's headquarters on 23 April 1943, with Major General Stanley Savige in command. [15]

Following the arrival of the 2/7th Infantry Battalion, the Australian brigade commander decided to pursue a limited offensive in the area. The Australians had been slowly trying to gain the initiative by patrolling, and in late April Moten decided to launch an attack on two features of high ground in front of their position: the Pimple and Green Hill. The plan called for an attack on the Pimple, which lay on the approaches to Green Hill, followed by an assault on the hill itself the following day. The initial assault went in on 24 April, following air attacks by Douglas A-20 Boston aircraft, which proved ineffective in softening up the target area. Supported by heavy machine guns from the 7th Machine Gun Battalion, and two mountain guns from the 1st Mountain Battery, [16] the attack began with a platoon-level feint up the main track, while a second moved along a side track in effort to find the rear of the Japanese defensive position to attack. [17] From the beginning the attack went against the Australians with the feint attack being pinned down and the flanking platoon being hit by heavy machine gun fire from a previously unidentified Japanese position north of the Pimple. The Australians lost six killed and eight wounded on the first day. The following day, the attack continued with further losses of three men wounded. The Japanese sent 60 reinforcements to the Pimple and after a brief clash in which five Japanese were killed and five wounded, the Australians pulled back. Attempts were made to reduce the Japanese defences over the following days, before a second abortive was made on 2 May with air support and artillery barrages from several mountain guns. Once again it was turned back. On 7 May, an attempt to flank the position with two platoons was also turned back. [18]

On 9 May the Japanese launched a counter-attack on one of the 2/7th's companies that was positioned to the north of the Australian main defensive position. Under the command of Captain Leslie Tatterson, the Australian company fought a desperate defensive action as they were isolated and heavily assaulted. Over the course of several days, about 500 Japanese troops from the 102nd and 115th Infantry Regiments – part of Hidemitsu Nakano's 51st Division – launched eight attacks on the position, until finally a group of 60 reinforcements were able to break through to them on 11 May. The attack resulted in 12 Australian and 100 Japanese casualties. [13]

Fighting continued in the area into July. Following the initial assault on the Australian company, the Japanese had brought in reinforcements and now numbered about 600 men, which were mainly drawn from the 66th Infantry Regiment. The Allied forces in the area attempted to reduce the Japanese positions with heavy artillery and air bombardment, and had begun employing indirect tactics to infiltrate the Japanese outposts. [19] From 4 July, the Allied pressure in the area intensified, as a joint Australian and US advance began clearing the Japanese positions from along the Bitoi River and resulted in 950 Japanese killed. Attacks around Bobdubi and Nassau Bay allowed US and Australian forces to link up, while the 1st Battalion, 162nd Infantry Regiment, under Lieutenant Colonel Harold Taylor, having just landed at Nassau Bay, was tasked with occupying the Bitoi Ridge on 5 July, in an effort to force the Japanese to withdraw from Mubo through indirect means. The US soldiers were delayed in moving inland following the landing, and although the battalion's lead company subsequently succeeded in securing the southern part of the ridge, and had occupied the crest, nevertheless, the Japanese force remained around Mubo. [20]

As a result, the Allied commanders were forced to pursue more direct means of taking Mubo, and consequently the 17th Brigade was forced to put in a further assault on Mubo. [21] For the attack, the 2/6th Infantry Battalion pushed forward from Wau, and provided two companies – 'A' and 'B' – to the initial phase, attacking Observation Hill along with the 2/5th Infantry Battalion's 'C' Company. [22] Commencing on 7 July, the attack on Observation Hill was followed up by actions around several other features, including the Pimple and Green Hill, and by 12 July the Japanese were forced to withdraw from the area. [23] This allowed the town of Mubo to be secured. [24] [25] [26] In order to cut off the retreating Japanese, a company of Australians from the 2/6th was dispatched to join up with a US force in an effort to establish a blocking position arriving on the night of 12/13 July, they arrived too late, and consequently the Japanese were able to move back to Mount Tambu, where they established themselves in strong entrenchments. [27] Early in the final phase, the Japanese divisional commander, Nakano, had determined to concentrate his forces in the Komiatum area – an area of high ground to the south of Salamaua – and he had subsequently passed the order for the withdrawal of his troops around Mubo on 10 July. [28]

In the aftermath of the fighting around Mubo, fighting in the Salamaua area continued. With the Allies making ground closer to Salamaua, the Japanese withdrew to avoid encirclement. To the Allied planners, Salamaua itself was not considered important, but they hoped that maintaining pressure on the Japanese in the area would serve to draw reinforcements away from Lae, where a seaborne landing was planned for mid-September in conjunction with an airborne landing at Nadzab as part of a wider pincer movement to capture Lae itself. [29] Thus, further actions were fought throughout July and August around Roosevelt Ridge, Komiatum and Mount Tambu, [30] prior to the final capture of Salamaua on 11 September following advances by the Australian 15th and 29th Brigades, and the US 162nd Infantry Regiment. [31]

Two battle honours were awarded by the Australian Army for actions around Mubo: "Mubo I" to the 2/7th for actions between 22 April and 29 May, [24] and "Mubo II" to the 2/5th and 2/6th Infantry Battalions for the capture of the village itself between 7 and 14 July 1943. [25]


A Huon-félszigeti hadjárat a Postern hadművelet második lépcsője volt. A hadművelet egy nagyobb terv, a Cartwheel hadművelet része volt, amely az Új-Britannián található nagy japán bázis, Rabaul semlegesítését tűzte ki célul. A Huon-félszigeti hadjárat a Salamaua–Lae–hadjárat befejeződése után indult az északi és keleti partvonalon, ahonnan a japánok ellenőrizni tudták az Új-Guinea és Új-Britannia közötti Vitiaz-szoros forgalmát. [1]

A Huon-félszigetet magas hegyek tarkították, amelyek csúcsai gyakran belevesztek a trópusi párába. A tengerparton kevés homokos sáv volt, azok is rövidek és keskenyek, amelyek mögött mangrove erdők nőttek. A klíma elviselhetetlen volt: magas páratartalom, gyakori esők, nagy meleg. A félszigeten kevés bennszülött élt, élelemforrás egyáltalán nem volt. A katonák a szabad ég alatt aludtak, nem volt menedékük az eső elől. A félsziget folyói gyors folyásúak voltak, meredek hegyoldalakról zúdultak le. A katonáknak olykor négy és fél méteres fűszerű aljnövényzetben kellett előretörniük. Utak nem voltak, csak ösvények. [2]

A szövetségesek első célpontja Finschhafen, egy régi német kikötő volt a félsziget keleti végén. Innen észak felé fordultak, ahol több fontos település feküdt. A tengerparti ösvény Katika, majd Gusuka irányába tartott. Katikából Jivevanengba és Sattelbergbe, egy másik úton Gusikába, onnan pedig Wareóba lehetett eljutni. A japánok a Wareo és Sattelberg körzetben építették ki fő védelmüket, és innen indítottak ellentámadásokat a part menti ausztrál pozíciók ellen. Az akciókat a 9. ausztrál hadosztály hajtotta végre amerikai támogatással. [1] A félszigeti harcokkal egy időben a 7. hadosztály a Ramu-völgyben, a szárazföld belsejében nyomult előre. [3]

Finschhafen Szerkesztés

Finschhafen elfoglalása két irányból történt: az ausztrálok partra szálltak a kikötőtől északra (Scarlet Beach), valamint a szárazföldön Laéból közelítették meg a japán állásokat. Szeptember 22-én a 20. dandár gyenge japán ellenállás mellett partra szállt, és hamar kibővítette a hídfőt. Ugyanezen a napon elindult Laéból a 22. zászlóalj. [1] Finschhafen fontos kikötője volt a japánok, ugyanis ellátó bázisként használták. A közeli Katika hamar elesett, a japánok visszavonultak Finschhafenbe. [3]

A japán parancsnok Jamada Eizó tábornok volt, és mintegy ötezer rosszul felszerelt katona felett rendelkezett, akik közül sokan Salamaua ostromából menekültek Finschhafenbe. A települést mintegy ezer tengerészgyalogos, egy század gyalogos és néhány tüzér védte. A japánok bennszülötteket alkalmaztak útépítésekre és egyéb munkákra, közülük sokan megszöktek, miután a szövetségesek megindították a Japán-ellenes propagandakampányukat. [3]

A következő napokban a 20. dandár egyre délebbre szorította a japánokat, időnként egy-egy erős állásukat átkarolta. A végső támadást nyugatról indították Finschhafen ellen. A japánok a településen kívül erősen ellenálltak, de amikor nyilvánvalóvá vált a küszöbön álló bukás, északnyugati irányba visszavonultak. Az ausztrálok október 2-án foglalták el a kikötőt, ahol dokumentumokat találtak, amelyek szerint a japánok nagyobb ellentámadást terveztek. [1]

Október 16-án a japánok három irányból támadtak. A japán 80. ezredet a szövetségesek Jivevanengnél feltartóztatták, egy kétéltű támadást pedig visszavertek. A 79. ezrednek sikerült benyomulnia az ausztrálok hídfőjébe, és néhány napig azt két részre vágta. A japán támadás ezután kifulladt, és október 19-én az ausztrálok elkergették őket a hídfőből. A japánok a Finschhafenért folyó harcban 1500 embert vesztettek. [1]

Sattelberg Szerkesztés

Az ausztrálok folytatták az előrenyomulást, első célpontjuk Sattelberg volt, a partraszállási zónától nyugatra. Először egy japán útakadályt szüntettek meg a part és a Jivevanengnél elszigetelt ausztrál pozíció között. Az úttorlaszt védő japánokat november 2-án sikerült teljesen semlegesíteni, így megindulhatott a támadás Sattelberg védői ellen. Az ausztrálok két irányból közelítették meg a védelmi állásokat: az egyik csapat a hegygerincen vezető sattelbergi utat követte, és délkeleti irányból közelítette meg a várost, a másik északabbra, párhuzamosan haladt egy másik gerincen, és nyugatról érte el a települést. A támadás első felvonásában részt vett kilenc Matilda harckocsi. Később már nem tudták használni őket, mert nem bírtak felmászni a Sattelberg-hegyre. [1]

A támadás november 16-án kezdődött. A japánok hevesen védekeztek, de az ausztráloknak november 22-én sikerült felmászniuk a hegyre. Két nap múlva az amerikaiak is elérték a hegyet, és a japánok északra, Wareo felé vonultak vissza. November 25-én Sattelberg elesett. [1]

Wareo Szerkesztés

A következő célpont Wareo volt, amelyet nehéz volt megközelíteni. Először le kellett ereszkedni a Sattelberg-hegyről a Song-völgybe, aztán ismét meg kellett mászni egy hegyet. Ezzel egy időben egy másik egység a part közelében elvágta a japán utánpótlási vonalat. A 26. dandár november 28-án indította támadását a Song-völgyből. A nap végére átkeltek a völgyön, és elfoglalták a Kuankónál található, kulcsfontosságú japán bázist. Az ausztrál sikerek miatt a japánok a madangi főhadiszálláshoz közel eső siói bázisuk felé vonultak vissza. A japánok Kuankónál két ellentámadást indítottak, hogy a nagyobb erők visszavonulhassanak. A csatározások december 7-éig tartottak, Wareo pedig másnap esett el. December 10-én a két ausztrál dandár a Wareóból Gusikába vezető úton találkozott. Az ausztrálok tovább indultak a tengerparton, kergetve a harcolva visszavonuló japánokat. [1]

December 10-én elesett Kilgia, 16-án a Sidiba-fok. A szövetségesek december 20-án elérték fő célpontjukat a Fortification-pontot. A partszakasz ezen a helyen fordult északnyugatra, Sio felé. December 24-én elfoglalták Wandokait, 31-én Nandát, 1944. január 2-án pedig elérték a Sialum-szigetet, amely jó horgonyzóhelyként szolgált. [1]

Sio Szerkesztés

Január 2-án megváltozott a hadművelet haladási sebessége, amikor az amerikai 32. hadosztály partra szállt Saidornál, Siótól nyugatra. A hídfő azzal fenyegette a japánokat, hogy elvágja Sio utánpótlását és a visszavonulási útvonalat. A japán parancsnok tengeralattjárón Madangból Sióba utazott, hogy személyesen tájékozódjon. Rabauli feletteseivel úgy döntött, hogy evakuálja Siót. Kevés katonát bárkákon juttattak ki a városból, 14 ezren azonban gyalog tették meg az utat Saidorig. A szövetségesek a japánok nyomában haladtak, és január 15-én elérték Siót. Február 10-én az ausztrálok és az amerikaiak Saidornál találkoztak. [1]

Partraszállások Szerkesztés

1944. március 5-én az amerikai csapatok partra szálltak a Yalau-pontnál, nyugatra a többi szövetséges egységtől. Gyenge ellenállás mellett 1348 katona épített ki hídfőállást. Kevéssel az akció után az amerikaiak találkoztak a Ramu-völgy felől érkező ausztrálokkal. A következő célpont a tekintélyes helyőrséggel rendelkező Madang volt. Az ostrom megindítása előtt Douglas MacArthur úgy döntött, hogy elfoglalja az Admiralitás-szigeteket, amelyek a Bismarck-tengeren, Madangtól északra találhatók. Az amerikai egységek február 29-én Los Negroson, március 12-én pedig Manuson szálltak partra. Március végére a szigeteket biztosították. Madang parancsnoka, Adacsi úgy döntött, hogy Wewak és a Hansa-öböl felé vonul vissza. [1]

Madang Szerkesztés

Április első felében az ausztrálok kisebb csatákat vívtak a Bogadijm úton, és április 13-án az első járőr bevonult a városba. Japán ellenállás nem volt. Két nappal később megérkeztek keletről az amerikaiak. Bogadijm elfoglalását hivatalosan április 17-én jelentette be a BBC. [1]

A szövetségesek északra fordultak, és április 24-én elérték Madangot, ahonnan a japánok már távoztak. Másnap elfoglalták Alexishafent, a várostól néhány kilométerre északra fekvő kikötőt. Itt sem volt ellenállás. Habár kisebb harcok még voltak a térségben, a szövetségeseknek sikerült elérniük, hogy ők ellenőrizzék a Vitiaz-szorost. Eddigre az új-britanniai Gloucester-fok is szövetséges kézen volt, így a szoros mindkét partját az amerikai-ausztrál csapatok felügyelték. Az amerikaiak meglepetésszerűen partra szálltak Aitapénál és Hollandiánál, nyugatra Adacsi új pozícióitól, és ezzel elvágták őket a Japán Birodalom más csapataitól. [1]


Historical Events on June 16

Evento de Interesse

1673 Peace of Vossem: French King Louis XIV and Frederik Willem of Brandenburg

    British fleet occupies Cape Breton on St Lawrence River Battle at Piacenza: Austria & Sardinia beat Spanish and French army British capture Fort Beauséjour, expel Acadians Formation of Harrodsburg, Kentucky

Vitória em Batalha

1779 US General Anthony Wayne captures Stony Point, New York, inflicting heavy losses on the British

    Spain declares war on Great Britain in support of the US, starting the siege of Gibraltar Holland forbids the wearing of orange clothes 1st stone laid at biggest Dutch grain windmill De Walvisch in Schiedam

Vitória em Batalha

1815 Battle at Ligny: French army under Napoleon beats Prussia

    Battle at Quatre-Bras: allies strike French Denmark Vesey (aka Telemaque) accused of planning a slave rebellion in South Carolina tried an convicted, he was executed by hanging

Evento de Interesse

1858 Abraham Lincoln says "A house divided against itself cannot stand" accepting Illinois Republican Party's nomination for the Senate

    Battle of Vienna, Virginia and Secessionville, South Carolina (James Island) Battle of Lynchburg, Virginia Skirmish at Golgotha, Georgia Ancient Arabic Order of Nobles of Mystic Shrine founded, NYC The University Tests Act allows students to enter the Universities of Oxford, Cambridge and Durham without religious tests, except for courses in theology US President Ulysses Grant decrees a portion of Wallowa Valley, Oregon for Nez-Percé Indians order rescinded two years later and tribe forcibly re-located to Oklahoma Gilbert & Sullivan's "HMS Pinafore" debuts at Bowery Theater NYC Austria-Hungary and Serbia sign military treaty 17" hailstones weighing 1.75 lbs fall in Dubuque Iowa 1st baseball "Ladies' Day" (NY Gothams beat Cleve Spiders 5-2) The Victoria Hall theatre panic in Sunderland, England kills 183 children 1st roller coaster used (Coney Island NY)

Evento de Interesse

1891 John Abbott becomes Canada's third prime minister

    German-American F.W. Rueckheim introduces "Cracker Jack" brand snack food consisting of caramel-coated popcorn and peanuts US National Championship Women's Tennis, Philadelphia CC: Helen Hellwig beats defending champion Aline Terry 7-5, 3-6, 6-0, 3-6, 6-3 Temperature hits 127°F at Fort Mojave, California

Evento de Interesse

1903 Ford Motors under Henry Ford incorporates


Assista o vídeo: Что до сих пор засекречено в архивах СССР?