Por que o Renascimento veio primeiro apenas na Europa? [duplicado]

Por que o Renascimento veio primeiro apenas na Europa? [duplicado]

Quando lemos sobre a história da Revolução Científica durante o Iluminismo, descobrimos que as raízes da Revolução Científica começaram na Europa durante o Renascimento. Mas você pode me esclarecer por que isso aconteceu na Europa em vez da Ásia? Outros países não enfrentaram os mesmos problemas ou foram suprimidos por algumas leis fortes?


O Renascimento ocorreu na Europa entre os séculos 14 e 17. A principal diferença para mim em comparação com a Ásia é que a Europa Ocidental nessa época experimentou uma relativa paz e estabilidade governamental após séculos de guerras e invasões constantes na chamada "Idade das Trevas". A Europa, entretanto, não experimentou estabilidade religiosa, o que permitiu que novas idéias seculares florescessem. A Peste Negra, os rumores da Reforma e do Papado de Aviognon (anti-papa) ocorridos no século 14 minaram uma autoridade religiosa central.

Outras partes do mundo ainda viviam guerras internas e muitas partes da Ásia não tinham acesso a ideias externas suficientes devido a políticas de isolacionismo.

Na Ásia, as maiores potências foram China e Japão. No século 13, o Japão e a Europa Ocidental repeliram a invasão do Império Mongol, mas a China foi conquistada por eles até o estabelecimento da Dinastia Ming no século 14. O estresse da guerra com os mongóis fez com que o governo do Japão se endividasse profundamente e foi derrubado, dando início a um período de conflito interno.

Influenciada pelo confucionismo, a dinastia Ming na China iniciou um longo período de isolacionismo no século 14, o que prejudicou sua capacidade de incluir ideias externas no progresso cultural e tecnológico.

Devido ao colapso do governo Kamakura, este período de tempo até o contato com os europeus no século 16 no Japão foi uma Era de Guerras Civis. Os senhores feudais lutaram para controlar o tribunal de Kyoto. A instabilidade no país provavelmente contribuiu para a incapacidade de se ter um "Renascimento". O Japão então entrou em um período de isolacionismo no século 17.

De 1641 a 1853, o shogunato Tokugawa do Japão aplicou uma política que chamou de kaikin.

A Coréia também era uma potência importante, mas estava sujeita a constantes invasões e guerras com os mongóis, China e Japão. Também tinha uma política de isolacionismo.

A Coreia esteve sob ocupação mongol de 1231 até o início do século 14 e foi repetidamente devastada pelos exércitos chineses (governamentais e rebeldes). Começando em 1592, o senhor da guerra japonês, Hideyoshi, lançou várias campanhas militares para tomar a península. O Reino de Choseon conseguiu repelir os exércitos de Hideyoshi com a ajuda da China Ming. No entanto, a experiência impeliu o tribunal de Yi a optar por uma política de isolamento estrangeiro, com exceção da China. Foi desse período de isolacionismo que a Coréia ganhou o nome de "O Reino Eremita" no século XIX.

Outras nações eram reinos feudais lutando pelo controle do território, como Vietnã, Camboja, Laos, Birmânia e Tailândia e, portanto, ainda não tinham estabilidade.


Renascença Inglesa

o Renascença Inglesa foi um movimento cultural e artístico na Inglaterra do início do século 16 ao início do século 17. [1] Está associada à Renascença pan-europeia, geralmente considerada como tendo começado na Itália no final do século XIV. Como na maior parte do resto do norte da Europa, a Inglaterra viu pouco desses desenvolvimentos até mais de um século depois. O estilo e as ideias da Renascença, no entanto, demoraram a penetrar na Inglaterra, e a era elisabetana, na segunda metade do século 16, é geralmente considerada o auge da Renascença inglesa. No entanto, muitos estudiosos vêem seu início no início de 1500, durante o reinado de Henrique VIII. [2]

O Renascimento inglês difere do Renascimento italiano de várias maneiras. As formas de arte dominantes do Renascimento inglês foram a literatura e a música. As artes visuais na Renascença inglesa foram muito menos significativas do que na Renascença italiana. O período inglês começou muito depois do italiano, que estava se movendo para o maneirismo e o barroco na década de 1550 ou antes.


O período renascentista

“Renascença” também pode se referir ao período, c. 1400 - c. 1600. “Alta Renascença” geralmente se refere a c. 1480 - c. 1520. A era foi dinâmica, com exploradores europeus “encontrando” novos continentes, a transformação dos métodos e padrões de comércio, o declínio do feudalismo (na medida em que existiu), desenvolvimentos científicos como o sistema copernicano do cosmos e o aumento da pólvora. Muitas dessas mudanças foram desencadeadas, em parte, pelo Renascimento, como a matemática clássica que estimula novos mecanismos de comércio financeiro ou novas técnicas do leste que impulsionam a navegação oceânica. A impressora também foi desenvolvida, permitindo que os textos renascentistas fossem amplamente divulgados (na verdade, essa impressão foi um fator facilitador, e não um resultado).


Renascença do Norte da Europa

O Renascimento no Norte da Europa lutou para vir a existir, principalmente devido ao domínio da arte gótica mantida por séculos e ao fato de que essa região geográfica demorou mais para ganhar estabilidade política do que o norte da Itália. No entanto, o Renascimento ocorreu aqui, começando por volta de meados do século XIV e durando até o movimento barroco (c. 1600).

Agora vamos explorar esses "renascimentos" para ter uma ideia de quais artistas fizeram o quê (e por que ainda nos importamos), bem como aprender as novas técnicas, meios e termos que surgiram de cada um. Você pode seguir qualquer uma das palavras com hiperlink (eles são azuis e estão sublinhados) neste artigo para ir para a parte da Renascença que mais lhe interessa.


O Renascimento - por que mudou o mundo

Quente fora da impressora: Gutenberg apresentou a impressora ao mundo em 1440 Crédito: North Wind Picture Archives / Alamy

O Renascimento - aquela explosão cultural, política, científica e intelectual na Europa entre os séculos 14 e 17 - representa talvez o período mais profundamente importante no desenvolvimento humano desde a queda da Roma Antiga.

Desde suas origens na Florença do século 14, o Renascimento se espalhou por toda a Europa - a fluidez de suas idéias mudando e evoluindo para corresponder ao pensamento e às condições culturais locais, embora sempre permanecendo fiel a seus ideais.

Coincidiu com um boom de exploração, comércio, casamento e excursões diplomáticas. e até guerra. Como aconteceu com os antigos gregos e romanos (de quem o Renascimento se inspirou tanto), um exército conquistador poderia trazer não apenas uma mudança de regime, mas também uma reformulação cultural.

A Renascença mudou o mundo em quase todas as maneiras que alguém poderia imaginar. Teve uma espécie de efeito bola de neve: cada novo avanço intelectual pavimentou o caminho para novos avanços.

A Itália do século 14 foi um terreno fértil para uma revolução cultural. A Peste Negra exterminou milhões de pessoas na Europa - segundo algumas estimativas, matando até uma em cada três entre 1346 e 1353.

Pelas leis mais simples da economia, isso significava que aqueles que sobreviveram ficaram com riqueza proporcionalmente maior: ou de menos pessoas herdando mais, ou simplesmente em virtude da oferta e demanda - com menos trabalhadores disponíveis, os salários aumentaram naturalmente.

No topo da sociedade italiana estava uma nova geração de governantes, ansiosos por demonstrar sua riqueza de uma forma que os diferenciasse. Famílias como os Medici de Florença buscaram inspiração nas antigas civilizações romana e grega - assim como os artistas que dependiam de seu patrocínio.

A Itália foi inundada com clássicos “perdidos” do mundo antigo, e artistas como Leonardo da Vinci, Botticelli, Michelangelo, Raphael e Donatello tomaram seus contos, heróis e deuses como ponto de partida para a criação de arte extraordinária.

A arte renascentista não se limitou a simplesmente parecer bonita. Atrás dele estava uma nova disciplina intelectual: a perspectiva foi desenvolvida, luz e sombra foram estudadas e a anatomia humana foi analisada - tudo em busca de um novo realismo e um desejo de capturar a beleza do mundo como ele realmente era.

Se a Renascença foi para redescobrir a ambição intelectual das civilizações clássicas, foi também para expandir os limites do que sabemos - e do que poderíamos alcançar.

Mesmo enquanto os artistas estavam criando um novo realismo ousado, os cientistas estavam engajados em uma revolução própria. Copérnico e Galileu desenvolveram uma compreensão sem precedentes do lugar do nosso planeta no cosmos, provando que a Terra girava em torno do Sol.

Os avanços na química levaram ao surgimento da pólvora, enquanto um novo modelo de matemática estimulou novos sistemas de negociação financeira e tornou mais fácil do que nunca navegar pelo mundo.

E os homens da Renascença navegaram. Colombo descobriu a América, Ferdinand Magellan liderou uma expedição para circunavegar o globo.

Mesmo quando nosso mundo encolheu em tamanho e importância quando colocado no contexto de nossa nova compreensão do universo, ele cresceu em termos físicos, à medida que novos continentes foram encontrados, novas terras colonizadas, novas culturas descobertas cujas próprias crenças e entendimentos foram adicionados a a grande tempestade intelectual que assola a Europa.

Pensadores radicais como o protestante Lutero e o humanista Erasmo expuseram uma nova maneira de ver o mundo que se devia menos à cega subserviência à Igreja Católica e mais às possibilidades inerentes à mente humana.

Nunca antes (ou desde então) houve uma tal união de arte, ciência e filosofia. E nunca antes houve tal oportunidade de ser tão amplamente divulgado.

Os mesmos avanços científicos que o Renascimento estava desenvolvendo também contribuíram para um de seus grandes legados: a imprensa.

Em 1440, Gutenberg apresentou a imprensa ao mundo - significando que, pela primeira vez, os livros puderam ser produzidos em massa. Uma única impressora pode produzir 3.600 páginas por dia, resultando em uma explosão de literatura e ideias sem precedentes na história.

Em 1500, as impressoras na Europa Ocidental haviam produzido mais de 20 milhões de volumes. E em 1600, isso havia subido para 200 milhões.

Lutero e Erasmus tornaram-se bestsellers - e mais tarde poetas, dramaturgos e romancistas. As novas ideias de pensadores livres, matemáticos e cientistas tornaram-se acessíveis às massas, e a arte e a ciência tornaram-se, pela primeira vez na história da humanidade, verdadeiramente democráticas.

As sementes do mundo moderno foram plantadas e cultivadas na Renascença. Da circunavegação do mundo à descoberta do sistema solar, da beleza de Michelangelo David para a perfeição de Leonardo Monalisa, do gênio de Shakespeare à ousadia de Lutero e Erasmus, e por meio de avanços de tirar o fôlego na ciência e na matemática, o homem alcançou novos patamares neste período tumultuado.

O Renascimento mudou o mundo. Você pode até dizer que criou tudo o que hoje conhecemos como vida moderna.

Descubra mais

Visite priceless.com/London e inscreva-se nos e-mails da Priceless London

Para mais ideias e para ser o primeiro a saber das atrações de Londres com experiências e ofertas exclusivas para portadores de cartão MasterCard. Priceless Cities é um programa que oferece experiências únicas e emocionantes exclusivamente para portadores de cartão MasterCard em mais de 43 cidades.


Por que o Renascimento começou na Itália?

O Renascimento começou na Itália porque houve pequenas rupturas na atmosfera e no ambiente da cristandade que anteriormente moldou a Itália, o que levou a uma liberdade e independência. Essa liberdade e independência recém-descobertas, juntamente com a presença das ruínas da civilização romana, levaram ao Renascimento.

O Renascimento começou primeiro nas cidades-estados italianas. Essas cidades-estado obtiveram riquezas com o comércio e o comércio que estiveram presentes na Idade Média. Veneza era conhecida por seu transporte no comércio de seda e no comércio de especiarias. Muitos comerciantes da Índia e da China vieram ajudar a trazer novas ideias.

O Renascimento foi capaz de crescer continuamente, em grande parte graças aos ricos banqueiros dessa área. Esses banqueiros patrocinaram as artes empregando pintores, arquitetos e escultores famosos. A Itália também desenvolveu um apreço pela idade clássica e foi capaz de viver verdadeiramente com esse apreço, pois a Itália tinha muitos vestígios da era clássica até os romanos. Havia a rede viária romana, seus edifícios públicos, seus monumentos e seu sistema de aquedutos para serem admirados e pesquisados.

A Itália também é considerada um país que poderia estimular o individualismo e a criatividade vistos no Renascimento italiano devido ao seu pequeno tamanho. Era uma cidade-estado muito menor em comparação com os países ao redor.


Por que o Renascimento veio primeiro apenas na Europa? [duplicado] - História

Introdução ao Teatro - THEA 131 & # 9 & # 9 & # 9 & # 9 & # 9 Dr. C. Frederic

HISTÓRIA DO TEATRO - Começando com a Renascença

Existem muitas teorias sobre as origens do drama / teatro. Esse drama evoluiu de rituais do homem antigo é o mais amplamente aceito. Esses rituais continham elementos dramáticos: a. música, b. dança, c. máscaras, fantasias, d. divisão de desempenho / audiência, e. área de atuação específica.

  1. INICIAÇÃO - para ensinar os costumes da tribo aos meninos que chegam à idade adulta.
  2. GUERRA - para despertar a bravura nos guerreiros.
  3. HISTÓRIA - para imitar eventos de caça ou batalha e para preservar a história.
  4. RELIGIOSO - para apaziguar numerosos espíritos invisíveis, o homem primitivo sentia que controlava seu mundo.

Os egípcios foram os primeiros a estabelecer um drama definitivo (até onde sabemos). Tomou forma já em 4000 AC. Os dramas mais antigos são os 55 textos da Pirâmide (3000 aC e antes), que foram escritos nas paredes do túmulo - têm enredo, personagens, direções de palco. Eles mostram a ascensão da alma tornando-se uma estrela = ressurreição do corpo. De 3000-2000 AC - outras peças desenvolvidas:

  1. Festival da Coroação - Realizado na coroação de cada faraó.
  2. Heb Sed (peça do Jubileu da Coroação) - Esta peça celebra o 30º ano do faraó no trono e foi escrita especificamente para o faraó homenageado.
  3. Abydos Passion Play - Essa peça tinha como tema a ressurreição e fazia parte de um festival religioso. Foi encenado quase continuamente de 2500 a 550 aC como parte de um festival religioso que durou vários dias. Foi muito elaborado. Incluiu uma simulação de batalha de água no Nilo e um cortejo fúnebre em que toda a audiência participou. A história do jogo - Set, deus do mal, com ciúmes do irmão, Osíris. Coloque os truques O. em um caixão, feche-o com pregos e jogue-o no Nilo. Ísis, a esposa de O, encontra o caixão e enterra O. Set o desenterra, desmembra o corpo e o joga sobre a terra. Ísis recolhe os pedaços e os enterra novamente. O. é ressuscitado e se torna o Rei dos Mortos, governando sobre os mortais que sobem ao céu.

O drama era apresentado nos festivais de Dionísio, o deus do vinho e da fertilidade, que era adorado para garantir o retorno da primavera / fertilidade. Nesse período, existem apenas 45 peças de 5 dramaturgos. Três eram trágicos.

  1. Mais antigo - pai do drama trágico
  2. Tragédia
  3. Preocupado com a relação do homem com o princípio moral dos deuses.

SOPHOCLES (autor de Oedipus Rex)

  1. Greatest - o mais perfeito artesão - mais popular entre o público ateniense.
  2. Tragédia
  3. Retratado o homem como ele deveria ser - buscou a verdadeira natureza do homem
  1. Rebelde / radical
  2. Tragédia
  3. Retratado o homem como ele os via - seus personagens eram mais humanos e questionavam as condições existentes

TEATRO DE DIONYSUS - Teatro foi apresentado durante o festival de Dionysia, deus da fertilidade. Originalmente, o público sentava-se no chão enquanto o coro dançava em uma área circular. Gradualmente, melhores assentos para o público evoluíram, bem como palcos permanentes, separação dos atores do coro para o palco elevado.

Transição: Após a queda da Grécia, Roma copiou o drama grego, com pequenas alterações. Só tem peças de 3 dramaturgos romanos, dois comediantes - Terêncio e Plauto - e um trágico - Sêneca. (Esses dramaturgos são importantes para nós porque, durante o Renascimento italiano, eles eram as peças mais acessíveis aos dramaturgos italianos que pretendiam criar um novo drama "clássico". As peças de Terêncio e Plauto serviram de modelo para as comédias e as peças de Sêneca serviu de modelo para tragédias.)

[O drama continuou após a queda de Roma, mas pouco se sabe sobre ele desde que a Igreja se opôs a ele. Muitos ritos pagãos continuaram apesar da oposição da Igreja. Alguns acreditam que a Igreja introduziu suas próprias atividades dramáticas para combater o apelo dos ritos pagãos.]

Interlúdios dramáticos foram usados ​​pela primeira vez em serviços religiosos no século 9 ou 10, provavelmente para tornar as partes da missa mais claras para a congregação que não entendia o serviço em latim. A Páscoa foi o primeiro acontecimento dramatizado. Esses tropos (do latim, tropus, significando melodia adicionada) provavelmente originalmente cantados e respondidos por 2 partes do coro. Realizada na manhã de Páscoa na parte introdutória da Missa. Eles usaram cenários chamados "mansões", pequenas casas (talvez 3'x3 'e não muito mais altas que 4') que representavam um determinado local: uma cidade, a casa de alguém, céu, inferno etc.

As peças começaram a ser apresentadas ao ar livre por volta de 1200. Encenado na primavera, verão. Desse ponto em diante, a igreja teve pouco envolvimento direto com o drama. As peças foram encenadas por guildas comerciais em plataformas instaladas em vários lugares da cidade. Os vagões do concurso subiam para cada plataforma em intervalos e representavam uma peça (exemplo de intervalos - as peças tinham cerca de 15 minutos de duração, começavam às 4h30 e às 19h30). Efeitos especiais - chamados de segredos. Com o passar do tempo, a maioria das cidades passou a realizar as peças do ciclo em uma Rodada Cornish. Em vez de instalar as plataformas em vários pontos da cidade, elas seriam colocadas em um círculo em um campo. O público ficava no centro das plataformas e os vagões do desfile se alinhavam atrás das plataformas. Assim que uma peça de mistério terminasse, a próxima começaria. O grupo que terminasse moveria seu desfile para longe de sua plataforma e o próximo vagão de desfile se moveria para o lugar. Dessa forma, cada peça de mistério tinha que ser encenada apenas uma vez, e a ação era contínua. Eventualmente, as peças de ciclo tornaram-se muito elaboradas com um ator / diretor profissional encenando toda a produção e até 400 performers envolvidos na produção. O cenário e os segredos, da mesma forma, tornaram-se muito mais elaborados.

Os conselhos municipais eram geralmente os organizadores das peças do Ciclo, mas as guildas comerciais organizavam JOGOS MISTÉRICOS que eram chamados coletivamente de CICLOS. UMA PEÇA DE MISTÉRIO é essencialmente uma peça de história da Bíblia. Todos os jogos do mistério em um ciclo combinados para contar a história da Bíblia desde a criação até a segunda vinda. Cada peça estava completa, mas conectada como parte de uma história religiosa mais ampla. A maioria das peças de mistério ainda existentes são de 4 ciclos:

  1. YORK - 48 jogos
  2. CHESTER - 24
  3. TOWNLEY MSS. joga ou WAKEFIELD - 32
  4. CICLO DE COVENTRIA - 42

Outras formas religiosas dramáticas

JOGOS DE MORALIDADE - floresceu entre 1400-1550. Dramatize as provações espirituais do homem comum. Esta é uma ponte entre o drama religioso e o secular. Ex .: Everyman (c. 1500). São alegorias sobre as tentações morais que o homem comum enfrenta. Durante o dia 16 c. estes foram secularizados gradualmente e realizados por pequenas trupes profissionais.

ELIZABETHAN INGLATERRA E SHAKESPEARE

Estrutura do teatro elisabetano

No final do século 16, 2 tipos de teatro - PÚBLICO (ao ar livre) e PRIVADO (salas internas). Qualquer um podia assistir a ambos, mas os teatros privados cobravam uma admissão mais alta.

TEATROS PÚBLICOS - Devido ao comerciante / governo local. (principalmente puritanos, que viam o teatro como obra do diabo), desconfiança e objeções, os teatros foram construídos fora de Londres. O primeiro teatro foi o TEATRO (1576). Este foi seguido por outros, notadamente, o GLOBO (1599 queimado e reconstruído - 1614). Todos estavam localizados nos subúrbios ao norte ou na margem sul do rio Tamisa. Eles variavam em tamanho, mas achamos que as seguintes eram características comuns:

  1. Grande espaço sem telhado - Poço, Quintal
  2. Cercado por 3 camadas de galerias cobertas (formadas do lado de fora do prédio)
  3. Caixas (Sala dos Lordes) em 1 galeria [Não temos certeza da localização exata da Sala dos Lordes. Pode até ter estado no palco, talvez no segundo nível do palco.]
  4. Estágio elevado (plataforma) estendido para o pátio
  5. Parede multinível na parte traseira do palco
  6. Pelo menos 2 portas grandes no nível do palco, provavelmente em cada lado do palco, perto da parte de trás do palco.
  7. Discovery Space - na parte de trás da floresta - para revelar / ocultar atores / objetos Um dos grandes mistérios do teatro elisabetano é a localização e a estrutura do Discovery Space. Pode ter sido rebaixado na parede posterior do palco ou pode ter sido um pavilhão elevado que se projetava no palco, com cortinas em três lados. Se fosse um pavilhão, pode ter sido permanente ou temporário
  8. Fachada de 2º nível - espaço de atuação (varandas, janelas nos andares superiores, a bordo do navio) localização possível da Sala dos Lordes
  9. Um possível 3º nível - Galeria dos músicos
  10. Sala das Máquinas - Acima da galeria do músico. Esta sala continha dispositivos para elevar e abaixar atores que representavam anjos, deuses, etc. Também continha um canhão usado durante as cenas de batalha.

Quando um teatro tinha uma apresentação naquele dia, eles erguiam uma bandeira (cores diferentes indicavam tipos de peças diferentes) para que as pessoas soubessem. Tempo de desempenho - meio da tarde (após o fim do dia de trabalho, no entanto). Para entrar, o público pagou a um coletor um centavo por isso admitido no fosso. Se quisesse sentar na galeria - paguei outro centavo a outro colecionador. Se quisesse sentar-se na sala do Senhor, paguei outra taxa a outro coletor. A ação das peças foi contínua, sem quebras de ato / cena e com pouco cenário, que pode ter sido apresentado à vista do público. Os cinemas fecharam em tempo de peste. A temporada dos cinemas públicos foi de maio a outubro. Em seguida, excursionou, ou mais tarde, tocou em cinemas particulares.

Iluminação - Teatros públicos - luz solar. Para cenas noturnas, acenda velas, tochas ou lanternas para indicar que era noite.

Trajes - pouco senso de história - vestido basicamente contemporâneo. Convencionalizado - ou seja, romanos, cortinas adicionadas. A companhia forneceu fantasias (esta foi uma grande despesa).

Empresa composta por 10 ACIONISTAS (sócios) e até mais 10 HOMENS CONTRATADOS (contratados por 2 anos com remuneração fixa). Como NÃO PODERIAM MULHERES ATUAR NO PALCO, as empresas também contavam com aprendizes que desempenhariam o papel feminino. Os aprendizes podiam passar para papéis mais velhos (masculinos) quando ficassem mais velhos, se quisessem (muitos não queriam). Os acionistas dividiram os lucros da empresa após o pagamento das despesas. OS DOMICILIARES (co-proprietários do próprio edifício do teatro) recebiam metade das receitas da galeria como aluguel (a outra metade das receitas da galeria e outras receitas iam para a trupe de atuação). As trupes tocavam um repertório de peças que mudava diariamente.

WILLIAM SHAKESPEARE (4/23 / 1564-4 / 23/1616) [Esta informação está incluída em suas notas sobre Hamlet]

Nasceu em Stratford-upon-Avon, 90 milhas a noroeste de Londres. John Shakespeare, seu pai - luver próspero, tornou-se vereador-chefe em 1571. S. foi para uma boa escola de gramática bem lido (aprendeu latim). A sorte de meu pai diminuiu. O objetivo de S. de restaurar a fortuna da família, o que ele fez. Algum tempo depois de 1585 (casou-se com Anne Hathaway 11/1582-teve 3 filhos - Susanna - 5/83 gêmeas Judith, Hamnet - 1585) mudou-se para Londres. Ator suficientemente bom para prosperar e se tornar acionista de uma empresa líder. Especialidade - velhos. Escreveu 37 peças (pensamos). 1ª peça - peças de Henrique VI (1592?). Em 1597, comprou uma bela casa em Stratford e obteve o brasão de armas - um cavalheiro restaurou a fortuna da família. Viajou e voltou para Londres até 1610, quando se aposentou. Morreu em 1616. Talvez tenha escrito 2 peças depois de 1610 - Henrique VIII (em colaboração com Fletch e Beaumont) e Dois Nobres Parentes, mas não muito boas.

Peças - histórias, comédias, tragédias, peças problemáticas (Medida por Medida, Tudo está bem quando termina bem, Troilus e Cressida e possivelmente Hamlet).

Renascença significa literalmente renascimento. Durante o dia 16 c. vemos um renascimento e crescimento em todas as áreas das artes. Conforme o teórico desenvolveu um conjunto de diretrizes a serem seguidas pelos dramaturgos, os artistas e arquitetos projetam novos teatros, desde a disposição dos assentos até o design da cena e a mecânica da mudança de cena. [NOTA: As mulheres se apresentaram no palco durante todo o período. Como resultado, a prática de permitir que as mulheres atuassem se espalhou por toda a Europa. ]

O Renascimento começou em 1300 e coexistiu com a Idade Média / Pensamento Medieval. O Renascimento não dominou até o século XVI. Uma série de coisas causaram o Renascimento: 1. O declínio do feudalismo, 2. o aumento do crescimento das cidades, 3. aumento do poder dos príncipes / governantes, 4. a diminuição da influência da igreja sobre o aprendizado e a vida, 5. a invenção da prensa de impressão de tipo móvel.

Formas de drama da Renascença - No início da Renascença, havia 3 formas de drama:

  1. TRAGÉDIA: 1ª tragédia escrita em italiano - Sofonisba (1515) por Giangiorgio TRISSINO. Ele seguiu a fórmula grega. Seguido / ofuscado por CINTHIO. Orbecche (1541) 1ª tragédia italiana realizada, seguida da fórmula seneca.
  2. COMÉDIA: Romanos / Gregos copiados originalmente (assunto / cenários, bem como estrutura). Evoluiu para assuntos / configurações italianos - bem estabelecido por volta de 1540.
  3. PASTORAL: Uma história de amor, com personagens romantizados como pastores e pastoras, ninfas e sátiros, em um cenário rural idealizado.

OPERA - No final do século 16, a CAMERATA ACADEMY de Florença (academia - grupo de estudiosos organizado para estudar um assunto - ou seja, drama clássico, teoria literária) tentou recriar a tragédia grega - coro, música , dança, tramas da mitologia. Outros já haviam tentado isso antes, mas a Camerata acreditava que as tragédias gregas eram cantadas / cantadas. O público da Renascença adorou os resultados que se tornaram o que conhecemos como OPERA. A 1ª ópera foi Dafne (1594) [texto Rinuccini, música Caccini Jacopo Peri]. O 1º grande compositor operístico foi MONTEVERDE que destacou o aspecto musical - Orfeo (1607). Em 1650, a popularidade da ópera se espalhou por toda a Itália e Europa.

Desenvolvimento do Palco Italiano

Durante o século 16, cada duque que governava um estado italiano tinha um teatro (não uma estrutura permanente - geralmente construído em um grande salão de festas ou de baile e depois demolido). Esses duques eram muito competitivos. O interesse geral no período clássico estendeu-se à arquitetura. A descoberta no século 15 de um livro por um século 1 a.C. arquiteto despertou esse interesse. O livro continha um capítulo sobre teatros (sem fotos, gerando interpretações).

O primeiro resultado desta descoberta foi o ESTÁGIO TERENCE - (final do século 15 / início do século 16) uma fachada contínua (parede) dividida em uma série de aberturas com cortinas, cada uma representando a casa de um personagem diferente (semelhante em conceito às mansões medievais) . A fachada ficava na parte de trás de uma plataforma de atuação. Logo acrescentou a pintura em perspectiva (o primeiro exemplo conhecido de pintura em perspectiva em cenário foi O caixão de Ariosto em 1508).

PINTURA PERSPECTIVA - Desenvolvida no século 15 c. no mundo da arte (pintor Masaccio, arquiteto Brunelleschi). Isso criou a ilusão de espaço e distância, um espetáculo mágico que os italianos adoravam. PERSPECTIVA - no cenário está a ilusão de tamanho diminuindo e maior distância tão perto do fundo do palco. Os cenários convencionais foram empregados: para a comédia - casas regulares para a tragédia - palácios pastorais - bosques.

Outros desenvolvimentos incluem vários métodos de mudança de cenário (sistema de ranhuras, carruagem e mastro), bem como a configuração dos assentos que ainda existe hoje - caixa, fosso e galeria. [NÃO SE ESQUEÇA DE ME PERGUNTAR NA AULA PARA EXPLICAR ESTES SISTEMAS PARA VOCÊ.]

Em meados do século XVII, a arquitetura italiana e as práticas de encenação foram estabelecidas e permaneceram o padrão até o final do século XIX.


Jesus branco no exterior

Conforme os europeus colonizaram terras cada vez mais distantes, eles trouxeram um Jesus europeu com eles. Os missionários jesuítas estabeleceram escolas de pintura que ensinavam a arte cristã aos novos convertidos ao estilo europeu.

Um pequeno retábulo feito na escola de Giovanni Niccolò, o jesuíta italiano que fundou o “Seminário de Pintores” em Kumamoto, Japão, por volta de 1590, combina um santuário tradicional japonês dourado e madrepérola com uma pintura de um branco distinto, Madonna e criança europeias.

‘O Noivado Místico de Santa Rosa de Lima’, de Nicolas Correa. Museu Nacional de Arte

Na América Latina colonial - chamada de “Nova Espanha” pelos colonos europeus - as imagens de um Jesus branco reforçaram um sistema de castas em que os europeus brancos e cristãos ocupavam o nível superior, enquanto aqueles com pele mais escura devido à percepção da mistura com as populações nativas classificaram-se consideravelmente abaixo.

A pintura de 1695 do artista Nicolas Correa de Santa Rosa de Lima, a primeira santa católica nascida na "Nova Espanha", mostra seu casamento metafórico com um Cristo loiro de pele clara.


Renascença para crianças

O Renascimento foi um período de tempo que vai do século 14 ao 17 na Europa. Esta era ligou o tempo entre a Idade Média e os tempos modernos. A palavra "Renascença" significa "renascimento".

Saindo do escuro

A Idade Média começou com a queda do Império Romano. Muitos dos avanços na ciência, arte e governo feitos pelos gregos e romanos foram perdidos nessa época. Parte da Idade Média é realmente chamada de Idade das Trevas porque muito do que foi aprendido anteriormente foi perdido.

A Renascença foi uma época de "saída das trevas". Foi um renascimento da educação, ciência, arte, literatura, música e uma vida melhor para as pessoas em geral.

Uma grande parte da Renascença foi um movimento cultural chamado humanismo. O humanismo era uma filosofia de que todas as pessoas deveriam se esforçar para serem educadas e aprendidas nas artes clássicas, literatura e ciência. Procurou realismo e emoção humana na arte. Também dizia que não havia problema em as pessoas buscarem conforto, riqueza e beleza.


A Monalisa -
talvez a pintura mais famosa do mundo -
foi pintado durante a Renascença por Leonardo da Vinci

O Renascimento começou em Florença, Itália e se espalhou para outras cidades-estados na Itália. Parte da razão pela qual começou na Itália foi por causa da história de Roma e do Império Romano. Outra razão pela qual começou na Itália foi porque a Itália havia se tornado muito rica e os ricos estavam dispostos a gastar seu dinheiro apoiando artistas e gênios.

As cidades-estados desempenharam um grande papel no governo da Itália na época. Muitas vezes eram governados por uma família poderosa. Algumas cidades-estados importantes incluem Florença, Milão, Veneza e Ferrara.

O termo Homem da Renascença se refere a uma pessoa que é especialista e talentosa em muitas áreas. Os verdadeiros gênios da Renascença foram grandes exemplos disso. Leonardo da Vinci foi um mestre pintor, escultor, cientista, inventor, arquiteto, engenheiro e escritor. Michelangelo também foi um excelente pintor, escultor e arquiteto.

  • Um dos filósofos gregos mais populares foi Platão. Muitos homens estudaram os escritos de Platão na Academia de Florença.
  • Venice was famous for its glass work, while Milan was famous for its iron smiths.
  • Francis I, King of France, was patron of the arts and helped Renaissance art spread from Italy to France.
  • Artists were initially thought of as craftsmen. They worked in workshops and belonged to a guild.
  • Two of the biggest changes to art from the Middle Ages were the concepts of proportion and perspective.
  • Michelangelo and Leonardo became rivals when Michelangelo mocked da Vinci for not finishing a statue of a horse.
  • Hunting was a popular form of entertainment for the wealthy.
  • Artists and architects would often compete for a job, or commission, to create a piece of art.

Learn more about the Renaissance:

Visão geral
Linha do tempo
How did the Renaissance start?
Medici Family
Italian City-states
Era da Exploração
Elizabethan Era
Ottoman Empire
Reforma
Northern Renaissance
Glossary
Cultura
Daily Life
Arte renascentista
Arquitetura
Comida
Clothing and Fashion
Music and Dance
Science and Inventions
Astronomia
Pessoas
Artistas
Famous Renaissance People
Christopher Columbus
Galileo
Johannes Gutenberg
Henry VIII
Michelangelo
Queen Elizabeth I
Rafael
William Shakespeare
Leonardo da Vinci

Works Cited

Go here to test your knowledge with a Renaissance crossword puzzle or word search.


Why did Renaissance come first only in the Europe? [duplicate] - History


Fig. 1. The one-point perspective construction, with convergence of the receding horizontals at the horizon. This construction applies only when the scene contains one set of parallel lines perpendicular to the picture plane and parallel to the ground. All other lines must be aligned with the picture plane.

ow well was perspective understood in the Renaissance? The conventional history is based on verbal accounts by Manetti (1480) and Vasari (1550), that it was first analyzed by the architect Filippo Brunelleschi (1377-1446) and demonstrated to his fellow Florentines in two dramatic peep-shows at some unspecified time between the years 1405 and 1425. Brunelleschi is frequently attributed with the knowledge of the one-point perspective construction and its introduction into Renaissance art. In fact, however, his peep-shows contained no one-point elements capable of supporting this construction and no paintings can be found with accurate one-point construction before the year 1423. (The peep-shows have not survived, but are described vividly by Manetti.) Moreover, the two-point construction of the peep-shows is virtually unknown throughout the Renaissance, seriously challenging the idea that Brunelleschi had a significant impact on the style of his fellow painters. Far from bursting full-fledged onto the Renaissance scene in the first quarter of the 15th century, a careful analysis of perspective styles reveals that understanding of the intricacies of perspective was reached only gradually over a period of 400 years. This survey focuses on one of its most accomplished exponents, Raffaello Sanzio (1483-1520), generally known as Raphael, and places his work in the context of other significant developments of the period.

Fig. 2. The lateral vanishing-point construction, illustrated on a perspective grid from Viator (1505). This construction suggests the perspective thinking that was being developed in Raphael&rsquos time. Note the lack of need for any vanishing points in the construction, although the reconstruction lines show (almost) accurate adherence to both central and lateral vanishing points.

To evaluate perspective accuracy, one needs to have a clear understanding of the rules of perspective. Three of its rules will be relevance to the present discussion. One is the rule of the central vanishing point. If we imagine a canvas set up before the scene to be painted, all edges receding from the canvas (at a right angle to it) will project to lines in the picture converging toward a single, central vanishing point (Fig. 1). This is the familiar one-point construction, which applies to a scene where all other edges are parallel to the surface of the canvas. The second rule applies to other lines or edges at various angles in the ground plane, or parallel to the ground plane. All edges parallel to the ground plane will have a vanishing point at the same level as the central vanishing point. In fact, all these vanishing points will be in the line of the horizon. Particular examples of such lines are those connecting the corners of a square grid projected in perspective (Fig. 2). These obliques project to a lateral vanishing point in both directions that should align with the central vanishing point. Slight deviations from such alignment betray that the method of construction did not rely on such vanishing points, instead using the technique of a diagonal (solid line in original) crossing the converging orthogonals. Each intersection defines the correct position for a transversal break in the tiling, but small inaccuracies in the measurements show up as deviations at the long remove of the lateral projections.

Fig. 3. Masolino’s ‘St. Peter Healing a Cripple and the Raising of Tabitha’ (1425). Note the almost perfect convergence of the vanishing points for receding horizontals from all parts of the composition, from the front of the scene all the way to streets in the far distance. The occasional slips seem attributable to lack of attention rather than lack of understanding of the concept of the vanishing point..

Although largely ignored in perspective histories, the central vanishing point appears to have been first used in 1423 by Masolino da Panicale (1383-c. 1440), and is well-illustrated by his painting from the same period of a double scene of miracles of St. Peter, which has a strong perspective construction (Fig. 3). Although the ground plane is rock-strewn earthen floor, almost all the receding horizontals in the buildings around the piazza conform accurately to a single vanishing point. This is the more remarkable because they span the visible depth from the front edge of the picture to the narrow streets in the far background (where the convergence requirements are close to parallel). Only someone with a thorough commitment to the principle of central convergence could have achieved this global level of uniformity. As shown in Fig. 3, one can find as many as 24 horizontals that converge to an accurate vanishing point, although 4 other lines deviate from this center by a small amount. As other early Quattrocento works show, the probability of finding this degree of convergence on the basis of intuitive construction alone is so small as to be negligible.


The Renaissance - Rebirth of Europe

Renaissance is the French word for rebirth. It is the time of change that happened in Europe between the 14th and 16th centuries.

It was an era do crescimento na Europa. New, powerful city states emerged. A new middle class had more and more money to spend. Great artists, writers and thinkers lived during this time.

During the Middle Ages many people who lived in the countryside worked on the land that they got from the noblemen. In return, they were protegido by them.

City life changed towards the end of the Middle Ages. There was a small middle class population and people had more liberdade than in the countryside.

A praga

Between the middle and the end of the 14th century, the plague, also called &ldquoBlack Death&rdquo killed almost half of Europe&rsquos population. Isto espalhar maioria rapidamente in the larger cities where many people lived.

Isto conduziu a economic depression. Comerciantes e traders had fewer people to sell their goods to, so they lost a lot of money.

The New Middle Class


Quando o plague slowly decreased in the 15th century, the population in Europe began to grow. A new middle class emerged &mdashbankers, merchants e tradespeople had a new market for their Serviços.

People became wealthier and had more than enough money to spend. They began to build larger houses, buy more expensive clothes and get interested in arte and literature.

The middle class population also had more free time, which they spent learning foreign languages, reading, playing musical instruments and studying other things of interest.

The Renaissance was especialmente strong in Italian cities. They became centres of trade, fortuna and education. Many cities, like Venice, Genoa and Florence had famous citizens who were very rich and gave the city a lot of money.

Exploration and Trade

Exploring the seas and sailing to other continents became very important during this era. Sailors had better instruments and maps , ships were built so that they could endure longer journeys. Most of them had big sails that were dirigido by strong winds.

português navigators started to explore the western coast of Africa from which they brought gold and ivory casa. Later on they descoberto that sailing around the southern gorjeta of Africa would bring them to India and Asia. These places offered especiarias, valuable cloths e silk. Explorers brought them home and sold them to wealthy families in Europe.

After Columbus had descoberto America in 1492 , many Spanish, French and Italian explorers followed. The Spanish were the most bem-sucedido. Elas conquered much of Central and South America and brought home gold and silver from the Inca and Aztec empires.

Impressão

In 1445 the German Gutenberg inventado a prensa de impressão. He changed the lives of millions of people throughout Europa. For the first time, bookmaking became cheap and Gutenberg was able to print many books very quickly.

In the Middle Ages books were very expensive because they were written by hand. Only priests and monges could read them because most of them were written in Latin.

In the Renaissance the middle classes had the money to buy books but they wanted books that they could read in their own language. UMA publishing boom broke out and buying and selling books began to prosper in many European countries. People bought travel books, romances, poesia e almanacs. They read more and became better educated.

Humanismo

The printing of books led to a new way of thinking. Scholars of the Renaissance returned to the writings of Greek and Roman philosophers. These writings are called the &ldquoclassics&rdquo. More and more scholars learned to read Greek and Latin and studied old manuscripts on topics like Ciência, art and life.

During the Middle Ages people were guided by the church, which was against fortuna, trading goods and other worldly interests. Humanists, however, did not believe that much in religion. They thought that money and trade were important in life and that citizens needed a good general education.

During the Renaissance a churchman named Martin Luther changed cristandade. In 1517 he wrote a list of things that he didn&rsquot like about the church and postou them on the door of his church in Wittenberg, Germany.

Luther also wanted the church to hold missas in German ao invés de Latin so that people could understand them better. Many other Christians agreed that the church was na necessidade de change. Luther and others founded new religions and split away from the Roman Catholic church.

Art and Architecture

In the Renaissance artists and architects used mathematics to plan their works. Elas descoberto that many objects in nature have a certain proportion. They called this the golden mean. Muitas vezes é encontrado no shape of a leaf or in the form of buildings. Many of them found out that the human body also displayed proportions . Renaissance architects built new buildings that were symmetrical.

Artists of the Renaissance started to experiment with perspective in their works. They learned that if they made an object smaller and put it in the background of a picture it appeared farther away. They also painted with more realismo than earlier artists.

Many great artists of that time started their estudos or worked in Florence. Michelangelo was the most famous artist of the Renaissance. He studied painting and escultura in Florence, where he created his famous escultura of David for the Florence cathedral . In his later life he painted the ceiling of the Sistine chapel in the Vatican&mdashprobably his most famous painting.

Florence

Although changes took place everywhere in Europe, Florence was the centre of the Renaissance. Fifteenth century Florence was an exciting place to be. At that time the city was independente and had a population of about 60,000 .

12 guildas controlled trade in the city. The members of these guilds were very rich and held high positions in the city&rsquos governo. They also gave the city a lot of money.

Most powerful among the guildas were the textile workers. Florence was the centre of pano making and pano trading. Wool of excellent quality came from England. In Florence the raw material was cleaned , spun , dyed e woven. The finished material was very expensive and sold in other European cities.

Outro source of income was banking. Many families of Florence were successful bankers. They even produced a gold moeda, the &ldquoflorin&rdquo, which became popular in all of Europe. The most famous bankers were the Medici. They controlled Florence up to the beginning of the 18th century.

Leonardo da Vinci

Leonardo da Vinci (1452&mdash1519) was one of the most famous people of the Renaissance period. He was not only a famous painter but also studied Ciência, designed machines and drew plans for new invenções.

Young Leonardo grew up near Florence and studied painting with the great painters of the city. After a few years in Milan, where he painted for a famous duke ,he came back to Florence and painted a new hall for the city council.

In his paintings da Vinci experimented with many técnicas that artists hadn&rsquot used before. For example, he started to use perspective in his paintings. He put small objects in the background to make them appear far away. He also experimented with light, sombra and colours.

o Adoration of the Kings is an unfinished painting. You can only see the figures as outlines of light and dark areas. In this painting he shows three kings who adorar the Christ child.

Da Vinci finished painting The Last Supper in 1497. The painting shows the last meal of Jesus Christ and his 12 apóstolos. In the picture Jesus has just anunciado that one of them will betray dele. He created this famous scene on a wall of a dining room in a monastery.

Mona Lisa is probably the most famous painting ever painted. It is a portrait of the young wife of a Florentine silk merchant. It shows a young woman with her famous smile sitting on a balcony high above a landscape .

Mona Lisa - Da Vinci's most famous painting

Da Vinci&rsquos other interests

Leonardo was interested in mechanics and he had ideas that no one had thought about before. For example, he drew plans for an airplane , a helicopter and a pára-quedas. He sometimes worked as an engenheiro or military architect and designed tanks, machine guns and bridges that could be moved.

Leonardo showed great interest in the human body. Ele dissected dead people in order to study bones and other parts of the body. He also made drawings to show how the human body worked. Like other artists, da Vinci was interested in the proportions of the human body. In his drawing of the Vitruvian Man, he showed that a human being encaixa perfectly into a circle and a square. It is one of the most famous pictures of European art.

Nature and the crescimento of plants and trees was also one of da Vinci&rsquos fields of interests. He tried to find out what made birds fly.

Later on, da Vinci started writing books on many of these topics but never completado eles. They were forgotten but when they appeared again centuries later, they showed that Leonardo da Vinci was much à frente of his time.


Assista o vídeo: - Wielkie powroty i niewielkie zaskoczenia..